Pular para o conteúdo principal

Diletto inaugura Flagship




A esquina da Alameda Lorena com a Rua da Consolação, nos Jardins, em São Paulo, ganhou um sabor mais do que especial. A Diletto, marca de sorvetes gourmet com matéria prima italiana, acaba de inaugurar no local sua primeira Flagship.

Em pleno momento de expansão no Brasil, e com apenas 4 anos, a Diletto apresenta ao público sua loja conceito que traz novidades, produtos e equipamentos totalmente selecionados, como a máquina Cattabriga, sofisticada e tradicional na produção de sorvete , que utiliza o mesmo método desde a década de 20, além do cardápio de picolés e cups produzidos e comercializados atualmente pela empresa.


Projetada pela internacional Rocco Vidal  + PW, a decoração do espaço foi inspirada na Itália e traz uma leitura moderna e sofisticada. Entre os diferenciais, destaca-se o espaço consigliere, uma área vip no segundo piso da loja restrita a convidados, eventos, encontros  e degustações  que ficará  aberta ao público aos finais de semana.

Outro serviço exclusivo da loja é a customização de sorvetes, que possibilita ao cliente degustar os sorvetes gourmet da marca acompanhados de coberturas exclusivas em porções individuais distribuídas em pequenos potes de vidro, a exemplo do sorvete de Vanilla com favas de Madagascar, que poderá levar cobertura de pêra cozida no vinho Barolo ou mel com trufa branca.

Os parceiros da Diletto neste novo projeto foram estrategicamente selecionados, levando em conta a sinergia com os valores e conceitos da marca, seja pela tradição italiana, processo de produção artesanal ou até mesmo na excelência e qualidade de seus produtos. O chef Salvatore Loi, maior referência de gastronomia Italiana no Brasil, é o responsável pelos salgados. Os chocolates da Baratti & Milano,marca tradicional italiana, que o Rei Vittório Emanuele II concedeu o uso de seu brasão de armas, como "fornecedor da Casa Real", também está presente no Brasil, exclusivamente na loja Diletto, além da Lavazza, uma das mais importantes torrefadoras de café no mundo, líder de mercado na Itália.

Atualmente, a Diletto fatura R$ 25 milhões anuais e se propõe a mais uma meta ousada: o projeto de internacionalização que será colocado em prática nos próximos cinco anos. A ligação entre o tradicional e a inovação é uma forte característica da empresa que já conta com mais de 2000 pontos de vendas no país e quiosques espalhados pelos melhores shoppings de São Paulo, Rio de Janeiro e Brasilia.


Serviço
Flagship Diletto
Endereço: Al. Lorena, 1969 (esquina R. Consolação) – Jardins
Horario de Funcionamento: seg - sábado - 10h às 22h/ dom - 12h às 20h
Cartões: Todos (debito e credito + Visa Vale)
Estacionamento no local – R$ 15,00
Capacidade: 92 pessoas
Telefone: 11 4371.4454

Sobre a Diletto

La felicità è un gelato (a felicidade é um sorvete) – com essa frase, o Nonno Vittorio Scabin resumia toda a sua dedicação ao Diletto, um sorvete artesanal, feito de frutas frescas e neve. O ano era 1922 e o local, o pequeno vilarejo de Sappada, região do Veneto. O cuidado no preparo e na seleção dos ingredientes naturais fazia do Diletto um sorvete delicioso e saudável. Entretanto, veio a Grande Guerra e Vittorio viu-se obrigado a deixar sua Itália e a construir uma nova vida no Brasil. Hoje, quase um século depois, a tradição continua pelas mãos de seus netos, que uniram as evoluções da indústria às sutilezas do processo artesanal desenvolvido pelo nonno. Diletto: este é o legado que Vittorio Scabin deixou para seus netos, que mantêm a mesma dedicação, perfeccionismo e paixão fundamentais para transformar simples picolés em raras e deliciosas porções de felicidade.



Diletto


Fonte: Index- Estratégias de Comunicação

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Patinhas de caranguejo ao molho vinagrete

O vinagrete do jeito que eu gosto...

Ingredientes
1Kg de patinha de caranguejo (de preferência do Maranhão, hehe) 2 tomates maduros 1 cebola 1 pimentão verde (que pode ser o da sua preferência) 1 maço de cheiro verde (se você preferir) ou apenas cebolinha 2 limões Sal Azeite para temperar
Modo de preparar
Afervente as patinhas em água com umas pitadinhas de sal. Veja bem, aferventar não é ferver. Basta abrir fervura e elas começarem a ficar cor de rosa, é pra tirar do fogo. Reserve e deixe esfriar. Se ficarem muito tempo no fogo elas ficam duras e na verdade elas devem ficar macias. Após lavar os legumes, corte em pedaços uniformes e bem pequenos, assim como o tomate (que é uma fruta). Para mim, quanto menor, melhor. Misture todos os legumes cortadinhos num bowl, tempere com o suco do limão, sal e bastante azeite. Acrescente um pouco de água filtrada para dar um pouco mais de molho ao vinagrete. Arrume as patinhas num refratário deixando-as com o "cabinho" pra cima. Dessa forma fica mais f…

Raposa, MA - passeio náutico que vale a pena!

Em meio às férias, resolvemos passear de barco pela Raposa, município da área metropolitana da Ilha de São Luís.
O município é pequeno. Grosso modo, deve ter por volta de 35 mil habitantes no máximo.
Tem uma cultura pesqueira muito interessante e também é um polo rendeiro de destaque em São Luís.

A cidade em si, não é muito atraente. São ruas estreitas, com casas, em sua maioria, de madeira, que lembram palafitas, no sentindo mais geral do termo.
Percebe-se a falta de saneamento básico na cidade e uma certa desordem urbana. Basta para isso, percorrer suas ruas para entender do que estou falando. Banheiros improvisados próximos aos mangues e muito lixo acumulado nas ruas e entre as casas é um dos retratos mais gritantes ao darmos uma volta perímetro urbano.

A Raposa surgiu como uma colônia de pescadores, com início na década de 40 do século passado, por pescadores vindos do Ceará e rapidamente tornou-se um reduto cearense, com as mulheres rendeiras desenvolvendo seu trabalho e os pesc…

Óleo composto de soja e oliva. Não caia nessa!

Esses óleos compostos que tanto enganam os comensais espalhados por ai foram feitos para cozer, não para derramar em cima do prato pronto! Foram criados como uma alternativa para quem está com o orçamento apertado ou não tem costume de cozinhar com azeite de oliva.  Para um prato refogado, por exemplo, fica muito saboroso. O problema é que pelo fato de ser mais barato, os donos de alguns restaurantes de segunda, terceira, quarta e quinta categoria substituem o tradicional azeite por esse composto e a turma desavisada, derrama com gosto em cima do prato. Uma maldade! Vejo o povo jogando em cima da salada, sendo que em todos os compostos, 95%  é de óleo de soja e apenas 5% é de azeite (não extra-virgem!). Esperteza do restaurante que ganha por um produto de qualidade inferior e lerdeza do consumidor que não lê o que está consumindo. O consumo de azeite no país tem crescido assustadoramente, à proporção que  a gastronomia ganhou status de ciência e o poder aquisitivo da população melhorou.  De…