sábado, 25 de fevereiro de 2012

Conversa de boteco e outras frituras - Parte II - Padaria Santa Tereza

Saindo da Liberdade, vimos esses artistas de rua: Mustache e os Apaches
Gostamos bem. O cara do violoncelo é muito bacana. Tive a impressão que ele saiu de Nova Orleans direto pra Liberdade pra divertir a gente. Poderia ficar o dia todo assistindo, mas o calor tava tão brabo que até amoleci...
E aí aconteceu uma coisa muito bacana! Entramos numa loja pra perguntar sobre um negocinho que estamos procurando há tempos e sem querer, a senhora nos indicou uma loja que vende coisas de casa, que fica ao lado de uma padoca muito tradicional na Praça João Mendes, praça mais que histórica no centro de São Paulo.
Na mesma hora nossos cérebros buscaram uma matéria recente onde o Barcinski, um dos meus críticos e famintos preferidos, fala de suas coxinhas mais saborosas em São Paulo. E não é que ele fala da coxinha da Padaria Santa Tereza, que fica logo ali pertinho? Exatamente essa, que fica ali ao lado.
Gente, foi juntar queijo minas com goiabada! Corremos pra lá em busca de uma cerveja gelada, que a propósito, estávamos correndo atrás há alguns minutos.
Assim sem querer, descobrimos uma padoca mais que bacana: simplesmente a mais antiga de São Paulo!!! Foi fundada em 1872 e ao contrário do que muitos pensam, a Confeitaria Colombo, no Rio de Janeiro, que tem a fama de mais antiga do Brasil, tem ano de fundação em 1906. 

A Santa Tereza é um padocão no sentido mais literal da palavra com atendentes atenciosos, salão inferior comum, mas recheado de coisas gostosas (inclusive a coxa creme do Barcinski) e com salão superior m-a-r-a-v-i-l-h-o-s-o. 
Não teve jeito, comemos mais umas frituras.
O sábado bem que poderia ter se chamado "sábado-fritura"...



Mustaches e os Apaches, um barato!

Ah, colaborando com  os artistas de rua, né?

Nosso primeiro garçom: atencioso e simpático!

Uma cervejinha gelada é bão!

Essa cara aí é de dor de cabeça, acreditam? Sério mesmo!
Uma neosa resolveu o problema temporairamente...

Como é que não conhecíamos essa belezura, gente?

Até homenagem ao judiciário ela já fez. Muito chique, não?

Essas matérias na parede são muito comuns nos lugares badalados aqui em São Paulo.
É tradição! Na Padaria Santa Tereza são inúmeras.

Detalhe de um dos salões no andar superior. Sabe assim, amar um local? Pois é!

Curiosidade do lugar.

Maridão de olho em tudo.

Caiu a maior chuva enquanto estávamos lá. Tivemos que ficar, fazer o quê?

A Padaria Santa Tereza fica atrás da Catedral da Sé e com a chuva a coisa ficou mais linda ainda.
A padaria Santa Tereza fica em frente a um velho ponto de garotas de programa muito famoso por aquelas bandas. Como diz o maridão, "as primas"...

Só a abóbada!


Conversa de boteco e mais frituras!

Quando saímos, a coisa não aprecia mais boteco, e sim, padaria mesmo.
Compramos um paõzinho italiano para experimentar.

Geral da padoca e eu perguntando ou reclamando ou considerando alguma cosia, hehe.

Nenhum comentário: