domingo, 29 de abril de 2012

Pão de mandioquinha crua - Receita da Andréa

Sabe a Andréa, nossa consultora gastronômica?
Pois agora pronto! Inventou de fazer uns pães deliciosos que eu não sei mais o que fazer para parar de comer.
Neste domingo, ela fez pão de mandioquinha. Já viram isso?
Rapidíssimo!
Ficou molinho, fofinho, gostoso e irresistível!


Anota aí os ingredientes e corre lá na cozinha que ainda dá tempo de tomar um café com esse pão tudo de bom!

1 xícara de água morna
3 colheres (sopa) de açúcar
1 colher (chá) de sal
1 pacotinho de fermento instantâneo para pão (10g)
3 colheres (sopa) de óleo
1/2 quilo de mandioquinha crua
1 kg de farinha de trigo


Para preparar o pão, olhem quem apareceu aqui pra dizer como faz? A Minhoca! Agora promovida a chef, fez arroz, ajudou no pão e ainda gravou esse vídeo para ilustrar nosso post!



Dicas:

O pão cresce bastante. Não se assuste!
A Andréa resolveu fazer quatro na mesma forma, mas você pode fazer em formas do tipo bolo inglês, que ficam ótimas também.
A Andréa já fez de abóbora e disse que ficou mais gostoso e mais colorido. A quantidade de abóbora é a mesma de mandioquinha.
Cuidado! Você pode não conseguir mais parar de comer!

Saudade além mar


A web faz coisas fantásticas e isso não é novidade nenhuma.
Mas poder falar com um amigo que está além mar, assim vendo na tela, é uma coisa que mesmo nos meus mais altos devaneios adolescentes, eu achei que poderia fazer.
Que maravilha poder conversar, por as fofocas em dia, ver os óculos novos do amigo, mostrar a cara de sono e matar a enorme saudade, mesmo sendo pelo computador.
Augusto, esse amigo querido, está em Portugal há sete meses e faz muita falta no meu dia-a-dia por ser alegre, alto astral, humano e muito sangue bom.
Foi ótimo poder falar com ele e saber de suas aventuras na terra de Cabral.
Continua lindo e único!

Dei um grito quando o vi assim de pertinho!

Ele também toma muito chá preto com limão e mostrou essa caixinha pra me fazer inveja.
Pedi pra ele trazer uma caixinha quando passar por aqui, antes de voltar para São Luís, claro!

Tem coleção de óculos, um de seus consumos preferidos. Aproveitou rapidamente para me mostrar as novas aquisições. E eu, claro, não podia perder uma chance dessas, né?

 
Mais óculos novos...


Velhos amigos, o que me faz falta todo dia...

Sábado na Javari

A bilheteria quase na hora do jogo estava bombando.


Pela aglomeração, já dava pra ver que o estádio ia estar lotado.

Para entrar então...

 
Acho que o Moleque Travesso nunca tirou tantas fotos! Até o maridão se empolgou  e tietou!
O estádio estava lotado, como eu nunca tinha visto. O clima, como sempre, estava uma delícia, cheio de famílias, senhores, jovens e crianças.
O placar foi 2 x 0 para o Juva e o estádio foi à loucura...




Como sempre, tudo muito, muito, muito divertido!

quarta-feira, 25 de abril de 2012

Cenas dos próximos capítulos

Hoje escrevi no Facebook que eu sou do tempo em que as novelas passavam as cenas dos próximos capítulos...
E é verdade!
Adorava aqueles pedacinhos dos próximos capítulos atiçando a nossa mente e nossos corações. Rezava pra chegar o outro dia pra poder assistir aquele tapa que alguém ia dar ou mesmo, levar.
Isso, lááááá atrás, quando eu ainda assistia novelas.
As novelas de hoje, embora tragam assuntos atuais e muito oportunos, não me convencem. Dá pra acompanhar apenas pelas propagandas e isso basta. Não tenho mais interesse nem tampouco curiosidade.
Minto!
Tenho assistido Roque Santeiro, Top Model e Barriga de Aluguel no canal Viva, que aliás tem tido o maior ibope aqui em casa. É Chacrinha, Viva o Gordo, Chico Total, Armação Ilimitada, Carga Pesada e por aí vai.
Não vejo a hora de chegar o início do mês de maio que vai começar uma das novelas que mais adorei na vida: Que rei sou eu?

E na onda das cenas dos próximos capítulos, se eu fosse você apareceria por aqui ainda várias vezes esta semana para ver essas belezuras aqui de baixo.
Elas foram testadas esta semana.
Irei passar as receitas e o modo de preparo de todas. 
Ficaram ótimas!


