quarta-feira, 2 de março de 2011

Que orgulho...


Do Terra

Um dos maiores poetas brasileiros da atualidade, Ferreira Gullar afirma a Terra Magazine que não chegou a apresentar sua candidatura à Academia Brasileira de Letras (ABL), na vaga do escritor Moacyr Scliar. "Fui consultado por alguns amigos meus da Academia, perguntando se eu aceitaria me candidatar, desde que um número muito grande de acadêmicos me enviasse um documento pedindo que me candidatasse. Diante disso, me senti constrangido de dizer não. Seria arrogante", relata o poeta.
Por inédito, o gesto dos "imortais" da ABL o comoveu. Mas, na manhã seguinte, Ferreira Gullar começou a sentir-se deprimido com o "sim". "Quando acordei, me senti muito mal porque aquilo não correspondia ao que sou. Não quero entrar para a Academia. Então, eu acordei: 'Estou fazendo uma coisa contra o que eu sou'. Liguei para os amigos e desfiz. Nunca pretendi entrar para a Academia".
Alguns acadêmicos ficaram perplexos com a mudança de Gullar. Com a saída do poeta, o jornalista Merval Pereira (colunista de "O Globo") e o romancista Antonio Torres (o preferido da "área literária" da ABL) apresentaram suas candidaturas.
"Não sou uma pessoa com espírito acadêmico, com espírito institucional. Sou um questionador, não me sinto bem em instituições. Concordei com uma proposta muito generosa. Se eu dissesse 'não' ali, eu ia me sentir arrogante, pretensioso", acrescenta o autor de "A luta corporal" e de "Poema sujo". Ele tem sido convidado repetidas vezes, nos últimos 30 anos, para ingressar na Academia. Mais recentemente, o acadêmico Antonio Carlos Secchin fez outro chamamento.
Aos 80 anos, Ferreira Gullar se confrontou com os seus velhos princípios antiacadêmicos. "Não é a minha cabeça. Pensei: estou fazendo uma coisa que não me dá alegria, pelo contrário, vou me sentir muito mal nessa história. Isso não sou eu. Comecei a me sentir realmente deprimido, porque tinha feito uma coisa contrária a mim". Em 2011, parece ter dado o seu "não" definitivo ao lema de Machado de Assis, de que a Academia é a "glória que fica, eleva, honra e consola".

Chupa Academia!

2 comentários:

Marcelle disse...

Alguns posicionamentos dele me lembram muito Marcelo...Agora lendo esse texto, parecia que estava tendo uma conversa com ele. Ainda existe muita coisa sobre Família que não entendemos...

Ócio, viagens e gastronomia disse...

Nem vamos entender Mamá... enigmas do mundo, pode acreditar!