segunda-feira, 27 de agosto de 2012

Fanta Maracujá: parece suco de pacotinho!


Comprei Fanta Maracujá para experimentar.
Sabe suco de maracujá de pacotinho? Pois bem, basta acrescentar gás e pronto!
Não achei ruim, mas confesso que na hora achei que o sabor não vai pegar.
Tomando por base a Fanta laranja, que tem um sabor único e nada tem a ver com suco de pacote, achei que fossem criar um sabor diferenciado para o maracujá.
A cor é linda, a lata também, mas o sabor nem tanto...



quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Histórias de assombração


O papo sempre estava bom, mas a luz piscava a primeira vez e nos alertava sobre a hora de voltar pra casa. Dali a pouco, viria uma segunda piscada para que todos nos apressássemos e em menos de dez minutos chegássemos em casa. Adolescente sente muito medo de escuro e eu e minha turma, não éramos diferentes.
Embora a cidade fosse muito pequena e as ruas não muito largas, a atmosfera rodeada de lendas e de mistérios transformava o caminho de 5 minutos entre a praça da igreja e a casa de vovó em uma estrada longa e assustadora. Eu, a maioria das vezes, voltava com passos rápidos e com aquela sensação do medo vindo atrás, que só acaba com o fechamento da porta e a lamparina acesa nas mãos.

As noites em Miritiba tinham um céu incrível. As estrelas e a lua não tinham vergonha de nada e nos presenteavam sempre com cenas de cinema. A luz elétrica só funcionava das 18h às 22h e por volta das 21h45, começava uma sequência de três piscadinhas que anunciavam o fim do expediente do “motor”. A essa altura, já tínhamos ouvido muitas histórias de assombração e lendas, que nossas cabeças fervilhavam de tanto medo.

O “Bronca” era o cúmulo da mitologia humbertuense!  Onde já se viu existir um homem que se transforma em bicho? Pois em Miritiba, existia! Tirando o Professor Astromar que virava lobisomem em Asa Branca, cidade fictícia da novela Roque Santeiro, só o Bronca tinha um papel tão assustador em uma cidade.
E era fácil encontrá-lo pelas ruas vagando em noites escuras! A iluminação pública da cidade hoje é um absurdo de ruim, mas naquela época era muito pior e isso contribuía sobremaneira para que a volta para casa depois da missa fosse um completo terror, agravada pelo fato das ruas serem de areia e as galinhas, os porcos e os jumentos terem completa liberdade para andarem soltos pela cidade. Se o “bronca” virava bicho, qualquer um daqueles animais pastando sob a meia luz, poderia ser. De longe eu avistava qualquer coisa se mexendo e o meu coração palpitava de pavor. Corria léguas para não passar perto de nenhum animal à noite.

Estando em casa, aconchegada numa boa e confortável rede, a coisa só poderia ficar pior quando a temida “rasga mortalha” passava em cima de nossas casas com seu barulho assustador e anunciava a morte de alguém por aquelas bandas.

A combinação de noites sem energia elétrica, luz de lamparina iluminado pouco em casa e o medo natural que eu sempre tive do escuro, fantasmas e lendas, transformava aquelas férias em momentos muito marcantes, que hoje posso definir como felizes e ao mesmo tempo aterrorizantes, já que durante o dia eu tinha momentos de puro prazer e euforia e à noite lapsos de terror e medo agonizante.
Não tinha medo maior para mim quando o sol se punha e a escuridão tomava conta de todo o quintal. Nos fundos da casa da vovó ainda hoje corre um braço de rio com um farto mangue. Era lá que morava o “assoviador”!

Quando ouvia aquele assovio estridente, chegava a arrepiar, e embora vovó dissesse que era invenção do povo, o meu medo não dava ouvidos. Eu só conseguia transitar tranquilamente entre o quarto e a sala e assim meio de lado, para não ter que virar para a cozinha e ver o escuro do mangue. Em noites de lua cheia, a coisa era pior e lembro-me de um dia ter ouvido o pavoroso assovio e ter entrado com tanta rapidez em casa, que deixei minha havaiana do lado de fora da porta. Só recuperei meu querido chinelinho na manhã seguinte, ainda emborcado de tanto medo.

Todo o terror vivido por mim nesse período poderia ser amenizado, se a minha mãe fosse uma mulher corajosa para escuros e assombrações. Ela me acalmaria, me ensinaria que essas coisas são bobagens e me mandaria rezar o velho e bom “Santo anjo do Senhor...”, mas não! Mamãe tem a capacidade de ter mais medo que eu e foi vendo seu comportamento de pânico em relação à “mão cabeluda”, para que eu também criasse mais essa para a minha cabeça.

