Pular para o conteúdo principal

Eita Piquena Arteira II por Paulinha Alcoforado

Fiquei muito feliz com a notícia sobre a primeira exposição de Paulinha Alcoforado, uma menina talentosíssima que se esconde numa capa de 1,80m de timidez.
Ela é muito tímida mesmo. Algumas vezes imatura porque não acredita no seu potencial e acaba acreditando em coisas que não são para acreditar.
Tem 1,80m, mas desses, meio metro é de insegurança e de dificuldade de definir o futuro. Coisas muito comuns em adolescentes, sabe?
Ela é aquele tipo de pessoa que tem multitalentos. Sabe desenhar, sabe pintar, sabe fotografar, sabe fazer logomarcas em computador, dirige carros enormes, tem boas ideias, é responsável, doadora e nunca deixa ninguém na mão.
Não é à toa que é muito querida por todos, embora não se misture muito. Tem um estilo inconfundível e quase uma dúzia de tatuagens espalhadas pelo corpanzil.  
Nesses casos, acho que a veia artística fala mais alto.
Sua primeira exposição foi num lugar que ela tem muita intimidade e isso foi muito bom, para que ela pudesse sentir o peso da responsabilidade, mas nem tanto. O Laborarte, como o próprio nome sugere, é um laboratório de sons, danças e trejeitos.
Não há ludovicense que não conheça ou que não já tenha ido ver uma roda de capoeira, a morte do judas num sábado de aleluia ou um ensaio de cacuriá. É um patrimônio da cidade. Fica num casarão enorme na Rua Jansen Miller, no bairro da Beira-Mar, reduto boêmio e tradicional da cidade.
O tema da exposição foi "Mulher" e o que é muito interessante em exposições de um modo geral é que é tudo a cara do expositor e às vezes quem está observando não entende muito o que ele quis dizer. Isso é uma regra em obras de arte, né?
Aí concordo com alguns sábios que dizem que as obras não são para se entender e sim para se admirar...
No caso de Paulinha foram fotos que na cabeça dela representam o tema proposto e para a minha felicidade tem uma fotinho minha... Não, eu não pedi isso, juro!
Mas fiquei feliz. Eu e Teresópolis segurando no pau! Ops, de novo, você com sua mente poluída, ham?
No pau de uma barraca de são joão ano passado, gente!
Fiz uma pequena entrevista com a artista e deu no seguinte:

"Quando recebi o convite feito por Rebeca (grupo Afrodites), para fazer uma exposição na festa Eita Piquena Arteira II, em comemoração ao dia da mulher, a primeira sensação foi de euforia, afinal era o primeiro sinal de reconhecimento de 6 anos de trabalho, na verdade uma paixão mesmo. Tinha 15 dias para selecionar algumas poucas imagens no meio de mais de 20.000 fotos, e com a temática mulher.  A escolha foi super difícil.
Passado o efeito euforia, surgiu o efeito cobrança, principalmente da minha parte, pois eu tinha que fazer um ótimo trabalho, teria que escolher as fotos certas sem ser repetitiva, monótona, além de causar a mesma reação que causava quando batia uma foto, ou seja teria que corresponder com as expectativas das pessoas que conhecem o meu trabalho.  
Escolhi as fotos tentando fazer uma evolução da mulher. Coloquei a mulher bebê, a mulher criança cheia de sonhos, a mulher que dança cacuriá e a mulher que aos 80 e poucos anos canta, e a que dança tambor de crioula e bumba-meu-boi, a mulher apaixonada, a irmã, a amiga, enfim um pouco desse ser que encanta a todos.  Misturei um pouco da temática com paisagens de São Luis, São José de Ribamar e da Raposa.
No final foram impressas 69 fotos que montaram a exposição. Para ficar diferente da mesmice, colei as fotos em papel pardo, coloquei detalhes com juta e as pendurei com pregador de madeira em varal de barbante".


Fotos diversas num evento diverso!

Teresópolis apontando para o seu pau e Paulinha apontando para o meu!
(Com todo respeito é claro!)

Deu pra ver muita gente conhecida e uma bem especial: Cristiane Lima, querida amiga e igualmente multitalentosa: canta, dança e toca diversos intrumentos, um orgulho!

Visão geral da galera
Parabéns Paulinha e que depois dessa, venham muitas e muitas...

