quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Livraria Gourmet

A notícia não é nova, mas a ideia continua sendo muito bacana!
Criar uma livraria especializada em livros gourmet, a Livraria Gourmet.. Porque não pensei nisso antes?
O acervo ainda não é gigantesco, mas já traz muitos títulos interessantes.
Dica dada!

Coisinhas supérfluas são sempre necessárias em nossas casinhas!

É muito possível que eu me transforme ainda numa acumuladora compulsiva, porque vejo essas coisas e piro! Piro total!
Teria muitas dessas, muitas e muitas mais...
jogo americano

jogo americano

interruptores lindos, lindos e lindos





Parei nessa luminária. Quer dizer, quase morri!

Essa luminária ficaria linda do meu criado mudo, não sei porque...

Quer se esgoelar, morrer e pirar com um monte de coisa bacana?
Clica aqui!

terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

Pudim de leite na caneca. Ideal para poucas pessoas.




Vi essa receita no caixa do supermercado perto de casa. Peguei para testar. Sabe aquele nosso velho problema, né?
Duas pessoas x porções grandes = duas pessoas grandes
"Não não vamos estar querendo isso lá no apzito", como diriam as atendentes de telemarketing!
Testei no domingo e não é que deu certo?
Vamos aos ingredientes:


  • ½ xícara (chá) de leite condensado
  • ½ xícara (chá) de leite
  • 1 ovo
  • ½ colher (chá) de essência de baunilha

Ingredientes de Calda:

  • 1 colher (sopa) de açúcar
  • 1 colher (sopa) de água
Modo de Preparo:

Para a calda, misture o açúcar com a água em uma caneca. Leve ao forno de micro-ondas por 1 (um) minuto em potência alta. Retire e verifique a cor da calda.
Caso ainda esteja clara, retorne ao forno de micro-ondas e vá aquecendo de 30 em 30 segundos, checando sempre até atingir o ponto de caramelo. Distribua bem a calda em volta da caneca, girando-a. Reserve.

[eu tive que por pelo menos mais umas 4 vezes de 30s]

Em uma tigela, coloque o ovo e bata bem com a ajuda de um garfo. Acrescente o leite e misture bem.
Após, junte o leite condensado e a essência de baunilha e misture.
Despeje a mistura até a metade da caneca caramelizada. Leve ao forno de micro-ondas na potência máxima por um minuto. Caso ainda esteja mole, asse por mais 30 segundos.

[eu, pus pra assar mais três vezes de 30s]

Cubra com um prato ou pirex e deixe esfriar por alguns minutos. Leve à geladeira e depois desenforme sobre um pires.

[fiz como manda o figurino, mas para desenformar, precisei passar a faca dos ladinhos para "descolar"]

[achei um pouco doce demais. Da próxima, menos leite condensado e mais leite, talvez...
a parte de cima da foto, que é a de baixo da caneca ficou bem macia e molinha e a outra, um pouco mais durinha. Da próxima, também asso menos vezes!]

As porções são de um tamanho ideal. Para um casal, é perfeito!




segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

Eu tenho a jarra de suco da D. Nenê!

Olhem quem chegou?
A bela, a colorida, a mais divertida, a mais brega, a mais cafona e a mais adorada jarra de suco da D. Nenê!
Ganhei de aniversário da sogra. Já tava querendo há tempos e agora ela enfeita e nos faz rir todos os dias!
Com o calor desses dias e como quase desidratei hoje, muito suco, muita água e Gatorade é o que tá rolando agora no apzito!

Saúde!

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

Caldinho de feijão nota 10!


Jamais tomei um caldinho de feijão tão saboroso!
Olhamos para a barraquinha e vimos um mundo de gente comprando coisinhas gostosas.
Encostamos como se não quiséssemos nada, pedimos uma cervejinha e eis que me apaixonei pelas pururucas.
[você já tinha visto alguém que se apaixona por uma pururuca?]
Pururuquinhas lindas, fresquinhas, crocantes, ai ai ai...
Bom, as pururucas acompanham o caldinho de feijão, que óbvio, comprei por causa das benditas.
O caldinho na verdade fica numa máquina térmica com uma torneirinha e sai pelando!
Um copinho custa R$ 3,50 e vem acompanhado de cebolinha picadinha e claro, as pururucas.