No interior, naquela época, as casas tinham uma arquitetura própria, com espaços entre o fim das paredes e o telhado. Ao mesmo tempo em que entrava um ventinho fresco à noite, entravam vários bichinhos e porque não, a mão cabeluda?
Mamãe não podia olhar para o vão no escuro que achava que viria uma mão cabeluda, sem um braço e sem um corpo - se é que você parou pra pensar nesse detalhe – para nos fazer algum mal e foi embalada nessas e muitas outras histórias de assombração, que vivi minha infância e adolescência.

Como num passe de mágica, os medos só sumiam quando eu voltava à minha vida de garota da cidade e retomava a minha convivência com desenhos animados, amiguinhos da escola e Barbies.
Imagino que quase nenhum dos adolescentes humbertoenses hoje saibam de histórias como essas, mas de uma coisa tenho certeza: eles jamais terão lembranças tão gostosas!

Jornal Cazumbá, set, 2012.

terça-feira, 21 de agosto de 2012

Muffins com farinha de trigo integral


Domingão em casa.
Que tal um Muffin com recheio de chocolate?
Aproveitei e fiz com farinha de trigo integral que comprei e ainda não tinha usado em nada.
Achei que ficaram com uma cor linda, embora tenham ficado mais durinhos que os com farinha normal.
Coloquei um pedacinho de chocolate em barra dentro de cada um para amolecer no próprio forno.
Derreti mais uns quadradinhos de chocolate para por em cima e decorei com uns enfeites que tenho para essas invenções.
Assei em forminhas de papel apoiadas em forminhas de empada. 
Acho tão divertido fazer muffins!

Quer a receita? Manda e-mail que envio bem bonitinho pra você!





segunda-feira, 20 de agosto de 2012

Café da tarde com afeto!

Quando falamos para a família paulistana a programação hard core do final de semana, com visitas no apzito, imediatemente a Andréa (cunhada) disse que faria um café da tarde para ver se entrava algum açúcar  em nossos corpos, sic!
Depois de um sábado de andanças e um sambinha gostoso, paramos na casa da sogra para um bate papo e desfrutar das delícias da Andréa.
Ela preparou esse café charmoso que só de olhar, dava pena de comer, de tudo tão lindo e amoroso.

É o que sempre digo: comida e afeto - porções do mesmo prato!






domingo, 19 de agosto de 2012

Amigos e alegria!

Foram muitos os momentos de alegria e diversão!
Augusto, amigo que está morando em Portugal, passou por aqui e trouxe consigo sua energia contagiante, ora pois!
Desde a última quarta que estamos na rua procurando coisas, ideias e programas diferentes.
Ele foi hoje para São Luís e nos deixou muita ressaca, sono atrasado e preguiça acumulada!
Domingo em modo slow!

Aproveitamos também para dar as boas vindas a uma amiga querida: Rouse, que aos poucos também irá participar das fotinhos básicas do blog!











quarta-feira, 15 de agosto de 2012

Angostura, o bitter mais famoso do mundo!


Os bitters são bebidas aromáticas muito comuns ao redor do mundo. 
São geralmente usados para compor drinks e coquetéis. São feitos de flores, frutos e cascas maceradas em álcool neutro. 
O Campari [só ele é assim], é um bitter de quinino, por exemplo.
O mais famoso bitter do mundo é a ANGOSTURA.
É indicada para dar sabor e realçar ingredientes.
Deve-se usar em gotas, já que apenas realça o componente principal do seu coquetel e é bastante amarga. Leva esse nome em homenagem à região em que é produzida em Trinidad e Tobago na América Central, muito famosa com produzir bebidas fortes e aromáticas.

Em Cuba, diversos drinks levam Angostura e só nos atentamos para trazer alguns vidrinhos de lá, em nossa última noite e acabou não dando tempo.
Em São Paulo, penamos para achar. Achamos apenas no mercadão e na Casa Flora, importadora que fica na Zona Cerealista. Compramos na Flora pois estava num preço mais amistoso.

Agora posso bater no peito e dizer que o digníssimo apzito possui em seu acervo, uma autêntica Angostura!
Meus mojitos nunca mais serão os mesmos...

Na Gastronomia os bitters também são bastante utilizados em pratos que contenham sucos de frutas ácidos, sobremesas meio amargas e entradas exóticas para estimular o apetite...

terça-feira, 14 de agosto de 2012

Apzito recebe hóspede

Faz tempo que o apzito não recebe hóspedes ilustres.
Amanhã chega um meio importado-meio regional, já que é maranhense, mas tá morando em Portugal.
Vem passar uns dois dias, se "aclimatar" e matar a saudade.
Estou com saudade e embora não tenhamos uma feira pra tomar cerveja, como nos velhos tempos, termos uma infinidade de possibilidades nessa terra sem tamanho.
Vai ser uma semana de alegria e de farra, se Deus quiser!

domingo, 12 de agosto de 2012

Saladinha com apenas 6 ingredientes!


