Pular para o conteúdo principal

Carta para Edu



São Paulo, 5 de maio de 2012.


Meu querido Edu,

Quando nos falamos pela última vez, no dia 3 de abril, você estava sonolento, cansado, mas foi muito atencioso, como sempre, embora triste. Senti pela sua voz que talvez não nos falássemos mais.
Nas últimas semanas, em duas noites consecutivas, pelo contrário, sonhei com você sorrindo, animado e falando para todos que estavas bem e curado. Comentei com você no sonho, que estávamos, eu e teus outros amigos, vivendo um pesadelo e que não víamos a hora de acordar e te ter por perto alegrando nossas vidas e nos fazendo sorrir com muita vontade.
Mas acordei dos sonhos, não do pesadelo!
O pesadelo como sempre, se intensificou com a notícia da tua partida deste mundo. Poderia haver notícia mais triste para mim, é claro, mas essa é uma das piores. Me tirou do eixo. Estou verdadeiramente desolada. Falida. Arrasada. Sem chão. Com o coração espremido. Com nós na garganta.
Você entrou na minha vida de uma forma descompromissada, sem muito querer, mas foi entrando, entrando e se fincou com raízes muito fortes, daquelas em que a gente arranca o tronco e a danada permanece lá por muito tempo ainda.
Nos conhecemos em sala de aula, fingindo estarmos comprometidos com o professor. Que mentira! Estávamos cada vez mais nos envolvendo numa amizade que para mim, foi linda, alegre, rica, perfeita. Nessa amizade, acabamos por envolver outras várias pessoas, que se transformaram numa legião de amigos, parentes e conhecidos que já não sabíamos quem tinha apresentado quem a quem.
Essa energia que nos unia me levou até você todos os dias em que ficaste no hospital, pois daqui de longe, tinha que me contentar com as notícias dos outros. Notícias que chegavam picadas, desconexas e muitas vezes, de pessoas que nem eu mesma conhecia.
Como gostaria de ter estado com você desde o começo de tudo. Como gostaria de ter te dito de pertinho que eras muito importante e que precisavas lutar mais...
Mas agora, depois de tudo acontecido, refletindo sobre o papel de algumas pessoas em minha vida, não posso ir contra o que Deus determina e muito menos sobre a tua decisão particular.

Só devo mesmo te agradecer por TUDO e por todos os momentos em que me presenteaste com tua companhia, com teus sorrisos e com o teu carinho. Quem nos conhece, sabe que tínhamos muito carinho um pelo outro e que bastava estarmos juntos para os sorrisos largos começarem a sair e contaminar o ambiente.

Sentirei falta da tua companhia. Do teu cheiro. Da tua voz. Da teimosia e até das chatices.
Porque amigo é assim: Sente falta e quer junto.
Mesmo em planos diferentes...
Fica com Deus.




As imagens de Edu e amigos foram escolhidas aleatoriamente, no fervor das emoções.
Desculpem os amigos que não estão nas fotos. Não estou bem.

Comentários

Marcelle disse…
Lindo, nêga. Como a amizade dele.
Paulinha disse…
Desde pequenos aprendemos na escola a lei da vida, aquela que nos diz que na na vida a gte nasce, cresce, reproduz (uns sim outros não, meu caso =D) e morre. Mesmo sabendo dessa verdade, não é fácil aceitarmos certas perdas em nossas vidas, perdas de pessoas que amamos, que nos fazem bem, que nos fazem sentir o prazer da vida. Talvez seria mais fácil se, partissemos antes das pessoas que amamos mas e elas, como ficariam com a nossa partida? Situação difícil mas Deus escreve certo por linhas tortas....a mais pura verdade de todas. Não quero nunca ou tão cedo pássar por essa dor da perda, da saudade, do vazio que fica em nossas vidas, em nossos corações. =/
|Força nega...o cara lá de cima vai cuidar dele agora.
Ludimila Matos disse…
Sempre que venho aqui me encho de alegria com posts sobre as coisas boas da vida. Hoje, fui surpreendida com essa notícia imensamente triste. Estou em choque. Conheci o Edu e tive a alegria de viver alguns dos meus melhores momentos entre amigos na cia dele, em sua casa, sempre alegremente cedida. Hoje estou imensamente triste. Imensamente... Força, amiga. Um alívio talvez seja a certeza de que ele não sofre mais. Um beijo
Ah, Ludimila, muito obrigada mesmo. Pelas palavras tão doces e sábias.. Valeu!
Lois disse…
Bia querida,

