domingo, 27 de julho de 2014

Overnight de Iogurte natural com chia e morango: é light e gostoso



Primeiro vamos tirar da cabeça que iogurte natural é ruim!
O iogurte natural quando adoçado fica uma delícia e como todo iogurte, é fonte de cálcio e proteínas, melhora o funcionamento do intestino e é rico em várias vitaminas.
Faz tempo que os naturais fazem parte da minha rotina e a cada dia, tiro mais proveito deles. Só consumo os desnatados, porque agrego aí, a possibilidade de consumir um alimento saudável e sem gordura.
Como de quase todas as marcas, mas o que mais gosto é o Vigor. Tem a textura mais firme, é encorpado e com algumas gotas de adoçante, fica perfeito.
Uma dica boa é misturar os iogurtes com sementes nutritivas e frutas para dar uma cara diferente e claro, transformar um simples potinho de iogurte numa sobremesa linda e saborosa.

Vamos aos ingredientes:
1 potinho de iogurte natural
1 colher de sopa de chia
Algumas gotas de adoçante
8 morangos médios

Como fazer:
À noite, misture o iogurte com a chia, adoce a gosto e deixe num pote de vidro na geladeira.
No dia seguinte, a chia já vai estar amolecida e aumentado de volume, o que a torna mais fácil e gostosa de comer.
Acrescentei 1 morango picadinho ao iogurte e misturei tudo. Além disso, piquei outros 5 morangos e fui fazendo camadas de morango e iogurte até finalizar com 1 morango inteiro para decorar.
O último morango cortei e pus no pratinho para incrementar a decoração.



Esse alimento é conhecido como overnight oats, porque originalmente são feitas com aveia, que de uma noite para outra amolecem e ficam mais saborosas.
Se você der uma busca rápida na internet, vai achar overnights com aveia, granola, linhaça, chia e todo tipo de alimento saudável. O que não falta é imaginação.
Optei por fazer com chia, porque é a semente que mais consumimos atualmente aqui pelo apzito e os morangos, porque era a fruta que tinha na geladeira.
Cuidado para não encher de muito fru fru, porque pode deixar o alimento mais calórico e enjoativo e aí perde-se todo o sentido do iogurte natural etc...
A chia de um dia para o outro fica muito mais fácil de consumir e os morangos dão uma graça toda especial, já que o vermelhinho realça bastante na mesa. Não consumi como sobremesa e sim, como café da manhã, já que aboli o pão faz tempo, mas para receber os amigos, ham?

Achei sensacional!



segunda-feira, 21 de julho de 2014

Pequenas reflexões de segunda

Foi-se o tempo em que as distâncias eram um problema para quem não mora em sua terra natal.
A não ser que você opte, ou seja, queira mesmo se distanciar das pessoas, porque se não, a saudade vai sendo amenizada dia a dia pelo telefone, pelas mídias sociais e também aguçadas pela sua memória, que deixa tudo perto e se você se esforçar, você sente até cheiro!
Ontem foi o Dia do Amigo e tive lembranças ótimas o dia inteiro.
Lembrei das festinhas que fazíamos todo 20 de julho com mega produção e lembrancinha para todos os amigos. Enquanto cozinhava umas coisinhas em casa, lembrava de amigos que não vejo mais e do quanto ter amigos é importante para a vida de qualquer pessoa. Eles te dão referências ao mesmo tempo em que você se torna a referência deles.
Lembrei que tem amigos próximos que não querem mais ser tão próximos e outros que nem eram tanto, se tornaram. Lamentei para alguns e em outros eu sorri.
E claro, pensei no quanto o marido que escolhi é amigo e cúmplice e o tanto que me conhece e sabe o que vou falar, fazer e pensar em cada situação.

Êta São Paulo que me faz pensar e avaliar a vida...

