quarta-feira, 18 de abril de 2012

Um açougue pra chamar de meu


- Bom dia, quase boa tarde.
- Bom dia. Respondeu o Mário, meio seco.
- Tem carne moída?
- Sim. Basta escolher a carne. Moi na hora. A senhora quer de primeira ou de segunda?
- Hum...
- De segunda, tem coxão mole, patinho... Orientou o Mário, vendo a minha cara de carne de segunda...
- Qual é melhor?
- Aí é difícil. Depende pro que a senhora quer, continua o Mário, seco!
- Tá certo. Meio quilo de Patinho e seja lá o que Deus quiser.
 Faz tempo que quero parar aqui pra comprar carne, mas o tempo não deixa.
- Mora aqui perto?
- Em frente!
- Aqui tem de tudo: frango, todo tipo de carne, pão de alho, carvão, tudo para o seu churrasco.  Divulgou o Mário, já meio amolecido.
- Eu gosto mesmo é de fígado. O senhor tem?
- Olha aí na vitrine. Fresquinho.
- Você é o Mário?
- Ao seu dispor, sorriu o simpático Mário.
- Ótimo. Sempre tive um açougue quase dentro de casa e por isso mesmo, não sei nada de carne e nem pra que cada carne serve, respondi assim, meio entortando a boca.
- À partir de um quilo, a senhora liga, pede o que quer, diz o que vai fazer, se cozido, assado, que eu fatio, limpo, corto e mando entregar. Como assim açougue dentro de casa?
- Ah, meu padrasto tem açougue em São Luís, minha cidade natal. As carnes já chegavam prontinhas em casa. Nunca perguntei o nome de carne nenhuma. Quer dizer, só cupim!
- Tem cupim também.
- Não, muito obrigada. Não to comendo carnes gordas! Quanto deu?
- Oito e noventa, mas pra senhora é oito e cinquenta. [Dando desconto, já querendo conquistar a cliente. Esperto esse Mário!]
- Sorri.
 Toma aqui, obrigada.
- Ah, leve um ímã. Fica mais fácil para lembrar do número.
- Tá bom, vou levar. Valeu!
***
Alguns dias se passaram...

 - Alô. Açougue do Mário.
- Alô. Seu Mário, que carne é boa pra assado de panela?

Um comentário:

Anônimo disse...

Gente escreve um livro!!!
adorei a hostorinha!
to esperando nossas conexões para ganhar dindin.
bjossssssssss
Karen