domingo, 10 de junho de 2012

Gijo Linguiças - as melhores do mundo, mesmo!


Até você conhecer e provar as linguiças artesanais feitas pelo Gijo, sua vida vai muito bem, obrigada.
O problema, sinceramente, é que depois desse episódio na sua vida, a coisa fica muito complicada!
Explico: como comprar outro embutido que não seja lá? Como se conformar com o sabor mais ou menos das linguiças do resto do mundo?
Taí um grande problema que vivo hoje.

O Gijo fala de boca cheia que faz as melhores linguiças do mundo e você acaba concordando com ele depois de prová-las! São linguiças artesanais feitas com muito cuidado e uma técnica que ele não conta pra ninguém.
Desde 1949 ele trabalha com isso e hoje, vende uma tonelada de linguiças por mês.
Exporta para o mundo todo, tem muitos clientes vip's, mas trata todo mundo que chega lá como se fosse uma celebridade.
Eu, que não gosto de uma prosa, cheguei e não queria sair de lá tão cedo. Ele puxa conversa, conta histórias, canta, sorri e posa para fotos como um artista de televisão. Tem muita intimidade com tudo isso e parece que nasceu mesmo para fazer o que faz.
Sinceramente, poucas vezes pude ver tanto amor e dedicação na feitura de um ofício. 



As linguiças parecem pinturas.
Ficam expostas dentro de um espaço que não tem 20m², mas que de tanta coisa, parece enorme!
O espaço comporta muito bem as linguiças curadas, as frescas, antepastos, pães, fotos antigas, fotos atuais, reportagens de jornal, bebidas, santinhos, esculturas, souvenirs dos clientes ao redor do mundo e por aí vai.
O balcão toma conta do espaço quase todo e é dali que o Gijo fala, atende e deixa todo mundo encantado com suas histórias.


A variedade de linguiças é enorme.
Você que está acostumado com calabresa e toscana nos churrascos, quando muito, com um paio na feijoada, não acredita que seja possível tantas combinações para esse embutido.
O Gijo tem desde as linguiças mais comuns como calabreza, toscana, etc, mas tem também linguiças de camarão, de provolone, com uvas passas, nozes, vinho moscato, com pouca pimenta, com muita, com excesso de pimenta, com tomate seco, com ervas, de frango, com alho...

As linguiças frescas ficam num freezer transparente em bacias e você escolhe a que mais lhe agradar. As curadas, que são para comer cruas, ficam penduradas, também para você poder ver, tocar e escolher.



Italo já tinha falado do Gijo várias vezes e já tínhamos combinado de eu ir conhecer, mas a oportunidade chegou no dia que saímos com o Rapha, a Kátia e a Camila para um roteiro gastronômico bacanérrimo, que  aos poucos estou contando aqui. Eles sempre compram linguiças lá e tem a sorte de morar bem pertinho do Gijo.


Ó que sorrisão lindo. 
O Gijo posa para fotos numa tranquilidade de dar inveja. 
Enquanto estava posando, foi pegando uma linguiça e fatiando para que pudéssemos provar. Não perdeu a oportunidade e já nos ofereceu seus antepastos tradicionais: sardela, alichela, berinjela veneziana e de queijo pecorino.

Experimentamos uma linguiça que ele criou para o Natal do ano passado para ser harmonizada com vinhos. É feita com uvas passas, melão, pera, vinho moscato branco seco, nozes e mais um monte de ingredientes balanceados e combinados entre si. Gostamos tanto que compramos para ter em casa para degustar como entradinha. De sabor inigualável!
Quase não parei mais de comer.


Os antepastos também tem um sabor muito especial.
A sardela, que é muito comum em São Paulo, é uma delícia. Nunca comi uma tão saborosa. 
Compramos a de berinjela e também a de queijo pecorino, que embora muito forte, foi o meu preferido.
Fico economizando aqui, hehe.


É nesse espaço pequeno que são vendidas as linguiças mais gostosas que já provei.
Os panos no varal improvisado me deixaram mais apaixonada pelo lugar.

Agora diz: dá pra comprar linguiças em outro lugar? É ou não é um problema na minha vida?



O Gijo é muito famoso!
Tem clientes chiques como Olivier Anquier, Faustão, Alex Atala e nós, é claro!
Fica na rua Dr. Pinto Ferraz na Vila Mariana, São Paulo.

Nenhum comentário: