sábado, 5 de maio de 2012

Carta para Edu



São Paulo, 5 de maio de 2012.


Meu querido Edu,

Quando nos falamos pela última vez, no dia 3 de abril, você estava sonolento, cansado, mas foi muito atencioso, como sempre, embora triste. Senti pela sua voz que talvez não nos falássemos mais.
Nas últimas semanas, em duas noites consecutivas, pelo contrário, sonhei com você sorrindo, animado e falando para todos que estavas bem e curado. Comentei com você no sonho, que estávamos, eu e teus outros amigos, vivendo um pesadelo e que não víamos a hora de acordar e te ter por perto alegrando nossas vidas e nos fazendo sorrir com muita vontade.
Mas acordei dos sonhos, não do pesadelo!
O pesadelo como sempre, se intensificou com a notícia da tua partida deste mundo. Poderia haver notícia mais triste para mim, é claro, mas essa é uma das piores. Me tirou do eixo. Estou verdadeiramente desolada. Falida. Arrasada. Sem chão. Com o coração espremido. Com nós na garganta.
Você entrou na minha vida de uma forma descompromissada, sem muito querer, mas foi entrando, entrando e se fincou com raízes muito fortes, daquelas em que a gente arranca o tronco e a danada permanece lá por muito tempo ainda.
Nos conhecemos em sala de aula, fingindo estarmos comprometidos com o professor. Que mentira! Estávamos cada vez mais nos envolvendo numa amizade que para mim, foi linda, alegre, rica, perfeita. Nessa amizade, acabamos por envolver outras várias pessoas, que se transformaram numa legião de amigos, parentes e conhecidos que já não sabíamos quem tinha apresentado quem a quem.
Essa energia que nos unia me levou até você todos os dias em que ficaste no hospital, pois daqui de longe, tinha que me contentar com as notícias dos outros. Notícias que chegavam picadas, desconexas e muitas vezes, de pessoas que nem eu mesma conhecia.
Como gostaria de ter estado com você desde o começo de tudo. Como gostaria de ter te dito de pertinho que eras muito importante e que precisavas lutar mais...
Mas agora, depois de tudo acontecido, refletindo sobre o papel de algumas pessoas em minha vida, não posso ir contra o que Deus determina e muito menos sobre a tua decisão particular.

Só devo mesmo te agradecer por TUDO e por todos os momentos em que me presenteaste com tua companhia, com teus sorrisos e com o teu carinho. Quem nos conhece, sabe que tínhamos muito carinho um pelo outro e que bastava estarmos juntos para os sorrisos largos começarem a sair e contaminar o ambiente.

Sentirei falta da tua companhia. Do teu cheiro. Da tua voz. Da teimosia e até das chatices.
Porque amigo é assim: Sente falta e quer junto.
Mesmo em planos diferentes...
Fica com Deus.




As imagens de Edu e amigos foram escolhidas aleatoriamente, no fervor das emoções.
Desculpem os amigos que não estão nas fotos. Não estou bem.

7 comentários:

Marcelle disse...

Lindo, nêga. Como a amizade dele.

Paulinha disse...

Desde pequenos aprendemos na escola a lei da vida, aquela que nos diz que na na vida a gte nasce, cresce, reproduz (uns sim outros não, meu caso =D) e morre. Mesmo sabendo dessa verdade, não é fácil aceitarmos certas perdas em nossas vidas, perdas de pessoas que amamos, que nos fazem bem, que nos fazem sentir o prazer da vida. Talvez seria mais fácil se, partissemos antes das pessoas que amamos mas e elas, como ficariam com a nossa partida? Situação difícil mas Deus escreve certo por linhas tortas....a mais pura verdade de todas. Não quero nunca ou tão cedo pássar por essa dor da perda, da saudade, do vazio que fica em nossas vidas, em nossos corações. =/
|Força nega...o cara lá de cima vai cuidar dele agora.

Ludimila Matos disse...

Sempre que venho aqui me encho de alegria com posts sobre as coisas boas da vida. Hoje, fui surpreendida com essa notícia imensamente triste. Estou em choque. Conheci o Edu e tive a alegria de viver alguns dos meus melhores momentos entre amigos na cia dele, em sua casa, sempre alegremente cedida. Hoje estou imensamente triste. Imensamente... Força, amiga. Um alívio talvez seja a certeza de que ele não sofre mais. Um beijo

Ócio, viagens e gastronomia disse...

Ah, Ludimila, muito obrigada mesmo. Pelas palavras tão doces e sábias.. Valeu!

Lois disse...

Bia querida,

O Edu era uma figura cativa em seu blog, lembrei de fotos q vc já postou e vez ou outra ele aparecia nelas...e a carinha dele transmitia alto-astral puro...
Sabe tenho em mente que alguns seres passam por nossas vidas como anjinhos amados e queridos por nós...uns ficam pouco tempo, outros um pouco mais...a saudade q fica é enorme, mas ele levou consigo o seu carinho, amor e amizade tenha certeza disso...linda a sua homenagem...bj

Ócio, viagens e gastronomia disse...

É Lois, tens razão em tudo...Muito obrigada.

Ócio, viagens e gastronomia disse...

Paulinha amada, obrigada...