São 6. Veja bem: 6 ingredientes!
E o melhor: são ingredientes que você muito provavelmente costuma ter em casa. 
São: tomate, abobrinha, sal, pimenta, azeite e orégano!
Estou evitando saladas com carboidratos à noite e achei essa solução uma delícia!
Cortei em rodelas tanto o tomate quanto a abobrinha, coloquei na assadeira bem arrumadinhos, um na frente do outro, temperei com sal, pimenta, azeite e orégano e assei em forno médio por 20 minutos.



Transferi da assadeira para um prato e comi com um espetinho de frango.
Jantar leve e saboroso!



Em toda receita, há sempre algumas considerações, vejamos:

- Da próxima, ponho menos pimenta e menos orégano;
- Acho que assar por 15 minutos é o suficiente;
- Testarei com manjericão!
- Temperei com Pink Salt, um sal especial do Himalaia, mas não se abata por essa "frescurite" básica, tempere com o que você tem em casa que vai ficar delicioso!

Bom apetite!

quinta-feira, 9 de agosto de 2012

2 anos em São Paulo: valente!

O mundo anda tão louco que temos receio de falar certas coisas, com medo que o outro nos amaldiçoe com a famosa inveja, sentimento tão comum e corriqueiro hoje em dia. Tenho mil vontades, muitos pensamentos que poderiam ser externados a todo momento, porque sou assim, um tanto espontânea com ideias, causos e amigos, mas não, deixo de falar para não ser mal interpretada, mal entendida e vítima do também famoso e corriqueiro, olho gordo!
Não, não me interprete mal! Não sou assim uma Lady Gaga de famosa, nem tampouco o supra sumo da importância, mas tenho lá alguns admiradores e amigos e porque não, alguns invejosos rondando.
Os admiradores e amigos, ai que massa, existem para me deixar mais feliz e os invejosos, para dar uma equilibrada em tudo isso. Ninguém é 100% feliz o tempo todo. Sempre falta algo e sempre queremos mais.
A questão é que a vida anda, as dificuldades existem, os problemas estão dia-a-dia batendo na porta, mas tenho conseguido passar bem por todos eles, pelo menos até agora.
Mas hoje irei deixar o medo de lado e gritar que nunca fui tão feliz!
Acho que nunca estive tão plena de sentimentos.
Nunca gostei tanto de ter a idade que tenho e nunca,  nunca, pensei que pudesse estar fazendo o que estou fazendo atualmente.

Hoje, faz dois anos exatos que cheguei em São Paulo com muita expectativa e com o coração apertado de tanto medo. 
Lembro como se fosse hoje: desci do avião chorando e o na época, namorado, estava com um poema lindo, escrito com sua letra quase indecifrável... Chorei mais pelo poema que pela situação, eu acho!

Tantas novidades, tantas angústias e tanta pressão me fizeram descobrir uma vida nova, uma cidade completamente diferente de tudo que já tinha vivido e pela primeira vez, senti o peso da discriminação.
Todas essas questões não foram tão bem vindas na época, mas hoje me fazem suspirar de orgulho. Já sei o que pode e o que não pode nessa cidade. Já sei onde posso me "esticar" e onde não devo, mas gosto de viver aqui, por incrível que pareça. 
Tenho a impressão que já vivo muito mais e tenho certeza que é pela intensidade com que tudo acontece.

Aqui descobri o amor e a maravilha que é sair a pé batendo perna sem destino e descobrir um encanto em cada recanto da cidade. 
Descobri o que é ser livre.
Aqui também descobri que a ansiedade é algo maravilhoso, quando é para definir o roteiro do sábado em ótima companhia...
Aprendi a comer melhor.
A beber menos.
Virei uma apaixonada incondicional pela tradição de coisas bobas, como um simples pão italiano com fermento de 100 anos!
As facilidades de São Paulo, jamais terão em outro canto. As dificuldades, também!

Sei que tudo isso é a preparação para um futuro ainda incerto, é verdade, mas que provavelmente também terei muito orgulho.
Tudo que sou hoje, é fruto de muita coragem. Coragem de falar, de escrever, de sentir, de me declarar, de errar, de aprender, de chorar, de trabalhar e de arriscar.
Sinto-me muito bem comigo mesma.
Valente!

Ketchup Heinz em garrafinha de vidro: chique e sustentável!


Embalagens de vidro são uma das minhas paixões.
Comprei um litro para por leite líquido, estou aos poucos trocando meus potinhos de plástico todos por vidros, e assim farei uma cozinha mais elegante e sustentável.

