quinta-feira, 14 de abril de 2011

Corpo, eu te amo!

Comer bem é uma consequência de ter tempo.
Com tempo você pode procurar um restaurante com aquela comidinha que você está procurando.
Com tempo, você mastiga 5.999 vezes cada garfada da comida.
Você pode pedir um prato e esperar pacientemente ele ser preparado, decorado e gratinado.
Tempo livre significa bem estar.
Faz três semanas que como o que está na prateleira, pronto, sem a necessidade de assar ou esquentar. Não dá pra perder tempo com isso.
Faz muito tempo que não como o que tenho vontade.
Faz muito tempo que comer deixou de ser prioridade.
Como gestora de mim mesma não posso reclamar da minha pele e dos meus cabelos. Devo entender porque estou gorda. Devo aceitar que meu estômago, intestinos e rins tenham dificuldade para funcionar bem.
Um gestor só pode cobrar de um colaborador um determinado resultado se lhe dá as mínimas condições para executá-lo: tempo e ferramentas. Não estou dando nada disso para o meu pobre corpo.
Não me alimento devidamente, não tomo o que deveria tomar, não durmo o suficiente para que ele possa recarregar e levo comigo muitos estresses e vontades reprimidas.
O corpo, como um excelente colaborador, reclama e não cumpre suas funções como o esperado.
O meu está dando pequenos sinais de que preciso me organizar.
Mas como ele me ama muito, ainda me faz andar, raciocinar e sorrir.
Meu corpitcho, eu te amo!

Nenhum comentário: