terça-feira, 4 de dezembro de 2012

Cirandinha, um clássico carioca em Copacabana.


Tudo começa com uma fachada charmosa de arrepiar.
Quer mais? Nela está escrito "Salão de Chá".

É entrar e passar por uma cápsula do tempo onde você cai num típico salão de chá, confeitaria e restaurante dos anos 50/60.
A decoração é simples, mas mantém uma aura retrô muito forte que deve ser porque tudo que ainda está lá, é do tempo da inauguração do restaurante, e não, colocado lá para compor o salão.

As mesas e cadeiras tem um design lindamente antiquado e os garçons, juntamente com essa decoração, compõem um ambiente simples, mas refinado a ponto de deixar saudades nesta velhinha que vos fala.

O Cirandinha é muito tradicional. Foi inaugurado na década de 50 e mantém tudo como era desde então, inclusive os clientes, salvo um ou outro cliente saudosista que chega de supetão, como foi o nosso caso.

Entramos num domingo para almoçar e foi uma viagem no tempo sem descrição. Se somássemos as idades dos frequentadores naquela exata hora, daria uns dois milênios fácil, incluindo aí os garçons septuagenários bons de prosa.
As mesas estavam cheias de senhorinhas arrumadinhas com colares dourados e cabelinhos na escova e senhorinhos de blazer e calça social, uma delícia de ver!

Tudo que ali está, é autenticamente antigo, exceto as máquinas de café e de refrigerante que estão localizadas na entrada, juntamente com alguns acessórios culinários num balcão próprio para lanches e café da manhã.

No Cirandinha ainda é possível encontrar clássicos culinários como banana split e sundae, que foram sumariamente descartados nos nossos cardápios. O cardápio, a propósito, é vastíssimo, causando uma confusão na cabeça digna de restaurante bom, onde você fica em dúvida, porque tudo é gostoso.

Descobrimos sem querer esse recanto saudosista e acho que essa descoberta valeu toda a viagem! Pena eu não ter levado nossa indefectível máquina para registrarmos tudo como o Cirandinha merece.
Registramos o que deu via celular (que não tem uma boa resolução) simplesmente porque não conseguiria descrever com riqueza de detalhes nossa experiência.


O Cirandinha fica na movimentada Avenida Nossa Senhora de Copacabana e é bem possível que você não dê a menor pelota pra ele ao passar na calçada.

Fomos tomar café também. Dá pra imaginar um lugar em que o atendente põe um guardanapo de tecido no balcão?
E que o chocolate vem em dois bules de inox, um com chocolate bem forte e outro com leite bem quentinho?






Não tínhamos ideia do que pedir para celebrar aquela descoberta.
Eu queria batatas portuguesas desde sempre, porque vi que em quase todas as mesas tinham, então imaginei que seria um clássico local.
Maridão pediu o creme de milho e optamos por um frango para não complicar a digestão.
Eu J-A-M-A-I-S comi um creme de milho tão bom. Até hoje sinto o doce do milho na boca...
Acertamos em cheio na pedida!


Cirandinha
Av. Nossa Senhora de Copacabana, 719.
Rio de Janeiro



Dedico a todos aqueles, que como eu,  amam aquilo que já passou, embora curtam bem os tempos modernos...

Um comentário:

Anônimo disse...

Sempre fui fã de um prato praticamente inexistente no Rio de Janeiro. Refiro-me
ao Chicken Pie. Meio frango ensopado com batatas noisete, legumes uma fatia de
presunto e petit pois, cobertos por uma capa de de massa de empadão. Tudo levado ao forno e bem temperado.
Fui apresentado a este prato na década de 60 em um restaurante no Centro do Rio, denominado Ernesto, era situado na rua do Rosário. Este prato já não existe mais. Passados tantos anos tive a grata satisfação de reencontrar esta delícia, somente
no CIRANDINHA e me veio à mente que toda quinta-feira era a minha comida obrigatória
no antigo Ernesto. Quero dar meu testemunho, pois este Chiken Pie do CIRANDINHA, não
fica devendo absolutamente nada ao antigo Chiken Pie que eu conheci. É uma pena que eu não more em Copacabana, pois em toda terça-feira eu estaria me deliciando com este
delicioso prato. Parabéns ao CIRANDINHA. Apesar do anonimato meu nome é Sergio.