Pular para o conteúdo principal

Série Cuba - o que bebemos.

As memórias de uma viagem são formadas por muitos elementos. As bebidas por exemplo, são responsáveis por passagens divertidas, caricatas e refrescantes. O que seria de uma viagem sem os belisquetes e as bebidinhas?

Pois é, as bebidas em Cuba tem uma certa diversidade. Confesso que pensei que a coisa fosse bem ruim, mas não. Achei uma variedade razoável de bebidas, considerando que ficamos em resort all inclusive.

Em Havana, nos valemos de uma espécie de loja de conveniências que tinha pertíssimo do hotel, que descobrimos ser bem barata e que é do governo. Vi inclusive Red Bull a 4 CUC's, mas quando resolvi comprar, já tinha acabado.

As filas eram intermináveis nessa lojinha e os vendedores, pouco simpáticos, trabalham de uniforme e com horário bem certinho. A filosofia de funcionário público existe em todos os lugares do planeta, inclusive em Cuba. Incrível!

Mas, etilicamente falando, que é o que nos interessa, vamos ao que vimos por lá.

A maratona etílica começou no Panamá, com a cerveja Panamá. Adoramos!
Leve, saborosa e refrescante. Só pesou no bolso: US$ 4,50 cada uma.

Essa aqui, americana e conhecida de muitos, tomamos no avião.
Foi a minha preferida em toda a viagem, mas o copo não ajudava. Parecia uma bacia, hehe!

Esta é uma autêntica cubana: Cerveza Cristal. É a mais leve do país, com 4,9% de álcool.

Como dá pra ver no rótulo, essa é fuerte! Tanto essa, mais forte, quanto a Cristal, são da  cervejaria Bucanero. Era só beber três que começava a ver dois "maridão"! 

Loja de Ron. Várias degustações e uma variedade incrível.

É chegada a hora de tomar o mais famoso Mojito de Cuba: o do La Bodeguita  Del Medio, bar famoso por  ser o local onde Ernest Hemingway passava boa parte do seu tempo.
É de fato uma bebida muito saborosa e refrescante. Leva pouco rum e bastante água com gás. Perdemos a conta da quantidade que tomamos. Aqui, custava 4 CUC's cada.

Lindos, não? Irei postar a receita em breve.

Mais Mojito, mais Mojito...
O bar tender nos disse que em média, faz de 500 a 600 Mojitos por dia.
O bar lota o dia inteiro. Mal dá pra entrar, embora dê muito bem pra levantar a mão e pegar o seu
.

Bom, também dei uns presentes para o fígado.
Dei pulinhos quando descobri que tinha tuKola dietética, hehe. 

Aqui, em Cayo Largo, juntamente com uns lanchinhos para levar para a praia (pic nic!), ganhamos uma Coca-Cola light e uma tuKola normal.

Momento "Tássia". "Táseachando" com esse drink!
Fomos tomar o famoso Daikiri, drink também apreciado pelo Hemingway no Floridita. Delicioso!
Carésimo, mas o bar é legal e lotadíssimo também.
Um Daiquiri: 8 CUC's, mais caro que uma boa garrafa de Rum, só pra comparar!

Ah, achei essa bebida uma gracinha! É muito popular por lá. Tinha bastante na lojinha ao lado do hotel.
É uma sidra em garrafinha pequenininha. Adorei!

Lembram da cervejaria Bucanero? Pois é, eles também fazem bebidas sem álcool. Compramos aventurando mesmo e achamos muito ruim. Não é suco, nem chá, mas está no meio. Tem um sabor caramelado, mas é um pouco salgado e meio doce. Deu pra entender? Bom, nem nós!

Em Cayo Largo, as opções de bebida são muito variadas.  Poderíamos ter  tomado de tudo um pouco, mas realmente não dá. O tempo não permite nem tampouco o fígado aguenta!
Para nosso desespero, só tinha Bucanero (Fuerte!!!) e isso nos obrigou a beber mais drinks e coqueteis.
Mas me diz, essa chopeira não é linda? Por pouco não roubei pra trazer aqui pro apzito, hehe!

Ah, tinha champagne gente! Esse aqui, foi às 10:30h

Nossos preferidos: Campari com laranja e Mojito com angostura!