A mistura dos três fica uma verdadeira delícia. Mesmo com o calor de dar dó desses dias, tomei quase que num gole só.

A Barraquinha fica na Praça Benedito Calixto e ainda bem que volta e meia estamos por lá.
Pururuca, eu voltarei!

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

O espetacular encontro do Guaraná Jesus com a Gengibirra

 Sim sim sim salabim!

Você nunca tinha visto um encontro tão marcante como esse!
Você nunca tinha visto nada tão grandiosos a ponto de ser único!
Não, você jamais pensou em ver algo tão espetacular por essas bandas!

Sim, o Guaraná Jesus, típico refrigerante do Maranhão encontrou a Gengibirra, típica gasosa do Paraná!

O encontro foi esta semana aqui no trabalho meio despretensiosamente. Nada premeditado, como os grandes encontros acontecem!

Foi o rosa encontrar com o translúcido para a paixão eclodir. O cupido foi certeiro. Em uma flexada só, pimba! 

Tanto o Jesus quanto a Gengibirra tem legiões de fãs em seus lugares de origem, mas na mesma proporção, causam uma certa estranheza quando ultrapassam os limites dos seus territórios.

Quem gosta, gosta e ponto final.
Quem não gosta, não tem jeito. Fala mal, reclama, põe defeito, prova e faz cara de que não gostou, joga fora e comete sacrilégios dignos de pessoas sem fé.

Estão se conhecendo melhor.
Acho que vai rolar uma super amizade, daquelas que a gente não quer mais perder o amigo de vista, sabem?

Salve salve esse encontro!

A Marcela é curitibana e trabalhamos juntas. Trocamos tradições culturais e gastronômicas sempre.
Ela morre de calor aqui. Eu morro de frio. Eu nunca vi um pé de pêssego, ela nunca viu um pé de caju!


Amo gengibre e adorei o sabor da Gengibirra.
É refrescante, saboroso e deixa um ardorzinho na garganta. Parece que você pôs um "tequinho" de gengibre no copo de soda. Tomaria fácil muitas outras!



Up date:

Ó a maravilha que acabei de receber:

"Adorei o post da Gengibirra
minha avó fazia em casa para as festas de fim de ano
como não tínhamos geladeira, as garrafas tampadas com rolhas ficavam em uma dispensa que era "fresquinha"
minha avó era cega, e eu muito gaiato...entrava pé por pé na dispensa, chacoalhava a garrafa..a pressão fazia a rolha soltar..e eu dizia: - Vooooó estourou posso tomar???
e claro, deliciava largos goles de gengibirra caseira... saudadesssssss - França"

Três coisas:
Que delícia ler esses comentários e troca de experiências!
Pergunta que não quer calar: como faz gengibirra artesanal?
França é um amigo à distância. É curitibano. Inteligente. É careca. É lindão!

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

"Skin red"

Mais apertada que sardinha em lata hoje cedo, fiquei colada numa menina meio punk no ônibus.

Ela estava de costas para mim, mas com o celular em punho, de forma que eu conseguia ler todos os torpedos que ela enviava.

Sabem aquelas menininhas de no máximo 16 anos com uns três riscos grossos de delineador em cada olho, com uns 100 gramas de rímel em cada cílio, um piercing igual aos usados em vacas no nariz, um batom vermelho sangue, com o cabelo metade raspado e metade comprido, alargadores nas orelhas, com meia calça preta, short preto, camiseta do Marilyn Manson preta e uma cara de morte? Pois bem.

"Torpedo de alguém para ela:
Mas não lembro de vc.

Torpedo dela para alguém:
qual é mano?

Torpedo de alguém para ela:
cério

Torpedo dela para  alguém:
os manos falaro que tô parecendo skin red"

Mas chegou o ponto que eu ia descer e não pude mais ler as atrocidades gramaticais, culturais e comportamentais da fulana...


sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

Café da manhã lava pratos!


Tentamos fazer um café de carnaval, mas não rolou.
Sabe como é que é a semana que antecede o carnaval, né? Todo mundo fica com a cabeça no feriado, pulando ou não!
Contei a história do "Lava pratos" no Maranhão e resolvemos fazer então um "Café da manhã lava pratos" tomando por base a velha desculpa dos maranhenses em fazer mais um dia de folia!
E vou contar, viu? Deu muuuuiiittooo certo!
Cada um trouxe um pouquinho e a mesa foi se agigantando de uma forma que ficou essa maravilha...


Em pé da esquerda para a direita: Marcela, euzinha, Cléo e o Vitor
Sentados também da esquerda para a direita: Carol, Gil e Di.



Sempre rolam uns chifrinhos nas fotos hahaha



Galera  toda reunida e claro, uma das estrelas do café: a GENGIBIRRA, gasosa de gengibre do Paraná.

terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

Churrasco de Carnaval: alegria, adereços, máscaras e folia!



Tudo começou com o esquecimento de um pacote de linguiça do Gijo que Lu e Dudu deixaram aqui em casa! (não falem pra eles, mas ôba!!!)
Foi o bastante para a sogra inventar um churrasco de carnaval e o resto da turma topar, é claro!
Foi muito divertido e o que reinou em nossa festa foi realmente a alegria, o bom humor, o espírito de integração e de família. 
Embora longe dos meus, me diverti muitão!



Nosso cardápio foi bem mais variado e depois eu arrumei o "s" faltante, hunf!





A foto representa mais de 180 anos de folia!
Era aniversário da D. Maria, vó da Carlinha, que comemorou em grande estilo!





 
Lavador e enxugadora mascarados!




















As linguiças do Gijo dispensam comentários por aqui. Levamos Dudu para conhecer e comprar, porque adora um churrasco e linguiça boa, sabem como é, não tem em todo lugar...
Dudu, era bem apimentada mesmo, heim?

Churrasco de linguiça com pedigree. A gente vê por aqui!
Valeu Dudu!!!!



segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

Salada de Cevadinha com frango e legumes - top 10 do apzito!



É simples: basta abrir a geladeira, retirar os legumes que estão lá há muito tempo e que precisam ser consumidos logo. Separe.
Na sequência, procure em seu armário da cozinha outros insumos esquecidos, tadinhos, e vá colocando do ladinho dos legumes que já estão separados.
Ponha uma pitadinha de criatividade, um copinho de cerveja na pia para ir tomando enquanto pensa no que vai fazer e prontinho: o jantar vai sair daí!

Comprei cevadinha há um tempinho, mas tinha esquecido.
Achei dentro de um dos potes durante a faxina de carnaval (oi?) que fizemos na cozinha hoje.

Fui catando tudo que estava esquecido e fizemos um verdadeiro reboliço na cozinha: trocamos as panelas, os talheres e guardamos um monte de coisa que não usamos com muita frequência. Jogamos fora os temperos vencidos, os "belisquetes" que já não estão fresquinhos, os doces úmidos e por aí vai.

Como a gente guarda tralha, né? Só de caneca, dos livramos de umas 4, sem falar nos potes que iremos doar, copos e outras tranqueiras gastronômicas que enchem os armários e entulham tudo!

Bom, agora depois de uma bela limpeza nos armários da cozinha, esse apzito tá chique que tá danado! Panelas novas, talheres novos (que ganhei da minha querida Ana Paula) e tem até um pouquinho de espaço em um dos armários.
Adoro a sensação depois de uma faxina. Me sinto leve, não sei explicar...

Sim sim, ok, voltemos à salada:

Como falei antes, raspei a geladeira: peguei brócolis, tomates cerejas, queijo branco, ervilha, abobrinha, duas folhas de alface americana e mini cenouras.

Além de tudo isso, separei uns bifinhos de frango que estavam temperados e fiz tirinhas. Fritei.

Lavei 100 gramas de cevadinha e cozinhei com sal.

Cozinhei os legumes que estavam crus, descongelei os que estavam congelados, cortei em cubinhos o queijo branco, picotei as folhinhas de alface e cortei os tomates em rodelas.

Com exceção da alface, do queijo e tomate, que foram acrescentados no final, levei tudo para a panela com um refogado de alho e azeite.
Temperei um pouquinho os legumes com sal, pimenta e salsinha desidratada, joguei a cevadinha e acertei o azeite.

Depois de tudo pronto, deixei esfriar um pouco e pus os ingredientes que estavam faltando.

Para finalizar, joguei uns croutons integrais.

A salada fica leve, nutritiva e saborosa. Está no Top 10 de saladas do apzito!

Os talheres agora são mais coloridos por aqui.

Olhando assim rápido, parece arroz, mas é cevadinha mesmo.



sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

Bar Brasil - um dos patrimônios do Rio de Janeiro!


Você entra e vê um gigante pé direito e não acredita que está num sobradão do século passado, onde os espaços eram a primeira necessidade dos seres viventes. 

O salão é espaçoso mesmo e sem muito "pra quê isso". Você se sente bem livre no ambiente, podendo até achar estranho no começo da sua aventura, porque está acostumado a botecos, bares e restaurantes apertados e escuros.

Sou muito suspeita pra falar de coisas antigas. Gosto e pronto! Sinto-me à vontade nesses lugares e basta ver um garçom com mais de 20 anos de "casa" pra eu me alvoroçar toda e pedir pra tirar foto.

Em nossa última viagem ao Rio de Janeiro fomos (meio sem querer) ao Bar Brasil, restaurante e bar alemão fincado desde 1907 na Lapa.

Primeiro chegamos na Lapa e tava tendo show da Preta Gil com umas 500 mil pessoas curtindo loucamente.   Passado o susto e o sufoco para atravessar a multidão ensandecida, fomos para a Rua Mem de Sá, buscar um lugar para sentar, bater papo, comer e beber.

Depois de muita procura e muita "bateção" de perna, achamos o Bar Brasil, que por coincidência (ou não) tinha lugar para 6 (outra linda e bacana coincidência foi encontrar no Rio de Janeiro a Kátia e o Rapha, casal de amigos que fizemos em Cuba)!

O Bar Brasil está na lista dos Bares Tombados pela Prefeitura do Rio de Janeiro como Patrimônio Cultural Carioca e eu estava louquinha pra conhecer!

Adorei a experiência. Gostei muito do ambiente, das pessoas, e principalmente da comida. As porções são enormes e com preços honestos.

Os clássicos deles são o Kassler (com chucrute, tutu, arroz e couve, salada de batata ou arroz de lentilhas), além dos bolos de carne com arroz de lentilha.

Só saímos de lá porque fechou!
Ele é um bar comportado, sabem? Só fica até meia-noite.


Bar Alemão, entradas alemãs!

Quadros do artista plástico Jorge Selarón, que foi encontrado morto recentemente.

Ambiente simplão, mas funcional!

O balcão é uma atração à parte

Tomamos uns chopps e algumas águas, que a essa altura, já se faziam necessárias...

Por uma falha gravíssima minha, perdi o nome do Garçom que está na foto. Ele tem 40 anos de "casa" e como muitos outros pelos quais eu sou apaixonada, faz o famoso alicate para servir a comida!

Fachada do Restaurante

Uma tranquilidade... Nem parece que lá fora tava "pegando fogo".


Pedimos uma porção individual de bolo de carne. Comem duas pessoas tranquilamente.
O prato clássico é com arroz de lentilhas, mas por causa do maridão, que não come feijão e seus parentes, trocamos por arroz branco.
O arroz é daqueles de botecão mesmo, com os grãos grandes, soltos e não muito moles. Gosto bem!

Podem acreditar, mas a Lapa estava desse jeitinho aí, completamente lotada, um calor e um completo desespero.
Não, não é legal quando está assim!


Bar Brasil, Av. Mem de Sá, 90. Lapa, Rio de Janeiro.
(21) 2509-5943