Sou simpatizante da ideia de que garrafas de refrigerantes voltem a ser de vidro na maioria das lojas, bares e restaurantes. Um sonho, eu sei, mas de sonho também se faz um dia-a-dia, né?
Imaginem o quanto cidades pequenas iriam ganhar sem a praga de garrafas pet e de latinhas? Ok, dá para reaproveitar e reciclar, mas já pensaram se refrigerantes, sucos, leite, e demais líquidos fossem retornáveis, e só?
Imaginem o quanto a natureza ficaria feliz?
Fico pensando se em Fernando de Noronha, por exemplo, houvesse uma lei que proibisse bebidas em latas e em embalagens plásticas. Refrigerante para turistas, só em garrafa! Cerveja? Ok, garrafa de 600 ml!
Olhem quanto eles lucrariam com isso? Como diminuiriam o problema crônico de lixo por lá e como a prefeitura iria ganhar minimizando o transporte do lixo para o continente, e o quanto a natureza se livraria de latinhas e garrafinhas ao longo das trilhas...
Penso sempre nisso. Procuro sempre alternativas a essas questões, mesmo que acabem ficando só na minha cabeça ou no máximo, despejadas aqui.
Bom, o assunto do post são embalagens e eu enfim, comprei um ketchup de vidro, coisa que eu queria há muito tempo.
Acho chique e depois posso reaproveitar, não?
A latinha foi só pra compor a foto mesmo... Ela vai virar um molhão logo logo...

bom dia!
  

domingo, 5 de agosto de 2012

Mini milho Don Pepe estragado: borbulhava como se estivesse fervendo!

Embora eu também nunca tenha visto um pé de mini milho e os considere uma mutação genética e alimentícia, gosto muito deles em saladas e ensopados.
A bem da verdade, tenho diminuído muito o consumo de enlatados, mas de vez em quando, rola uma vontade danada!
Hoje queria fazer uma salada bem refrescante e na procura na despensa, a única coisa que não tinha em casa eram os benditos mini milhos. 
Comprei e para a minha surpresa, o milho estava estragado, mesmo estando muito longe da data de vencimento.
O mais engraçado, ou melhor, estranho, foi a fermentação que aconteceu após eu abrir o pote. A água borbulhava como se estivesse fervendo. Uma coisa louca. Eu nunca tinha visto!

Nunca tinha usado a marca Don Pepe, quer dizer, eu nunca tinha visto essa marca, mas por um acaso do destino, comprei!
Estava mais barato, mas não foi só esse o motivo da compra. O tamanho dele foi decisivo, já que tudo que compro para casa, levo em consideração o tamanho e a possibilidade de reaproveitar as sobras. As outras opções do mercado eram em tamanho maior.

O tamanho do pote era médio e daria para fazer umas duas saladas e ainda daria para as "beliscadas" durante a preparação.
[você também faz uns belisquetes, enquanto cozinha, não?]

Bom, resumindo que fiquei sem mini milho e no preju e fiquei impressionada com o negócio borbulhando!




Vejam o vídeo:


Imagina isso dentro da gente?

Final de semana musical!

E assim nosso acervo vai se ampliando...



Esse bloguito aqui é fã de música!

sábado, 4 de agosto de 2012

Macarrons e Carolinas

Macarrons de maracujá e chocolate e carolinas cobertas de chocolate e recheadas com doce de leite.
Delícias e exageros dignos de reis e rainhas.
Sim, sou rainha do meu lar e o maridão é o rei do meu coração!
Simples assim...








quarta-feira, 1 de agosto de 2012

Há dias assim...

Hoje é um daqueles dias em que não acordei tão bem assim...
Estava um pouco indisposta ontem e hoje ao abrir os olhos, senti que o dia ia ser bom, (e ainda acredito nisso), mas que eu, pessoa física, estaria um tanto limitada.
Começa que acordei gorda! Não sei você, mas tem dias em que eu amanheço com uns quilos a mais! Se sentir gorda é uma das piores coisas para uma mulher, pelo menos para mim...
Também não tive paciência para escolher uma roupa decente. Escolhi a primeira e a a mais folgada que pude e estou me sentindo horrorosa.
Quando enfim fui me olhar no espelho, meu cabelo estava digno de uma máquina zero. Está sem corte, sem brilho e crescendo sem formas, com uns fiozinhos salientes pra cima, um horror!
Não me maquiei, o que significa que, de fato, a mulher que sou, não está tão bem. Uma mulher que gosta de um "batonzinho" e que sai de casa de cara lavada, é realmente um indício de que... ôô, há alguma coisa de errado!

Há dias assim...