quarta-feira, 29 de junho de 2011

São Vicente, Santos e Guarujá Express

No feriado de Corpus Christi fomos a São Vicente, Santos e ao Guarujá.
A sogrona, com dó de mim [abre aspas - longe da praia e branca feito uma vela - fecha aspas], teve a ideia e eu adorei!
Acordamos cedo e descemos pela Anchieta que foi a estrada mais tranquila que alguém pode ter. Chegamos super cedo por lá e senti o cheiro de mar logo na chegada. Delícia!
O tempo estava xôxo, não fez sol e ao final do dia já estava um friozinho gostoso, mas deu pra ter uma noção da cidade.
Gostei bem.
Tinha uma ideia bem parecida com o que de fato é a região, só que achei que Santos fosse um pouco maior. Mas nada que comprometa a cidade, muito pelo contrário.
Passamos em São Vicente meio rápido, só pra dar um "rolé" e fomos logo pra Santos. A avenida em frente às praias é aquela coisa bem Brasil e muito semelhante à Beira-Mar de Fortaleza. Muito mesmo!
Uma das principais atrações da cidade, é o Aquário Municipal. Demos uma passada lá. Ótimo para crianças, precisa de uma recauchutada e também de umas atrações mais exóticas, embora possua pinguins, arraias, moreias e uns tubarões de dar medo.
Fomos almoçar no Guarujá pra eu conhecer também.
Gostei bem mais!
Achei mais aconchegante e as praias com mais balneabilidade.
Feirinha no final da tarde, gente passando de um lado pro outro, campeonato de surf, barzinhos transados e todos os outros ingredientes que fazem de uma praia um lugar único.
Voltamos no final da tarde e a viagem de volta também foi ótima. Nada daquelas imagens dos jornais em saídas de feriados em São Paulo. Amém.

A pessoa é acesa. Não tem jeito!
[gente, eu não sabia que meu braço era torto! Aff!]

Plaquinha do aquário

Os quelônios, são os únicos répteis tolerados por mim.
As tartarugas marinhas então, são uma paixãozinha...

Esse prédio chama muito a atenção em Santos. É um antigo e tradicional hotel da cidade.
Hotel Atlântico. De acordo com o sogrão, desde que o maridão era criança e dava trabalho por lá, esse hotel existe. 

Bom, viajar em família é assim: isopor com cerveja, merenda e roupas na mala.

Tenho um álbum especial do maridão só de fotos com estátuas de escritores, artistas e personagens importantes da história (sic!). Essa é mais uma! É em São Vicente.
José de Anchieta, para quem interessar, possa.

Praia de Santos. Caminhada de manhã cedo. Muito bom...

Se não fosse o sogrão levar as cervejas...

Bom, essa aí sou eu, para você que ainda não me conhece!

De frente para o mar.

Feirinha em frente à praia. Adoro!

Praia de Pitangueiras, Guarujá, em dia nublado.

"O mar, quando quebra na praia é bonito, é bonito"

Dia de São Pedro

Hoje é Dia de São Pedro e tadinho dele por essas bandas.... Ninguém lembra nem fala.
Só é popular no Nordeste...
Nem lembrava desse detalhe, acreditam?
Deve estar a maior festa pelos estados mais quentes do Brasil. Deve ter boi, quadrilha, tambor de crioula, banda de pífanos e muito forró. Uma explosão de alegria!

Ano passado escrevi uma carta para ele pedindo ajuda.
Alguns planos já foram realizados, mas ainda tem muitos aqui na cachola. Vou reforçar e postar de novo. Vai que dá certo, né?

______________________________________________


Excelentíssimo São Pedro,
Desculpe se utilizei o pronome de tratamento errado, mas nunca tinha escrito para santos antes. Não para um assim, como o senhor, importante!
É que queria fazer um pedido bem especial e tinha que ser para o Senhor, que afinal de contas, tem a chave do céu e pode dar uma "conversada" mais de perto com Nosso Senhor...
Queria pedir pro Senhor dar "uma mãozinha" aí e me ajudar a realizar alguns planinhos que estão na cabeça desde muito tempo. Até onde posso alcançar, eles não prejudicam ninguém, pelo contrário, só irão favorecer.
Esses planos irão inclusive distribuir mais amor pelo mundo, deixar a atmosfera mais leve e fazer a vida de muitos ficar mais alegre.
Venho lutando há tempos pra ser uma pessoa melhor, mais caridosa, mais humana e mais amorosa, mas ando cheia de gente inescrupulosa por perto. Gente que vê o outro como um instrumento e isso tem me feito muito mal, às vezes fico em dúvda se quero melhorar cada vez mais.
Pessoas que antes pareciam ser uma coisa e se transformaram em outra, que sentem sentimentos pequeninos em relação a mim e aos outros. Inveja São Pedro, sabe como é...
Queria muito poder mostrar alguns valores que são bons para as pessoas e conseguir transpor umas barreiras que me são impostas diariamente...
Não daria então para o Senhor dar uma agilizada nesse processo? A coisa por aí pelo céu tá pior que o judiciário brasileiro. Engessado, empacado que nem mula, porque me esforço, me esforço e nada!
Vejo que pra outras pessoas as coisas acontecem e continuo com meus planinhos aqui na mente e no coração.
Hoje, que é o seu dia e o Maranhão está todo em festa, o Senhor poderia levar em consideração esse meu pedido e repensar as minhas condições para as pequenas porções mágicas de felicidade?
Desde já agradeço seu empenho em me ajudar,

