quinta-feira, 15 de maio de 2014

O médico e o monstro


- Buenos dias. Quanto és un reb bull?
- 3,40 cucs. Eres brasileña?
- Si, soy.
- Mi marido está em Contagem, no "Mais médicos".
- (esqueci o portunhol e saí conversando) Que legal, e quanto tempo ele está lá?
- 11 meses
- (voltei ao portunhol) Usted já foi visitá-lo?
- No, no es posible. Elle tem que ficar 11 meses sem poder vir acá e yo no puedo ir al su encuentro.
(e começou a chorar)
(e eu comecei a ficar triste por ela e sem saber falar mais nada, nem em portunhol e nem em português)
- Ah, espero que isso esteja sendo bom pra vocês.
- Si, és, mas tengo muitcho sacrifício. Mi hija siente falta de ello.
- Mas você recebe ajuda dele, porque ele ganha um valor, né?
- No, no fica conosco...

E as lágrimas caíam dos seus olhos devargarzinho, como se estivessem retardando a minha saída, assim como a minha presença naquela hora, na frente daquela senhora cubana, fosse um pouco, talvez, a presença do marido que está longe...

Nenhum comentário: