domingo, 30 de setembro de 2012

Waffle de Domingo







Domingo é um dia preguiçoso.
Não costumamos fazer grandes jantares aqui por casa. Preferimos usar o tempo pra ficar rolando no sofá reclamando da programação televisa, é claro!
Hoje para garantir a preguiça no sofá, esquentamos os Waffles que tínhamos comprado.
Mel, creme de amendoim, requeijão, creme de avelã, dentre outros, eram as possibilidades da mesa. O da última foto está com mel.
Delícia!

sexta-feira, 28 de setembro de 2012

Paçoquinha Amor e o conforto de casa


A Paçoquinha Amor é muito simbólica mesmo...
As cores, o nome, a embalagem retrô e sua tradição representam muito no imaginário popular.
Não sou muito de paçoca, sabem? Acho que somando todas que comi ao longo da minha vida o número não chega a dez unidades. Em compensação Maridão adora e há sempre as tais guloseimas lá pelo apzito.
Sábado passado fomos na chocolândia ver uns supérfluos "úteis" e compramos essa caixinha.
Acho linda a combinação de cores e sempre que pego uma para dar para alguém fico com a sensação de que estou entregando um buquê de flores...

Como hoje é sexta-feira e estou muito cansada, a sensação de ver as paçoquinhas me conforta. Elas tem cara de lar-doce-lar, de calor humano... de amor!

Sei que chegarei em casa daqui a pouco e ao abrir o armário elas estarão lé embelezando tudo...

Uma sexta maravilhosa e um final de semana cheinho de amor pra você!

quinta-feira, 27 de setembro de 2012

Novo congelador Kibon. Adorei!



Talvez o clima desses dias não seja o mais indicado para tratar do assunto picolés, sorvetes e similares, já que é a última coisa que alguém aqui por São Paulo deva estar pensando em saborear, mas quando vi esse novo congelador da Kibon, achei o maior barato!

É o tipo de coisa que você vê e se pergunta: Porque não antes? Aquele congelador quadradão, antiquado, cartesiano, cafona, já era, né?  

As formas mais arredondadas e os produtos dispostos em andares dão um ar mais clean tanto à marca quanto aos deliciosos picolés.

Taí, gostei!

domingo, 23 de setembro de 2012

O Lollo está de volta. Êba!


Bom, fomos numa loja especializada em artigos retrô, que todos sabem, amo.
Foi só ver essa caneca do velho chocolate Lollo pra eu segurar e não largar mais.
Acho que é o único chocolate (do meu tempo), que tenho saudade!
Aprofundando um pouco essa coisa de "meu tempo", os chocolates que comíamos eram os da Nestlé, Lacta ou Garoto. Não existia essa profusão se marcas que existem hoje e, principalmente, não tínhamos a facilidade de experimentar chocolates importados. Os artigos de luxo demoravam muito a chegar em São Luís, é claro.
Dos chocolates mais populares que pude ter acesso, o Lollo era o meu preferido! Macio e fofinho, representa muito na minha memória afetiva... Coração se alegrou!

Esta semana maridão mandou um link  que falava que a Nestlé tinha voltado a fabricar o Lollo e claro, fiquei toda prosa. Achei um barato a coincidência da compra da caneca com a volta do chocolate...

Um amigo do maridão comprou alguns e mandou um pra mim. Agora tô com dó de comer!

Guia de culinária OGRA - São Paulo



Pois é, como tinha falado aqui, Nossa Senhora das Gulodices permitiu e eu dei uma passada rápida no lançamento do Guia do Barcinski.
O livro, com o perdão do trocadilho, é uma delícia! Tem aquilo que eu e o maridão gostamos: dicas de lugares bacanas, com comidinha honesta, mas com uma pegada de pé sujo. Tudo bem, tudo bem, tem lugares que ele cita que não tem nada de pé sujo, mas aí entram as questões preço, qualidade da comida, ambiente e até um critério muito pessoal e totalmente subjetivo, que levamos em conta por aqui: o fato de você se sentir bem no lugar...
Tem alguns lugares na Mooca que frequentamos bastante e outros vários que frequentamos pelo centro da cidade. É ótimo ler sobre um lugar que você conhece. Você sorri, lembra de alguma coisa, discorda, concorda e fica todo feliz!

O lançamento estava marcado para às 19h e desde às 18h35 eu já estava por lá de olho nele.
Fui a primeira da fila! Batemos um papo rápido e até deu para o maridão tirar essa fotinho!
Que seja um sucesso!
Estamos aguardando as próximas edições.

quarta-feira, 19 de setembro de 2012

Comidinhas de casa


A comidinha da foto é a típica comida das noites de segunda a quinta no apzito.
Além de tentar minimizar os exageros do final de semana e os almoços fora de linha nessa fase de muito trabalho, temos tentado manter o "foco verde" nos jantares.
Tenho chegado depois do maridão todos os dias e dia sim e outro não, rola uma surpresinha boa (ôba!).
Essa saladinha com toque de marido foi essa semana!
Fiquei com a maior dó de comer os coraçõezinhos de peito de peru...
Deixei por último, hehe.



(Continua...)

Domingo amanheci com uma saudade danada de um beiju da minha vó e fiz alguns aproveitando a tapioca que ainda tenho e para inaugurar um pote de manteiga novinho vindo do Maranhão.
No Maranhão, beiju é beiju! 
Tapioca é o nome vulgar dessa iguaria do Ceará pra baixo (geografica e politicamente falando).
Não há registros históricos em São Luís do Maranhão de que a massa de tapioca úmida e quente transformada em uma goma em forma de disco, fosse recheada com carne seca, queijo coalho, doce de leite e afins. 
Essa tradição é coisa do sertão do Brasil incorporada por alguns estados do Nordeste.
No Maranhão, a tapioca (insumo usado para fazer o acepipe) tem uma textura diferente. Não é grossa nem fina, é "meio termo" e por isso mesmo, diferente do que é vendido nos outros estados do Nordeste.
Beiju para nós é meio durinho, quase crocante e com manteiga! De uns tempos pra cá, com a fusão das tradições culinárias no mundo, é que se encontra fácil barracas de "tapioca" por São Luís com recheios de frango com catupiry (a maior insanidade gastronômica na minha opinião), calabresa, coco ralado com leite condensado, etc, mas garanto: antes, beiju era assim: com manteiga!
Antigamente, os pobres eram pobres, mas comiam manteiga, vejam vocês. Margarina é coisa recente, embora mais barata.
Pobre antes comprava a granel, mas comprava usando unidades de medidas muito diferentes: uma, duas colheres, meio copo de manteiga, etc. 
Lembro de ter ido muito comprar 4 colheres de manteiga no "Seu Baduca" no interior. Voltava rápido com a minha porção enrolada num papel manteiga para que vovó pudesse lambuzar meu beiju quentinho...

Fiz os beijus, melequei metade da cozinha e fiz um chocolate quente para experimentar um pote de chocolate Cacau Show que comprei.
Aí foi só salpicar canela e correr pro abraço!



A minha família até hoje só come manteiga. [Ok, sem discussões acerca de saúde, colesterol, trans e tal]
Além dos hábitos alimentares "gordos" da família, as manteigas vendidas no Maranhão são diferentes. São mais salgadas, é verdade, mas mais cremosas, mais amarelinhas e mais saborosas.
A manteiga da foto não é a que mais gosto, mas comíamos sempre lá em casa. Também é muito gostosa.
Comparando com as mais famosas vendidas em São Paulo, de latinhas, ainda assim, a Itacolomy é muito melhor!

O café da manhã foi com gosto de casa de vó e com lembranças de mãe...
Ah, o charme? Ficou por conta da minha caneca de ágata que amo muito!


Guia da Culinária Ogra do Barcinski


Nesta quinta-feira o Barcinski lança essa belezura aqui. Se Nossa Senhora das Gulodices deixar, darei uma passada  lá pra garantir o meu!
Adoro ele, o que ele escreve e o que ele acha das amenidades da vida. 
Pena ele não gostar de reggae, mas maridão também não gosta e eu amo mesmo assim, né?

Para quem quer saber mais dele, basta clicar aqui!








