Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Abril, 2014

Cuba, de novo!

E lá vou eu novamente para mais uma viagem a trabalho.
O bloguito vai dar um tempo e só volta após 09 de maio, que é quando estarei de volta.
Vou reviver uma viagem que foi linda em um país igualmente lindo.
Agora irei com outros olhos e com outro foco. Uma viagem a trabalho nunca vai ser como uma viagem a lazer, mas entre um compromisso e outro, dá pra tirar umas fotos boas, eu espero.

Enquanto isso, me segue no Instagram (@ocioviagensegastronomia) e vira fã lá no face, vai?

Inté a volta.

Bondinho, a reinvenção de um atrativo turístico.

A capacidade de se reinventar é uma qualidade que poucos destinos turísticos possuem.
Cidades grandes, cosmopolitas e que recebem um número grandes de turistas, convivem com essa responsabilidade diariamente, mas também contam com o apoio da própria dinâmica das cidades, que já promovem mudanças suficientes para deixar repetidas viagens, diferentes umas das outras.

O Pão de Açúcar, por exemplo, é uma atrativo clássico do país. Não há quem nunca tenha ouvido falar.
Há gerações e gerações que já visitaram, mas que a cada nova visita, revivem aspectos esquecidos pelo tempo. Eu sou um exemplo disso.
Fui três vezes a esse atrativo, sendo que a última visita foi na semana passada, onde pude rever detalhes e curiosidades que por algum motivo, eu não tinha guardado na minha memória RAM.
Confesso que só voltei ao Pão de Açúcar porque o maridão e os cunhados não conheciam.
Achava que já tinha visto tudo, que indo duas vezes na vida era o suficiente, mas não! Valeu muito a pena ir novamente ao …

As cocadas da vovó

As festas religiosas ainda são muito importantes para o Maranhão. O povo ainda dá muita importância para a fé e isso se reflete em todos os municípios do Estado. Em cada um deles, com menor ou maior intensidade, há um santo padroeiro ou mesmo uma religião predominante. Por sermos um país oficialmente católico, os municípios em sua maioria possuem santos padroeiros e na mesma frequência, festejos religiosos tradicionais, que dão movimento aos lugares. É assim em todo o Estado do Maranhão e é assim em Humberto de Campos, cidade em que passei praticamente todas as férias da minha infância e adolescência. Em Humberto de Campos, o festejo mais popular é o em homenagem a Nossa Senhora Sant’Ana, mãe de Maria e avó de Jesus. Antigamente, o festejo tinha início em meados de julho com uma procissão pequena, percorrendo as quatro principais ruas da cidade. Durante todo o festejo, as noites tinham ladainha com algumas partes sendo rezadas e cantadas em latim. No dia 26 de julho, dia da Santa, o…

Cristo Redentor, nos protegendo sempre!

O Rio de Janeiro marcou mais uma vez as nossas vidas.
Em setembro do ano passado compramos as passagens meio sem pensar, apenas porque estava R$ 89,00 cada trecho, para passarmos o feriado de semana santa, que terminou nesta segunda.
Do ímpeto de comprar os tickets, até fechar todas as reservas, foi uma busca incessante por tarifas melhores, já que a cidade sempre foi conhecida pelos preços exorbitantes, oficializada agora com o surreal, moeda paralela criada pelos moradores, como medida de protesto.
Fomos num grupo grande, juntando nós, saindo de São Paulo e várias amigas saindo de São Luís.
De um modo geral, é uma viagem muito cara. Quase tudo que você faz custa caro, mas tudo que você faz, é divertido, desde o sotaque.
A viagem foi alegre e eu tentava não olhar o relógio pra não ver as horas se adiantando.
A cidade continua sendo um dos recortes mais bonitos do país, sem dúvida. Alguns atrativos se reinventam a cada nova visita, como é o caso do Pão de Açúcar, que visitamos para q…

Mercado do Ipiranga: pequenininho e cheio de bossa!

Esses mercados municipais de São Paulo me deixam looouuccaaa!
Quanto mais visito, mais me apaixono e fico assim, doidinha da cabeça querendo ficar o dia todo sentada e vendo as coisas acontecerem.

O Mercado do Ipiranga é o menor que já visitamos, desde que começamos a série Mercados Municipais de São Paulo.
Em uma passada de olho, você consegue visualizar, quase que ele todo, mas o diferencial é que é muito aconchegante. Diferentemente dos outros, as pessoas se cumprimentam, parece que se conhecem, como se fossem vizinhos. Talvez até sejam mesmo, mas o clima cordial é um destaque.
Maridão já tinha me levado faz tempo, mas agora voltamos com outro olhar e confesso que gostei mais ainda.

Em se tratando de oferta de serviços e produtos, podemos dizer que tem muita coisa, mas em menor quantidade. De qualquer forma, você não passa vontade, pois tudo que você quer, tem.

Vou voltar lá sim e pra tomar uns chopps, que dessa vez não pude!







Mercado Municipal do Ipiranga
Fone : 2063-3405
Endereço: …

O Buteko da Bia

O Buteko da Bia é mais um daqueles exemplos de grupos no whats app, muito comum por esses tempos.
Foi criado por Paty, para tratarmos de uma festinha que iríamos fazer no final do ano passado em São Luís, por ocasião das férias, já que eu estaria por lá.
A festinha acabou não acontecendo porque descobrimos que a minha mãe estava doente e fiquei sem clima para comemorar algo, já que a minha cabeça estava voltada para a recuperação dela.
O grupo foi criado e na mesma hora falamos de novela, rá! Na sequência fofocamos sobre alguém e até hoje o Buteko existe exatamente como uma roda que se forma ao redor de uns bebericos: falamos de besteira, de coisas sérias, avisamos de promoções, mandamos vídeos, recados e dessa forma vamos nos mantendo unidas e de certa forma, próximas.
O Buteko é formado por mim, Marcelle, Patrícia, Dadá e Luciana ou melhor: por mim, Mamá, Paty, Dadá e Lu, já falando com intimidade. Nosso comportamento, de acordo com Dadá, faz jus ao nome: às segundas-feiras, por ex…

Parece que foi ontem

Essa foto foi tirada no início de janeiro deste ano.
Parece que foi ontem.
Parece que o tempo não passou assim dia a dia e sim em blocos. Se essa fosse a contagem, era como se tivessem passados uns 4 blocos de tempo. Coisa rápida.

O mar tem as características da minha terra: cinza, com muito material em suspensão, mas é quentinho, agradável e refrescante.
Raposa, saudade!

Eu mudei

Essa sou eu aos 9 anos.
Esse muro não existe mais. Essa casa também não mais existe, assim como essa árvore, que tinha um monte de percervejos, não está mais lá.
Essa da foto não existe mais. É apenas uma foto de um retrato antigo.
Eu sempre fui assim, meio posuda. Nunca fui igual às minhas amiguinhas que brincavam de boneca nessa idade e que tiravam foto um pouco tímidas. Eu não, posava como modelo e queria ser uma delas.
Minha brincadeira era sentar na porta de casa às 17h, já de banho tomado e cabelo penteado, com as pernas cruzadas pra ver as pessoas passarem.
Sempre gostei de pessoas. Sempre gostei de ficar arrumada. Sempre fui vaidosa. Sempre me maquiei.
Fui uma adolescente tranquila. Xinguei minha mãe algumas vezes em pensamento, mas isso é normal. Brinquei de pés descalços na areia, brinquei de "rouba-bandeira" e de "cai no poço". Brinquei de roda e dancei São Gonçalo.
Tornei-me uma adulta cedo. Tomei decisões sérias (para mim) cedo. Colaborei com a minha m…