Foto: Italo Genovesi. Pedra Grande, Parque da Cantareira, SP.

sexta-feira, 18 de julho de 2014

Morre a voz de João Ubaldo Ribeiro

Os bons estão morrendo muito rápido pro meu gosto.
Até se formarem novos bons, emblemáticos, inesquecíveis, talentosos... leva tempo!
Quem garante que estarei viva para vê-los? Quem pode me dizer quem é bom na atualidade, se tudo é efêmero?
As fotos que postamos por um instante e que quem não curtiu na hora não tem mais interesse por elas; as fotos de tudo e não mais de momentos especiais; as fotos que apagamos com a maior naturalidade...
As amizades segmentadas: tem as do trabalho, as do bairro, as da família e as de coração...
As comidas, que com tanta variedade e modalidade, não ficam mais na memória...
E a felicidade? Essa passou de uma busca incessante e eterna para o contentamento rápido e rasteiro.
Sei lá. Fique triste com a morte do João Ubaldo Ribeiro.
Pra mim, essas pessoas admiradas por todos nós e que tem grande contribuição na nossa formação cultural e política, não poderiam ter o direito de morrer, embora no fundo não morram.
Além de seus escritos, a voz do João Ubaldo Ribeiro e aquela preguiça em falar, que tanto me fazia sorrir, ficarão em nossas memórias.
A vida, esse bem divino, tem outro sentido hoje. Principalmente para quem fica :(

quinta-feira, 10 de julho de 2014

Salmão pá pum: para temperar, sal rosa do Himalaia!



Salmão é uma comida que se basta por si só. Com ele não são necessárias grandes invenções pra ter um prato rápido e elegante!

É claro que você pode fazer com que ele fique mais charmoso, mais incrementado, assim como a grande maioria dos peixes, mas aqui a proposta foi fazer uma coisa pá pum!
Eu estava naqueles dias de preguiça e com criatividade em baixa. Era uma comida só pra mim, pois o maridão estava a fim de comer massa, então resolvi apenas por uma posta de salmão para assar!
Simples e rápido: temperei com bastante sal rosa do Himalaia, pus umas rodelas de limão em cima para dar um azedinho, já que o salmão tem sabor adocicado, pus no forno pré-aquecido a 180 graus e fui curtir a preguiça que tinha direito num domingo de calor.

30 minutos depois, tirei, fiz uma saladinha rápida e mandei pra dentro!

Na foto, apareço pondo sal por cima do limão, mas já tinha colocado bastante em cima do peixe e dos lados e foi isso que fez ficar ainda mais saboroso.
O sal deu um diferencial discreto no salmão, porque convenhamos, tem dias, ou melhor, quase sempre: menos é mais!


Não liga boba, se as fotos não te apeteceram tanto assim. Faz na fé que dá certo, rá!


quarta-feira, 2 de julho de 2014

Cotidiano


Há dias em que precisamos fazer algo diferente pra dar sentido ao cotidiano.
Os acontecimentos que nos consomem no dia a dia são de lascar!

Tem gente que não gosta.
Eu gosto e é por reconhecer que aquilo que fazemos cotidianamente tem sua graça e muita poesia.

Chegar em casa e aproveitar com quem se ama as poucas horas antes do sono derrubar a gente.
Voltar do trabalho e deitar no sofá com a roupa do dia e cochilar até depois do jornal.
Preparar um jantar rápido, mas que fica surpreendentemente bom.
Entrar em casa, tirar os sapatos num primeiro movimento e na sequência abrir a geladeira e beliscar o que tem pela frente.
Namorar.
Ler e dormir com o livro em cima de você.
Abrir um vinho e sem cerimônia e harmonização, tomar.
Tomar cerveja em pé na cozinha enquanto conta as coisas do dia.
Sorrir.
Tomar um banho daqueles e vestir um pijama limpinho.

O cotidiano tem seus encantos e é não repetindo as coisas que ele fica lindo e ainda assim, cotidiano.

A gente por aqui, adora.