Sete por doze

Sempre que demoro a atualizar o blog, volto meio sem saber por onde começar. É tanta coisa pra contar, pra mostrar, pra compartilhar, que ave maria!
Quando demoro muito, você já sabe: me embananei com trabalho!
Estamos à beira do maior evento de turismo do continente americano - a Feira de Turismo das Américas - que acontece no Rio de Janeiro de 24 a 26 de outubro e estou trabalhando praticamente 7 dias por semana beirando 12 horas por dia.
Um evento desse porte e com essa magnitude transforma a vida das pessoas mesmo. A vida social e particular ficam um tanto comprometidas em função da missão de realizar um ótimo evento.
É isso. Estou imbuída em dar o máximo de mim para essa  experiência inédita na minha vida, que é estar nos bastidores de um evento que sempre participei como visitante e expectadora.
Aliás, estou vivendo um momento também inédito - desenvolvendo um trabalho diferente e aprendendo como nunca. Quer dizer, como nunca não, sempre aprendi em todos os lugares que trabalhei e tenho comigo as coisas boas dos meus antigos chefes, mas considero um momento único o que vivo atualmente: estou desempenhando uma função nunca antes pensada, trabalho com pessoas de diferentes lugares e de idades muito diferentes e com um número excessivo de chefes, ou seja, ou me aperfeiçoo mais ainda ou enlouqueço de vez!
Por enquanto, acredito na possibilidade de me aperfeiçoar, vai...

Para você que ainda não conhece o evento que estou falando, clica aqui e aproveita pra fazer sua inscrição  e não ficar fora dessa!

No mais, desculpem o transtorno, mas estamos trabalhando para melhor atendê-los!

Inté,

terça-feira, 11 de setembro de 2012

João de Barro: casa própria, exibicionismo e poesia



O bom da vida são as surpresas que de vez em quando se apresentam para nós!

É maravilhoso saber que a cada dia você tem novas possibilidades e que a qualquer momento, você pode se deparar com algo inusitado e lindo.
Vejam só o João de Barro: faz seu lar em qualquer espaço que Deus dá e mora lindamente numa casinha própria, feita com seu esforço.
Não precisa de luxo, de decoração ou mesmo utensílios da moda.
Simplesmente vive e faz da vida de quem o vê, uma poesia.
Simples assim.
Ficamos parados observando por alguns instantes a casinha acima.
De repente, seu dono, o "aparecido" João de Barro, saiu, estufou o peito, posou para a foto e voltou para seu recanto sem a menor cerimônia. Achamos muito engraçado!

Mas quem disse que a vida pra ser poética, não pode ter uma pitada de exibicionismo, não é mesmo?

Bom dia!


Endereço do João de Barro acima:
Árvore à direita de quem desce a rampa em direção à Rua do Hipódromo na estação Bresser-Mooca.
Mais ou menos, 5º andar...
Fotos: Italo Genovesi

segunda-feira, 10 de setembro de 2012

5 anos de Blog!!!

Hoje o Blog faz 5 anos!
Queria muito muito fazer alguma coisa para comemorar tanta coisa boa que ele me proporciona.
Queria também ter feito uns brindes, como nos outros anos, mas não deu!
Estou com a cabeça em outras questões e o tempo, esse safado, vai engolindo a gente. Quando você se dá conta, está mais velha e deixando de fazer alguma coisa importante ou mesmo usando o tempo livre para outras atividades ditas prioritárias.
Foram muitas coisas boas, muitas ideias trocadas, muitos comentários bacanas, muitas críticas e muita informação sendo compartilhada!
Espero que vocês continuem gostando do que escrevo e do que divido.
É sempre pensando no que gostaria de ler que escrevo.
A razão desse espaço existir, é você passar diariamente e dar uma olhadela rápida, mesmo não deixando comentário, já que está caracterizado que meus ociosos não são muito afeitos a essa prática (ou não!).
Muito obrigada por tudo.
Meu coração está em festa.
Minha vida também!

Inspiração para nossa logomarca!

Marca: Paulinha Alcoforado

Espagueti ao alho e óleo com polvo enlatado.

Parece mentira o que vou dizer, mas andava com muita vontade de comer espagueti! Sabe assim um espagueti ao alho e óleo, al dente, com cheirinho de comida boa?
Pois bem. Disse que parecia mentira porque mamis não acredita. Ela acha que pela influência "italo-paulistana" do maridão, a gente aqui só come massa.
Mas a verdade é que comemos pouca massa, bem pouca!

Augusto, amigo querido, que passou uns dias no apzito recentemente, trouxe de Portugal umas iguarias boas de experimentar: polvo em lata, vinhos e lulas recheadas.
Usamos o polvo primeiro porque o maridão gosta mais!
Como temos massas integrais em casa para essas eventualidades, aproveitamos para matar a minha vontade com uma receitinha rápida e fácil!
Maridão fez al dente, com bastante alho e azeite (do jeito que gosto) e salpicou um queijinho pra dar uma cor.
Uma latinha de polvo em conserva é uma porção individual, mas dividimos para a coisa ficar leve.
Delícia!