Inté meu povo!

terça-feira, 28 de junho de 2011

Quero essa mesa!

Imaginem uma cozinha super ultra mega fofa com todos as suas rebimbocas das parafusetas culinárias.
Sim, aí imaginem que no meio dessa cozinha bacana tem essa mesa. Não é tudo na vida de uma pessoa?
Ela tem corte simples, sabe?
Mas, ó, foi olhar e apaixonar! Não é owunnnn?


Ai, o colorido faz a gente ficar mais alegre, né?

Já imagino com minha fruteira em forma de xícara bem aí no meio....

Sério mesmo. Amei essa mesa e todas as possibilidades dela numa cozinha.
[suspiros...]

segunda-feira, 27 de junho de 2011

Lenha para Lareira

Hoje tá um dia bem frio.
Em dias como o de hoje, as pessoas poderiam ter o direito de ficar em casa bem agasalhadas, com uma boa companhia bem em frente a uma lareira...
Para completar, um chocolate quente. Ai, ai ai...

Bom, a companhia eu tenho, o chocolate é fácil de fazer, o agasalho a gente dá um jeito e a lenha eu sei onde comprar...hehe.
Falta a lareira e o direito à folga!

domingo, 26 de junho de 2011

O "bem longe" melhor bolo de chocolate do mundo.

Estava passando pelo Shopping Paulista e de repente uma placa me chamou a atenção. A placa afirma categoricamente que é "O melhor bolo de chocolate do mundo".
Curiosa que sou, puxei o maridão pra ir ver de perto o que era aquilo.
Um quiosque bem simpático, com uma atendente não tão simpática assim e com um bolo bem longe de ser o mais gostoso do mundo e sem dúvida o mais caro do planeta.
Paguei R$ 8,90 por uma fatia. Comemos tudo porque afinal, dinheiro não nasce em árvore queridos, não é mesmo?


A placa que me fascinou

A vitrine também não deixa a desejar...

Preços para quem interessar

Quando o bolo chegou, vi que não tinha consistência de bolo.
É um suspiro achocolatado que faz a base.

Tem duas camadas de recheio. Pedimos de chocolate meio amargo.
Não achei nada amargo, na verdade!

Cara de consumidor enganado!

Comidinha de mãe

Outro dia escrevei que quando você se torna mãe, deve cair um pozinho do céu dando o poder de fazer tudo ficar gostoso.
Porque comida de mãe não tem igual. Pode ser apenas um prato, um detalhe. Tem coisas que só a mãe da gente sabe fazer. A comida que nossa mãe faz, traz à tona uma questão emocional importante. É a típica comida afetiva, hoje conhecida como Comfort Food.

Cada vez que o mundo fica mais agitado, mais incoerente e mais selvagem, o homem cria alternativas para sair desse sufoco e aumentar sua expectativa de vida com fatos quase sempre associados à alma e ao coração.
Assim surgiu a terminologia Comfort Food, trabalhada pelos famosos Chef’s e que desperta sensações agradáveis e remete geralmente à infância ou a algum momento particular muito bom.
A terminologia tem sido utilizada para contrabalancear a racionalidade das comidas funcionais, que geralmente são ingeridas pelos benefícios à saúde e à já tão desgastada e “achincalhada” Fast Food, que nada mais é que aquela comida com valor nutricional muito baixo, embora d-e-l-i-c-i-o-s-a!