Ah, sim, cansados de tanta Bucanero (fuerte!!!), descobrimos uma barraquinha com Heineken.
As garrafas não são pintadas como aqui no Brasil e sim, possuem o rótulo colado. Adivinhem o que aconteceu?

Comentários

Lois disse…
Genteee fiquei até tonta com tantas bebidinhas gostosasssss....rsrsrrs...me deu uma vontade danada de tomar um mojito nesse instante ; )

P.S: a foto com o champagne arrasou!!!
Anônimo disse…
Amei suas fotos em Cuba. Com certeza farei esta viagem. vou pedir as dicas de td. e vou beber algumas kkkkk
Ah Lois, como você é querida... beijos nos importantes homens da tua vida, tá?

Postagens mais visitadas deste blog

Patinhas de caranguejo ao molho vinagrete

O vinagrete do jeito que eu gosto...

Ingredientes
1Kg de patinha de caranguejo (de preferência do Maranhão, hehe) 2 tomates maduros 1 cebola 1 pimentão verde (que pode ser o da sua preferência) 1 maço de cheiro verde (se você preferir) ou apenas cebolinha 2 limões Sal Azeite para temperar
Modo de preparar
Afervente as patinhas em água com umas pitadinhas de sal. Veja bem, aferventar não é ferver. Basta abrir fervura e elas começarem a ficar cor de rosa, é pra tirar do fogo. Reserve e deixe esfriar. Se ficarem muito tempo no fogo elas ficam duras e na verdade elas devem ficar macias. Após lavar os legumes, corte em pedaços uniformes e bem pequenos, assim como o tomate (que é uma fruta). Para mim, quanto menor, melhor. Misture todos os legumes cortadinhos num bowl, tempere com o suco do limão, sal e bastante azeite. Acrescente um pouco de água filtrada para dar um pouco mais de molho ao vinagrete. Arrume as patinhas num refratário deixando-as com o "cabinho" pra cima. Dessa forma fica mais f…

Raposa, MA - passeio náutico que vale a pena!

Em meio às férias, resolvemos passear de barco pela Raposa, município da área metropolitana da Ilha de São Luís.
O município é pequeno. Grosso modo, deve ter por volta de 35 mil habitantes no máximo.
Tem uma cultura pesqueira muito interessante e também é um polo rendeiro de destaque em São Luís.

A cidade em si, não é muito atraente. São ruas estreitas, com casas, em sua maioria, de madeira, que lembram palafitas, no sentindo mais geral do termo.
Percebe-se a falta de saneamento básico na cidade e uma certa desordem urbana. Basta para isso, percorrer suas ruas para entender do que estou falando. Banheiros improvisados próximos aos mangues e muito lixo acumulado nas ruas e entre as casas é um dos retratos mais gritantes ao darmos uma volta perímetro urbano.

A Raposa surgiu como uma colônia de pescadores, com início na década de 40 do século passado, por pescadores vindos do Ceará e rapidamente tornou-se um reduto cearense, com as mulheres rendeiras desenvolvendo seu trabalho e os pesc…

Óleo composto de soja e oliva. Não caia nessa!

Esses óleos compostos que tanto enganam os comensais espalhados por ai foram feitos para cozer, não para derramar em cima do prato pronto! Foram criados como uma alternativa para quem está com o orçamento apertado ou não tem costume de cozinhar com azeite de oliva.  Para um prato refogado, por exemplo, fica muito saboroso. O problema é que pelo fato de ser mais barato, os donos de alguns restaurantes de segunda, terceira, quarta e quinta categoria substituem o tradicional azeite por esse composto e a turma desavisada, derrama com gosto em cima do prato. Uma maldade! Vejo o povo jogando em cima da salada, sendo que em todos os compostos, 95%  é de óleo de soja e apenas 5% é de azeite (não extra-virgem!). Esperteza do restaurante que ganha por um produto de qualidade inferior e lerdeza do consumidor que não lê o que está consumindo. O consumo de azeite no país tem crescido assustadoramente, à proporção que  a gastronomia ganhou status de ciência e o poder aquisitivo da população melhorou.  De…