Muffins de açúcar mascavo e amendoim

Tortinhas folhadas com frango desfiado e creme de ricota

Rolinho de frango com molho de tomate

Inté,

segunda-feira, 23 de abril de 2012

Com olhos de aprendiz

 

Quando eu ouvia sobre o termo "período sabático", tinha a ideia do que poderia ser, mas pensava que era coisa só para ricos, já que o termo refere-se a auto-conhecimento, imersão, qualificação, etc.
Na minha cabeça, somente ricos, poderiam dar um tempo do  trabalho e ficar pensando um pouco na vida.

Mas, de repente, me vi obrigada a ficar em casa, já que fui dispensada do meu antigo emprego. E sem mais nem menos, tive algumas semanas à minha frente disponíveis para tudo o que eu quisesse.
Fui aproveitando para fazer o que a grana permitia.
Resolvi ir a médicos, comprei algumas coisinhas para o apzito, resolvi ler um pouco mais, cozinhar minhas loucurinhas e fazer surpresas para o jantar.

Realmente quem tem a chance de estar em casa várias semanas, evolui muito. Não só como dona de casa, mas também em outras coisas, como encarar a vida menos a sério.

Ter a obrigação de arrumar os armários, além de fazer você lembrar de coisas que, muito provavelmente você havia esquecido, funciona como uma terapia, onde você pensa, repensa e fala alto alguns pensamentos importantes.
Um período sabático pode ser encarado de formas diferentes: para quem tem dinheiro, pode ser um bom momento para viajar, fazer um bom curso, terminar uma grande obra de perto, mas para quem tem pouco, nada disso é possível, embora o período seja igualmente rico.

Dentre os maiores aprendizados, acho que aprender a economizar é o melhor! Dá pra realocar gastos, repensar os custos e suas necessidades.
O grande problema depois desse aprendizado é chegar à brilhante conclusão, que é de fato, o dinheiro que compra tudo que é material. Não tem jeito! Não basta boa intenção, nem querer muito determinado objeto. É preciso ter o dinheiro em espécie ou a garantia dele, para levar para casa seu sonho de consumo.

Você aprende também que existe um mundo enorme à sua volta e que esse mesmo mundo não gira em torno da sua correria no dia-a-dia e sim, ao redor de todas as pessoas, cada uma com seu estilo.

Durante esse tempo também tenho aprendido mais sobre o tempo... Esse mesmo tempo que te engole dentro de um escritório, é o mesmo tempo que te consome com os "afazeres de casa" e que te mata de ansiedade até chegar o final de semana.

Por enquanto, vejo tudo com olhos de aprendiz.
Ansiosa por tudo que vem pela frente e também com muitas decisões a tomar. Talvez a decisão mais importante da minha vida venha desse período, que compulsoriamente, eu chamo de sabático.
Quem sabe...



Mingau de Tapioca flocada

Ai, domingo à noite, friozinho...
Eu, de meia...
Jantar leve já consumido e uma vontade de comer mais alguma coisinha...
Abri o armário para ver o que poderia ser feito e vi a tapioca flocada que trouxe de São Luís.
A tal tapioca é para os gourmets paulistanos de plantão um dos objetos de desejo, já que não é tão fácil encontrar por aqui.
Assim que comecei a ler sobre a dificuldade de encontrar por aqui, fiquei toda, toda, hehe.

Ainda com o armário aberto, lembrei de vovó e sua mania de mingaus e papas doces.
Resolvi fazer um mingau de tapioca, rá!

Usei aquela tapioca que é flocada, tipo isopor.


Fui no olhômetro e usei 10 colheres da tapioca,  1/4 de xícara de leite condensado, um tantinho de manteiga com sal, uma pitada de sal e mais ou menos uns 300 ml de leite líquido desnatado. Dá pra ir pondo de acordo com a textura que você quer dar ao seu mingau. É bom lembrar que depois que ele esfria, fica mais grosso.

Pus primeiro a manteiga, o leite para amornar na panela, depois a tapioca para ir hidratando, o sal e por último o leite condensado. Mexi por uns 10, 12 minutos depois que quase abriu fervura e desliguei.

Ó que beleza?




Para uma noite meio fria...
Para um xamego...
Para lembrar da família...
Para lembrar da infância...
Para celebrar o amor!

Bom apetite!

quinta-feira, 19 de abril de 2012

Receita de Pão de Iogurte da Andréa


Ah, a Andréa, faz cada coisa... Dia desses fez rapidinho um pão caseiro para o café da tarde.
Coisa rápida mesmo, sabe? Estávamos lá fora ocupados com outra coisa e ela na cozinha. Quando nos chamou, já estava tudo pronto!
Além de ter mão boa, é muito família. Gosta de fazer coisinhas pra reunir todo mundo.
O resumo da coisa foi: Ganhamos um pra trazer pra casa, comemos horrores e claro, vou deixar a receita aqui pra que vocês possam experimentar no final de semana.
A receita é da Uniao, mas ela fez algumas adaptações.
Vamos lá:

Pão de Iogurte

xícara de chá de açúcar união
colheres de sopa de óleo  
3 tabletes de fermento biológico fresco (45g)
pote de iogurte natural  
xícara de chá de leite morno  
colher de chá de sal
ovos  
xícaras de chá  de farinha de trigo (mais ou menos 1 kg)
colher de chá  de essência de baunilha (ela coloca algumas gotinhas)  
2 colheres de sopa de manteiga sem sal  
ovo batido, para pincelar (ela não costuma pincelar nada)

Modo de preparo
Numa tigelona, dissolva o açúcar com o fermento, junte o leite, os ovos, a baunilha, a manteiga, o óleo, o iogurte e o sal e misture até obter uma mistura homogênea. Acrescente, aos poucos, a farinha de trigo, até desgrudar das mãos. Coloque a massa sobre a pedra e sove-a.
Deixe descansar até dobrar de volume, na tigela, coberta com filme plástico, em local sem corrente de vento (ela deixa no forno desligado).

Divida a massa em duas partes e faça dois pães a seu gosto (redondos, compridos ou pãezinhos individuais).

Disponha os pães em assadeira untada e enfarinhada, deixando uma distância de 4cm entre eles, pincele com o ovo e deixe crescer até dobrarem o volume. Asse no forno preaquecido.



Ah, ela tem uma dica: separa uma bolinha de massa num copo com água. Quanto a bolinha sobe, está no ponto. Já cresceu o suficiente.

Com um cafezinho, chá quente ou gelado ou mesmo com leite gelado, como na foto do topo, fica uma delícia!
Bom apetite!

quarta-feira, 18 de abril de 2012

Um açougue pra chamar de meu


- Bom dia, quase boa tarde.
- Bom dia. Respondeu o Mário, meio seco.
- Tem carne moída?
- Sim. Basta escolher a carne. Moi na hora. A senhora quer de primeira ou de segunda?
- Hum...
- De segunda, tem coxão mole, patinho... Orientou o Mário, vendo a minha cara de carne de segunda...
- Qual é melhor?
- Aí é difícil. Depende pro que a senhora quer, continua o Mário, seco!
- Tá certo. Meio quilo de Patinho e seja lá o que Deus quiser.
 Faz tempo que quero parar aqui pra comprar carne, mas o tempo não deixa.
- Mora aqui perto?
- Em frente!
- Aqui tem de tudo: frango, todo tipo de carne, pão de alho, carvão, tudo para o seu churrasco.  Divulgou o Mário, já meio amolecido.
- Eu gosto mesmo é de fígado. O senhor tem?
- Olha aí na vitrine. Fresquinho.
- Você é o Mário?
- Ao seu dispor, sorriu o simpático Mário.
- Ótimo. Sempre tive um açougue quase dentro de casa e por isso mesmo, não sei nada de carne e nem pra que cada carne serve, respondi assim, meio entortando a boca.
- À partir de um quilo, a senhora liga, pede o que quer, diz o que vai fazer, se cozido, assado, que eu fatio, limpo, corto e mando entregar. Como assim açougue dentro de casa?
- Ah, meu padrasto tem açougue em São Luís, minha cidade natal. As carnes já chegavam prontinhas em casa. Nunca perguntei o nome de carne nenhuma. Quer dizer, só cupim!
- Tem cupim também.
- Não, muito obrigada. Não to comendo carnes gordas! Quanto deu?
- Oito e noventa, mas pra senhora é oito e cinquenta. [Dando desconto, já querendo conquistar a cliente. Esperto esse Mário!]
- Sorri.
 Toma aqui, obrigada.
- Ah, leve um ímã. Fica mais fácil para lembrar do número.
- Tá bom, vou levar. Valeu!
***
Alguns dias se passaram...

 - Alô. Açougue do Mário.
- Alô. Seu Mário, que carne é boa pra assado de panela?

terça-feira, 17 de abril de 2012

(A)Paixonite

Sabe aqueles dias em que você quer colorir a mesa? Coisa de sábado à noite?
Pois bem. Basta espetar um tomate cereja, uma folha de manjericão fresco e uma bolinha de muçarela de búfala. Pronto!

E naqueles dias em que você acorda romântica?  Basta comprar umas flores naturais e colocar numa garrafinha que você acabou de ganhar!

Ah, tem também o dia em que você ganha caçarolinhas novas para sua coleção e morre de paixão

E pra mim, paixão mesmo, é esse chá aí! Bato e apanho por ele!
Junta essa água de coco para as ressacas e um leitíssimo gelado.
Geladeira prontinha pro final de semana!
Bom dia!

segunda-feira, 16 de abril de 2012

Segunda fresca

O dia amanheceu gostoso, com um ventinho fresco.
Mesmo sendo o dia mais carregado da semana e estando triste com alguns probleminhas, acordei com um certo grau de esperança.
Esperança de dias mais produtivos e também por acreditar que estou uma pessoa  melhor. Tento a cada comentário, a cada novo dia e a cada novo aprendizado ser mais nobre, uma pessoa mais humana, sabe?
A vida é tão dura que a gente tem que ser perseverante e obstinada todos os dias.
E hoje, com esse ventinho na cara e acreditando numa semana boa, desejo a você um lindo dia.

Obrigada por sua visita. Ela ilumina o meu dia...

domingo, 15 de abril de 2012

Mojito nas horas vagas


Enquanto ninguém me apresentar um drink mais refrescante que o Mojito, ele continua eleito o preferido!
Fico com essa delícia em quase todas as minhas horas vagas.
Hoje, no entanto, a quantia de Mojito foi bem pequenininha. Como hora vaga mesmo, só a hora do almoço!

Tim tim.

sábado, 14 de abril de 2012

Batata Frita para forno?



Estamos aos poucos substituindo todas as frituras desta casa.
Tudo que é pra ser frito, inventamos uma versão assada de forno. Às vezes dá certo, outras vezes não, mas paciência! As fases de transição, como sabemos, são sempre complexas.
Resolvemos então, experimentar essas batatas que curiosamente tem o título de "Batata frita para forno". Ao lermos o rótulo no mercado, começamos a rir pela incoerência do próprio nome do produto, mas, compramos mesmo assim.
Bom, depois de obedecidas todas as instruções do pacote, levamos à mesa e vou contar, viu? Não foram aprovadas!
Todas as batatas são borrachudas e não consigo ver uma forma de ficarem crocantes. Decepção!

Já as batatas Smiles,da mesma marca, são absolutamente fantásticas quando vão ao forno, porque não são batatas cortadinhas em palitos e sim, um purê condimentado especialmente preparado para forno. Uma delícia!


Essas sim, fazem um sucesso danado e sempre que podemos, assamos umas para completar as refeições. Sempre com moderação, é claro!



Sabadão procês!!!

quinta-feira, 12 de abril de 2012

São Paulo do alto do Edifício Itália

Dia desses fomos ao Edifício Itália dar uma olhada na cidade de cima.
Um programa desses serve pra gente perceber o quanto é pequeno diante do mundo.
Embora eu saiba que sou apenas um grãozinho nesse mundão, foi bom ter visto tudo do alto e contemplado a cidade de um outro ângulo.
A gente esquece às vezes que ela tem seus encantos...






Para ver os detalhes das fotos, basta clicar nelas.

quarta-feira, 11 de abril de 2012

Enquete rápida: Modelo do blog clássico ou atual?

Ociosos, preciso de um help.
Como vocês viram, mudamos o formato do bloguito e preciso saber a opinião de todos a respeito disso.
É melhor do jeito que está ou da forma antiga?

Seria possível essa informaçãozinha? Mandem pra mim???


Série Cuba - O que comemos

Ai Cuba... que saudade!
É bom sentir saudade de uma viagem, não é mesmo? Isso significa que a viagem foi bacana, divertida e saborosa.
Oi? Saborosa?
Sim, saborosa! Como desvencilhar as comidas do lugar em uma viagem? Impossível!
As comidas representam a cultura de um povo, o modo de vida de uma comunidade e muito especialmente, como enfrentam o dia-a-dia por meio de suas tecnologias culinárias.
Antes de viajar, qualquer pessoa minimamente curiosa pesquisa sobre pratos, insumos, restaurantes, comidinhas, bebidas, o que é "típico" e o que não tem muita força na localidade.

Antes de irmos a Cuba eu não fiz isso, contrariando o minha índole curiosa e viajante. Não tive tempo! Quem fez, [de um jeito jornalístico, eu diria] foi o maridão, que basicamente se animou quando leu que em Cuba as comidas são muito parecidas com as nossas. Os textos traziam frases que ressaltavam arroz, feijão, frangos, peixes e banana.
Fiquei despreocupada, embora eu não faça a menor questão de feijão e o maridão, não coma de jeito nenhum!
Viajamos com nossa carga de remédios de viagem, nos precavendo de eventuais enjoos e indisposições intestinais.

Logo na primeira refeição, além de sermos ludibriados pelo garçom (ô raça, como diria Tutty Vasquez), foi difícil explicar que um prato para nós dois é mais que suficiente. Dois pratos sempre sobram e não é por mim não, que sou comilona. É pelo companheiro, que come menos que uma criança de 10 anos!

Dessa alimentação em diante, passei muito mal.
Há alguma coisa no tempero cubano que me fazia enjoar e passar mal toda vez que comia. Deixei de curtir alguns programinhas em função dessa constante indisposição.
Além disso, as verduras, legumes e frutas não são bonitos, de boa qualidade. Em função das restrições do país, imagino que a produção seja capenga. Sonhei tanto com as minhas saladas, que ficava triste...
"Apanhamos" um bocado para acertar nos restaurantes, no que pedir, entender que pollo e cerdo são insumos básicos e que quando o prato tinha  descrição de salada de vegetales, era só esperar alface murcha, repolho e um tomate, basicamente.

Do meio da viagem pra frente, só comíamos pizza, sanduichinhos no bar da piscina e uns hambúrgueres aqui e acolá.
Definitivamente, não foi uma viagem que deixou saudades no quesito "Comidas".

Mas apesar de tudo isso, comemos algumas coisas boas sim. Não é tudo ruim, nem de qualidade dividosa. Descobrimos um "Paladar" incrível, restaurantes também estrelados no Guia e algumas boas surpresas.
Em um próximo post, falo dos "Paladares", casas de família que se abrem para receber comensais. Muito bacana!
Esse assunto ainda irá render alguns outros posts. Aguardem!


Como sempre, procurando coisinhas conhecidas e com cara de tonta, aff.
 Experimentei o picolé Crocanty da Nestlé. Uma delícia sem tamanho.

No final da viagem (no final mesmo!), achamos essa bomboniere. Tava seca por um docinho e não tinha visto nenhum em nossas andanças. Docinhos de café, chocolate, amêndoas... muito bons!

Um dos primeiros "Paladares" que comemos. A apresentação era boa, mas não aprovei o sabor, embora tanto o maridão, quanto o Rapha, a Camila e a Kátia tenham gostado.
Pescada com vegetais e purê de batatas.

Peixe ao olho de camarão. Pratos com requinte e sofisticação.
Bolas de carne com molho de queijo. Esse aqui foi o melhor restaurante que fomos.
Café Laurent. Falaremos dele em outro post.


Aqui, um autêntico prato do Nordeste do Brasil. Embora com nome Grillada Batabanó (nada brasileiro), é uma fritada de coisas do mar. Tem lagosta, pescada e camarões.
Comemos bem nesse dia, num terraço colonial lindo!
A única sobremesa que comemos. Pudim de leite com mamão.


Aqui, entramos na fase do fast food. Hambúrguer com batatas fritas.

Eu optei, nesse dia, por um sanduiche de filé. 

Um energético em meio ás nossas comilanças. Sempre vai bem!

A velha batata frita cansada de guerra.

Bom, esse aí de cima é um perro caliente ou em nossa língua, cachorro quente. Maridão comeu bem.

As pizzas são engraçadas: são finíssimas, com um molho ralo de tomate, umas raspinhas de queijo e outra coisa qualquer.  No meu caso, sardinha.

Sanduichinho de atum

Noite de gala: jantar italiano! Entradas deliciosas: brusquetas, frios, tomates e picles

Passei mal com os restaurantes do Resort. Tudo que tem horário e muita gente, dá confusão, né?
O do almoço, tinha um esquema de buffet de legumes, saladas e churrasqueira para grelhados.
Pão, hambúrguer, legumes e uma fatia de queijo e presunto.

Outro almoço: vegetais, hambúrguer e frango.

Comemos macarrão! O que seria da nossa vida sem ele?
Andávamos famintos porque já tínhamos entrado na fase fast food.
O Restaurante La Roca foi o mais barato/saboroso que conseguimos comer. Indico muito!

Comi com molho de camarão e o maridão comeu bolonhesa

Agora sim. A melhor coisa que comi em Cuba: viandas fritas.
Bananas verdes fritas em formato chip. As melhores são do Restaurante La Roca. 

Pizza Marguerita, acreditem!


O assunto não tem como morrer aqui. Ainda tem muita comida pra comentar.
O café da manhã com meus Huevos Revueltos...

É só esperar!