A marca Vasco da Gama é um barato, né?
Mais português, impossível!




Não satisfeita com o alho no tempero, ainda salpiquei alho frito por cima...
Sim sim. O hálito não ficou lá essas coisas...

domingo, 9 de setembro de 2012

Cenas de feriado prolongado

Centro Cultural São Paulo
Jardim do Centro Cultural: tinha gente tomando sol!


23 de Maio tranquila

Praça da Sé: cheia de turistas, sem teto, grupo gospel e toda a possibilidade de gente, hehe.


Detalhe da Catedral da Sé: fomos falar com o chefe...
Comprei coisinhas "quem disse, berenice?"

Eu rindo de mais uma passeata em São Paulo

Tomando uma cervejinha na Paulista nos deparamos com mais uma passeata.
Nunca sei como elas se formam, como as pessoas ensaiam as musiquinhas, e principalmente, como elas acabam e qual a consequência prática delas, mas que elas existem, existem!

Pelo que pudemos perceber, era o Kassab o alvo principal dos xingamentos...

Consequentemente, o trânsito em uma das principais ruas da cidade ficou assim...

Para um feriado, uma ótima programação, não?

A fila da exposição do Caravaggio se misturou à passeata e ficou uma confusão só.

Invernão de araque

Ciclofaixa funcionando e um banco emprestando bikes. Ê São Paulo!
Fomos ver o Pedro Luís, sem a Parede dessa vez. Foi no SESC naquele esquema campeão de comedoria.
Achei muito honesto o preço e o tipo de show.
Fotos em show [e de celular], vocês sabem, ficam sempre muito ruins. Não levamos a máquina porque é proibido nessas ocasiões.
O show foi muito bacana, aliás, o Pedro Luís é muito bacana! Levei meus cd's do Monobloco e o Vagabundo, com o Ney, além do que comprei na hora, para ele autografar. Tirando a foto que ficou horrorosa, a noite foi maravilhosa!


sábado, 8 de setembro de 2012

Parabéns São Luís!



São Luís aniversariante... resistes porque és forte. Porque teu povo é a tua redenção...
Parabéns por ser tão carinhosa e vibrante com teus visitantes e ser uma mãe de muitos braços para teus habitantes.Acordo e durmo com você em meu coração, mesmo sabendo que tens necessidades mil.Tua história se faz presente na história do Brasil e em teus filhos espalhados pelo mundo...Parabéns.

quarta-feira, 5 de setembro de 2012

Páteo do Colégio - aqui nasceu São Paulo













Registros feitos num sábado romântico.
Pátio do Colégio: visita obrigatória para quem quer conhecer a história da fundação da cidade.
Espaço que abriga prédios históricos lindos e a maioria bem preservados.
Boa dica!


Fotos: Italo Genovesi

segunda-feira, 3 de setembro de 2012

Impressionismo: Paris e a Modernidade - impressionante é o tamanho da fila!


No Centro Cultural Banco do Brasil - CCBB está em cartaz a exposição Impressionismo: Paris e a modernidade.

Faz tempo que nosso amigo Macário nos indicou. Ainda não tínhamos tido a oportunidade de chegar por aquelas bandas, mas no sábado passado fomos lá na tentativa de enfrentar a fila, que corria a boca pequena, durava 1h30 de espera.

Chegamos pela XV de novembro e já avistamos de longe uma muvuca "meio organizada" por um separador de fluxo. Ok, achamos que bastava aquela para podermos ver as maravilhas impressionistas, mas que nada!
Depois dessa fila, ainda tinha outra e depois, na frente do Centro Cultural, mais uma e essa sim, bem gorducha!

"Impressionante o tamanho da fila", é o que todo mundo pensa ao avistar tamanha curiosidade do povo paulistano e do Brasil, já que vimos no jornal que tem vindo gente de todos os estados do Brasil para ver as obras de Renoir, Manet, Gaugin e outros gênios.

Uma pena que não tenhamos conseguido ver. Ainda estamos estudando alternativas para ver se conseguimos entrar. Vai ter inclusive "virada impressionista" para tentar atender a tanta gente. Achei muito bacana a ideia de 24 horas de centro cultural aberto para visitação.
Por enquanto fica o meu lamento artístico e impressionista!