domingo, 15 de maio de 2011

Sebo à caça de vinis: só raridades...

Bom, nada melhor que um final de semana light para por as ideias em ordem. Ou não!
Tiramos esse final de semana pra namorar. Estamos achando o tempo que ficamos juntos pouco, sabem?
As doze horas diárias que passamos longe por causa do trabalho durante a semana faz a saudade ficar enorme. Resolvemos então ficar quietinhos, em silêncio e fazendo coisas que gostamos muito, rá!

Uma dessas coisas é fazer caminhada e depois parar no sebo pra comprar LP's. Sabem que temos uma vitrolinha, né? 
Pois bem. Passar em sebos é um convite à nostalgia. Dando o devido desconto à minha fase de adolescente de ter gostos duvidosos para qualquer coisa, o que se vê na produção musical do Brasil na época é de chorar.
As exceções a essa regra, dadas as devidas proporções, continuam fazendo sucesso até hoje ou estão na galeria dos grandes artistas do Brasil.
O resto, pode jogar fora sem dó nem piedade!
Você vê cada coisa que não acredita...
Achei tanta raridade que resolvi fotografar e compartilhar algumas. As fotos não estão boas, mas acho um pecado não compartilhar, mesmo sob pena de reclamações futuras...
Você que tem "de trinta pra frente", prepare-se!



Desculpem a ordinareza das fotos, mas vocês vão lembrar do Marquinhos Moura.
Acho que foi artista de uma música só. Meu mel não diga adeus...
Reparem bem que era o compacto, ou seja, o dico pequenininho que no máximo tinham quatro músicas. Pena não dar pra ver o naipe da roupa... 

Esse é um clássico: Katinguelê!!!!!!
Deus do céu, o que era isso? Lembro bem do Salgadinho, o cantor, que era um baixinho que não cantava nada! Tive o CD, tsc, tsc.

Maridão só "nos rock"!


Essa é de morrer! Olhem os caras da banda Chiclete com Banana. Se me mostrassem assim sem me dizer quem são, eu teria certeza que eram réplicas do homem de Neanderthal. Que horror!
Essa foto é uma homenagem a Paulinha, Teresópolis, Patrícia Arantes, Elda, Junior Caçula e a todos os meus amigos e ex-alunos fascinados por essa música cheia de conteúdo: o axé.

Agora, me dêem licença (cof cof cof). Eu era simplesmente tarada por isso aí de cima: Menudo!
E vejam que achei o LP da fase que eu gostava mesmo! Sem o Rick Martin.
Eu tinha certeza que o Robby iria casar comigo. Como eu chorava ouvindo as músicas, ai, ai, ai. Fui a um show que fizeram em São Luís no Castelão. Ai, o passado...

Levanta a mão quem não queria dar para o Paulo Ricardo nessa época! Eu, que no caso, só tinha uns 12 aninhos. Esse disco foi realmente uma revolução e pela primeira vez eu conheci o que seria rock nacional, ou pelo menos achava que era...

Bom, eu também gostava desses (snif!)... Todas nós (amiguinhas da época) éramos apaixonadas pelo Nill. Baixinho, com um mullet ridículo... Me defenestro agora ou mais tarde?
(Repararam que custa R$ 2,00?)

Desse você só vai lembrar da música: Ai meu ursinho blau blau de brinquedo...

Meu Deus eu não sei o que eu faço comigo! Dá pra acreditar que eu fui a um show dessa banda? E era tudo tão ruim... Perdoa Deus?

8 comentários:

Anônimo disse...

hsushaushaushausahsas tadinho do chicletão ... ta lisinho ta lisinho pra ganhar beijinho hhasushasuahsuash Bel tirou a barba e fiquei braba com ele cresci vendo ele barbudo. Axe tem conteudo sim viu ... beijos eu mesma Teresopolis super IVETEIRA !!!

Ócio, viagens e gastronomia disse...

Kkkkk, sabia que viria uma coisa dessas...rsrs. Beijocas

Aline disse...

Cada pérola! rsrs
E a foto do Chiclete... que horror!

maria faz bolo disse...

biazinha,sua linguaruda,já tinha até esquecido este epsódio da vida minha irmã.lembras do assalto no ônibus,já na ida?kkkkk.contudo,era bem melhor que luan santana.saudades.

Ócio, viagens e gastronomia disse...

Ai Aline e olha que ainda tem mais guardado no báu do bloguito hehe! Bjs querida!

Ócio, viagens e gastronomia disse...

Kkkkkkkkkkkkkkkkk Cyca não lembrava do assalto... Kkkkkkkk.
Meu Deus, fiquei toda "ralada", hehe

Paulinha disse...

huahuahuahuahua...conteúdo nem sempre tem mas, ajuda a rir um pouco as letras sem sentindo. Não sou fã de chiclete não, mais de 50 anos de carreira e sempre as mesmas músicas, afãoooo sem falar que me lembra uma época da minha vida que tô até hoje tentando esquecer. =D

bjos

Dadá disse...

RPM eu só tinha 25 aninhos, égua, mas pro Paulo Ricardo tenho vontade de dá pra ele até hj. hehehe