Comentários

Anônimo disse…
Poxa Paulinha, linda a exposição, parabéns! Você merece o reconhecimento e carinho de todos, pois és assim...nem sei como...única, meiga, generosa, tudo de bom!Eu adoro você e torço para que você realize todos os seus sonhos, até àqueles que você pensar que não vão se realizar, sim, eles vão!!!!
Aproveitou o blog super democrático da Bia para relembrar o enorme afeto que tenho por você.
Sim,mas achei a escolha das "69" fotos interessantes, esse número é bem cabalístico, não??? rsrsrsr
Bjoos,

Josi
Paulinha disse…
Meninas, obrigada pelas palavras...fiquei muito emocionada mesmo com tudo o que escreveram. Vcs fizeram (e fazem apesar da distãncia) parte do início dessa minha história com a fotografia...aulas, palestras, viagens, encontros....é bom demais saber que pessoas como vcs duas sao responsáveis por parte do que sou hoje. Obrigada do fundo do coração!!
Foi bom demais ver tudo pronto e ver tbm as pessoas olhando, admirando e elogiando meu humilde trabalho. De agora em diante irei fotografar mais e mais com ou sem motivos especificos, apenas pelo fato de fazer aquilo que gosto e gostar do que eu faço.
Nadya disse…
Paulinha, adorei as fotos selecionadas, e confesso que não sabia que você tinha esse dom de fotografar. é um trabalho magnífico e encantador.

Desejo muito que seus sonhos sejam realizados, e serei eternamente grata por toda sua força e comprometimento na formatação da minha monografia, devo muiiiiiiiito a você por tudo isso.

Grande Abraço... e lembre-se sempre: há muitas pessoas torcendo por seu sucesso e pedindo a Papai do Céu que sua vida continue bela.

Att.
Nadya Anjos
Estou bem feliz em poder divulgar um momento tão especial pra ti Paulinha... muito!
Paulinha disse…
E eu amis ainda por ter uma amiga "sem comentários" como vc...hehehehe

Postagens mais visitadas deste blog

Patinhas de caranguejo ao molho vinagrete

O vinagrete do jeito que eu gosto...

Ingredientes
1Kg de patinha de caranguejo (de preferência do Maranhão, hehe) 2 tomates maduros 1 cebola 1 pimentão verde (que pode ser o da sua preferência) 1 maço de cheiro verde (se você preferir) ou apenas cebolinha 2 limões Sal Azeite para temperar
Modo de preparar
Afervente as patinhas em água com umas pitadinhas de sal. Veja bem, aferventar não é ferver. Basta abrir fervura e elas começarem a ficar cor de rosa, é pra tirar do fogo. Reserve e deixe esfriar. Se ficarem muito tempo no fogo elas ficam duras e na verdade elas devem ficar macias. Após lavar os legumes, corte em pedaços uniformes e bem pequenos, assim como o tomate (que é uma fruta). Para mim, quanto menor, melhor. Misture todos os legumes cortadinhos num bowl, tempere com o suco do limão, sal e bastante azeite. Acrescente um pouco de água filtrada para dar um pouco mais de molho ao vinagrete. Arrume as patinhas num refratário deixando-as com o "cabinho" pra cima. Dessa forma fica mais f…

Óleo composto de soja e oliva. Não caia nessa!

Esses óleos compostos que tanto enganam os comensais espalhados por ai foram feitos para cozer, não para derramar em cima do prato pronto! Foram criados como uma alternativa para quem está com o orçamento apertado ou não tem costume de cozinhar com azeite de oliva.  Para um prato refogado, por exemplo, fica muito saboroso. O problema é que pelo fato de ser mais barato, os donos de alguns restaurantes de segunda, terceira, quarta e quinta categoria substituem o tradicional azeite por esse composto e a turma desavisada, derrama com gosto em cima do prato. Uma maldade! Vejo o povo jogando em cima da salada, sendo que em todos os compostos, 95%  é de óleo de soja e apenas 5% é de azeite (não extra-virgem!). Esperteza do restaurante que ganha por um produto de qualidade inferior e lerdeza do consumidor que não lê o que está consumindo. O consumo de azeite no país tem crescido assustadoramente, à proporção que  a gastronomia ganhou status de ciência e o poder aquisitivo da população melhorou.  De…

Raposa, MA - passeio náutico que vale a pena!

Em meio às férias, resolvemos passear de barco pela Raposa, município da área metropolitana da Ilha de São Luís.
O município é pequeno. Grosso modo, deve ter por volta de 35 mil habitantes no máximo.
Tem uma cultura pesqueira muito interessante e também é um polo rendeiro de destaque em São Luís.

A cidade em si, não é muito atraente. São ruas estreitas, com casas, em sua maioria, de madeira, que lembram palafitas, no sentindo mais geral do termo.
Percebe-se a falta de saneamento básico na cidade e uma certa desordem urbana. Basta para isso, percorrer suas ruas para entender do que estou falando. Banheiros improvisados próximos aos mangues e muito lixo acumulado nas ruas e entre as casas é um dos retratos mais gritantes ao darmos uma volta perímetro urbano.

A Raposa surgiu como uma colônia de pescadores, com início na década de 40 do século passado, por pescadores vindos do Ceará e rapidamente tornou-se um reduto cearense, com as mulheres rendeiras desenvolvendo seu trabalho e os pesc…