Os alimentos funcionais estão em alta pelo grande benefício que proporcionam. São nutritivas e fazem bem ao organismo. De segunda a sexta, muitas pessoas aderem à ingestão dos alimentos “ditos corretos”, que são ricos em fibras, sais minerais e são pouco calóricos.
No entanto, quando chega o final de semana, a curva das regras inquebráveis fica abalada com os rompantes de alegria, desejos e pela ingestão exagerada de Fast Foods. Comer um hambúrguer bem gordo com batata fritas pode ser tão prazeroso quando encontrar por acaso o amor da sua vida num shopping sem ter marcado encontro.
A Comfort Food, então, apareceu para botar mais lenha nessa fogueira!
Como é uma comida que remete à infância e a momentos bons, geralmente lembra ou a Vó ou a Mãe da gente e garanto que nem uma e nem outra, tem preocupação em balancear nutrientes! Talvez por isso os nutricionistas torçam o bico pra essa comidinha caseira, alegando que não são tão saudáveis assim...
Minha Vó não tinha e não tem nenhuma noção sobre o que falo neste texto. Jamais ouviu falar em Quinoa, sal light e ainda acredita que uma boa gemada cura quase tudo. Minha mãe por outro lado, que passou fome por muitas vezes, não foi criada para harmonizar saladas e proteínas. Foi programada para encher a barriga ao máximo que pudesse porque provavelmente não sabia quando iria comer de novo. Alimento bom para esse caso? A autêntica farinha d’água, que depois de um gole de água, incha e dá a sensação de saciedade prolongada.
Foi nesse perrengue que minha mãe aprendeu a cozinhar e a fazer coisas deliciosas, como tudo que ela faz na cozinha, com destaque especial ao seu famoso “Mocotó”, que esse, ela faz com muita propriedade.
Comida de mãe não deveria nem ser considerada comida e sim, uma espécie de “iguaria dos deuses”, onde nada pode ser comparado. A comida da vó então, uma categoria acima, onde nem as mães poderiam concorrer e somente respeitar.

Já existem restaurantes por aí que trabalham a comidinha de infância como um grande chamariz para clientes, mas infelizmente, nenhum na cidade de São Paulo, a Meca da alimentação mundial, me traz aquelas lembranças boas da casa da Vovó ou mesmo da casa da minha Mãe.
A comida da minha mãe tem cheiro de maresia, cheiro de mar, de sal, de peixe fresquinho e de mais alguma coisa que só quem nasce na praia é capaz de saber e de gostar...


Jornal Cazumbá, junho de 2011.

quarta-feira, 22 de junho de 2011

Algodão doce em pote. Buááááááá

Sou do tempo que algodão doce era privilégio de parque de diversões ou então nos arraiais durante os festejos juninos.
Esses eram os locais e os momentos de se lambuzar de algodão doce.
Ver o senhorzinho fazendo o algodão doce também era uma sensação. Como poderia uma coisa tão gostosa ir se formando diante dos nossos olhos assim, tão rápido e ir ficando grande, grande e bem grandão como num passe de mágica?

Ah, a cor do algodão doce... linda!

Agora algodão doce perdeu a graça. Vende em pote, como na foto abaixo! Além disso tem sabor de tutti frutti e uva e não sabor de algodão doce... Buáááááááá.

Saudade de comer algodão doce no palito! Buáááááááááá.


Ficou mais saudável é verdade, mas também um pouco metido a besta: feito com açúcar orgânico

Vem lacrado com uma tampinha de alumínio para conservar mais.
Bacana isso. Dá pra guardar.

35g nesse pote devem equivaler ao palito que eu costumava consumir na minha infância. [Acho!]


O fabricante é esse aqui.
O que tem de bom: não tem glúten e aí mais gente pode comer!

Como escrevem sobre comidas e bebidas

Sempre achei as descrições que os "entendidos" fazem sobre comidas e bebidas um grande barato.
Os termos utilizados, o requinte de crueldade com que falam dos ingredientes me deixa boquiaberta. A coisa só não é mais prolixa porque não dá tempo. Abri um caderno de gastronomia hoje e leio isso:

"Trata-se de uma boa India Pale Ale, com notas frutadas, herbais e cítricas como destaque. No paladar, o malte aparece com notas carameladas, muito bem escoltado pelo amargor pronunciado do lúpulo. Seus 7,5% de teor alcoólico são bem inseridos, não deixando com que o álcool se sobreponha"


Agora me digam: É ou não é uma poesia enquadrada na escola "Prolixismo"?

segunda-feira, 20 de junho de 2011

O milagre de um sorriso

Recebi as fotos que animam esse post do sogrão ontem. São inúmeras. Ele tirou da sua máquina e eu ainda não tinha visto.
Só pude ver nesse instante. Elas irradiam alegria, reparem só?

As fotos em geral trazem de volta um tempo que não volta mais. Registram um milésimo de segundo muito importante em nossas vidas. Basta vê-las que tudo reacende em nossa memória...
Assim passamos o dia de ontem: vendo fotos antigas e relembrando um tempo bom. 
Ver os detalhes das roupas, dos cabelos, das poses, dos costumes, das comidas, bebidas... Ver fotos antigas é como estar numa aula de história ilustrada. Você sai da aula se sentindo mais rico, mais conhecedor do país.

Gosto de coisas antigas e nem sei explicar o por quê. Gosto porque gosto!

Separei umas fotos da família do maridão, para montar parte da minha parede de memórias, projeto que tenho em mente já há algum tempo. Vou recolher as minhas e fazer um mosaico retrô.
Queria contar para a minha próxima geração como eram as gerações passadas, como os avós deles se vestiam, como nós, os pais, usamos nossos acessórios, mas sem risos ou desdém, como muita gente costuma ver fotos antigas.

Quero mostrar a importância daqueles usos e costumes para o futuro e com o devido respeito a tudo que veio antes da gente e ao que se faz agora.Vamos ver o que vai dar. Tomara que eu consiga.

O tempo de agora está passando mais rápido e todos sentem isso. Não há quem não diga e quem não se desespere.
As fotos abaixo não são antigas. Foram tiradas no final de maio e vendo agora, sinto que faz tanto tempo...
Incrível como [somos] e estamos felizes!

Um sorriso pode transformar uma vida. Transforma qualquer dia cinza num baita dia colorido. 

Um sorriso contagia, "pega" e incomoda os chatos.

Sempre que der, sorria, você irá contagiar a todos!



domingo, 19 de junho de 2011

Monarco na Mooca

Mauro Diniz, euzinha e Monarco

Inaugurou pertinho de casa o Templo - Bar de Fé, nova casa de samba da cidade.
O local é único.
A decoração faz você ficar grande parte do tempo feito louco olhando pra cima. Quer dizer, pra cima, pros lados, pra baixo e pra trás!
A proposta é o sincretismo religioso associado a alguns fatores mundanos muito bacanas: a música, a bebedeira e a comilança, hehe.
São vários os símbolos da religião católica, budista, do candomblé, da macumba e por aí vai. Os garçons foram muito simpáticos e o preço foi meio justo. Pagamos R$ 25,00 de couvert por pessoa, além das bebidas e da nossa porção de pastel, que detalhe, estava ótima!
Como fomos para conhecer pra só depois convidar os amigos, chegamos as 20h meio sem saber o que estava rolando e eis que soubemos do samba e claro, fomos ficando!


Ficamos muito próximos dessa imagem. Me encantei com o efeito dos espelhos no ambiente.

Hehe

Geral da nossa mesa

Esse teto me é familiar...
[mamis adora fazer isso no terraço de casa...]

O cardápio é distribuído tipo missal. Um barato.
Os pratos vão na linha do "Despacho", 'Paraíso"...

As mesas são "de sacristia" e os banquinhos são de igreja católica.
[Quero uma mesa dessas e dois banquinhos de igreja para minha cozinha... Hunf!]

Estava sentadinha, virei pro palco e.... Mauro Diniz!
Levantei rapidão pra registrar, hehe.
Ah sim, Mauro Diniz é um dos grandes sambistas desse Brasil. Grande letrista e músico, está presente na gravação dos grandes sambistas desse país e é filho nada mais, nada menos, que... Monarco!
[Pule 4 fotos!]

É cheio de plaquinhas com filosofias de parede...

Owunnnn

Tem coisa mais de boteco que copo americano e pasteizinhos?

Decoração religiosa em todos os detalhes.

Monarco, a sua senhoria Monarco, da Velha Guarda da Portela fez uma palhinha e eu claro, devo ter ficado tão doida que todo mundo deve ter reparado...
Muitas dessas músicas que você, por acaso, canta por aí são dessa pessoa. O Zeca Pagodinho, o Paulinho da Viola e a Marisa Monte não desgrudam dele! Uma figurinha...

Que grata surpresa!

Sim, lá tem cerveja original gelada!

No final foi isso: o máximo para quem gosta de samba!

Mais imagens pelo salão. Esse aqui eu apostei que era um jesus meio gordinho e o maridão palpitou que era um Netuno...

Todas as imagens são enormes...

Sem contar nas milhões de estatuetas de santos diversos. Adorei!

Depois de 7 originais, sabe como é...



"O samba é bom. Melhor sou eu que gosto dele!"
Antônio Vieira

Templo - Bar de Fé
Rua Guaimbé, 322, Mooca.