O Edu era uma figura cativa em seu blog, lembrei de fotos q vc já postou e vez ou outra ele aparecia nelas...e a carinha dele transmitia alto-astral puro...
Sabe tenho em mente que alguns seres passam por nossas vidas como anjinhos amados e queridos por nós...uns ficam pouco tempo, outros um pouco mais...a saudade q fica é enorme, mas ele levou consigo o seu carinho, amor e amizade tenha certeza disso...linda a sua homenagem...bj
É Lois, tens razão em tudo...Muito obrigada.
Paulinha amada, obrigada...

Postagens mais visitadas deste blog

Patinhas de caranguejo ao molho vinagrete

O vinagrete do jeito que eu gosto...

Ingredientes
1Kg de patinha de caranguejo (de preferência do Maranhão, hehe) 2 tomates maduros 1 cebola 1 pimentão verde (que pode ser o da sua preferência) 1 maço de cheiro verde (se você preferir) ou apenas cebolinha 2 limões Sal Azeite para temperar
Modo de preparar
Afervente as patinhas em água com umas pitadinhas de sal. Veja bem, aferventar não é ferver. Basta abrir fervura e elas começarem a ficar cor de rosa, é pra tirar do fogo. Reserve e deixe esfriar. Se ficarem muito tempo no fogo elas ficam duras e na verdade elas devem ficar macias. Após lavar os legumes, corte em pedaços uniformes e bem pequenos, assim como o tomate (que é uma fruta). Para mim, quanto menor, melhor. Misture todos os legumes cortadinhos num bowl, tempere com o suco do limão, sal e bastante azeite. Acrescente um pouco de água filtrada para dar um pouco mais de molho ao vinagrete. Arrume as patinhas num refratário deixando-as com o "cabinho" pra cima. Dessa forma fica mais f…

Óleo composto de soja e oliva. Não caia nessa!

Esses óleos compostos que tanto enganam os comensais espalhados por ai foram feitos para cozer, não para derramar em cima do prato pronto! Foram criados como uma alternativa para quem está com o orçamento apertado ou não tem costume de cozinhar com azeite de oliva.  Para um prato refogado, por exemplo, fica muito saboroso. O problema é que pelo fato de ser mais barato, os donos de alguns restaurantes de segunda, terceira, quarta e quinta categoria substituem o tradicional azeite por esse composto e a turma desavisada, derrama com gosto em cima do prato. Uma maldade! Vejo o povo jogando em cima da salada, sendo que em todos os compostos, 95%  é de óleo de soja e apenas 5% é de azeite (não extra-virgem!). Esperteza do restaurante que ganha por um produto de qualidade inferior e lerdeza do consumidor que não lê o que está consumindo. O consumo de azeite no país tem crescido assustadoramente, à proporção que  a gastronomia ganhou status de ciência e o poder aquisitivo da população melhorou.  De…

Extrato de tomate congelado. Pode sim!

Taí que eu não sabia que podia congelar extrato de tomate, acreditam? Perdi a conta das vezes em que deixei de fazer alguma coisinha porque teria que abrir a lata de extrato de tomate, usar uma colher de sopa e guardar [e estragar] o resto. Para minimizar os prejuízos, não só financeiros, mas de consciência também, passei a comprar aquela latinha "elefante" bem pititica. Mas ainda assim estragava metade... Agora, descobri com nossa consultora Andréa, que podemos usar o que vamos precisar e congelar o resto. Será que só eu não sabia disso? Ai que horror! Acho que dá pra fazer assim: abrir a latinha e já separar umas porções para congelar, como está mostrado na foto acima. Mas Andréa lembra: não é bom deixar muito enrugadinha porque quando você for usar, pode ser que o plástico fique difícil de tirar. Melhor deixar assim mais lisinho.
Agora vai lá fazer um macarrão e contra aqui pra gente como ficou, tá?
Inté,