Pular para o conteúdo principal

Mulherzinha

Já tinha percebido que não sou uma mulherzinha normal.
Não tenho muitos chiliques femininos. Não me interesso muito por marcas de roupas, sapatos e bolsas.
Uso o que dá!
Não tenho muita paciência para comprar roupas e experimentar. Compro um monte errado por causa disso.
Sempre preferi ficar num samba a ir ao shopping.
Sempre gostei de trabalhar com homens, sempre me dei bem com o sexo oposto... Eles são práticos. O que é, é e não deixa de ser.
Não dei trabalho para os meus antigos namorados. Nunca fui ciumenta de ficar roxa. Eles até reclamavam... Nunca sonhei com cenas muito românticas e quando levei um baita chifre, encarei naturalmente: “ele não me merece”!
Nunca fiz carta para namorado nenhum. Fiz um e-mail terminando o namoro certa vez...
Agora, tenho certeza que sou muito diferente. Explico.
Irei casar, olhem que coisa chique!
Na segunda semana de dezembro entrarei num cartório para sair da clandestinidade do meu relacionamento.
Não, não faço questão disso. Quem faz é a minha família e a família do namorido.
Não, não íamos usar alianças.
Agora vamos... Que vontade que a “Cidade das Estrelas” tivesse dado certo (“faz o que tu queres pois é tudo da lei”)... Fomos comprar na semana passada e a vendedora disse que nunca viu uma noiva tão despreocupada...
Uma amiga paulistana disse que seria a primeira coisa que ela iria pensar. Pra mim, foi a última. Irei usar algo que tenho no guarda-roupa e me perguntaram essa semana sobre meu cabelo. Ora mais, o cabelo eu faço uma touca na noite anterior...
Para satisfazer minha vó, um padre vem até a casa de mamis (no reveillón) para dar a bênção nas alianças e vai ter até uma cestinha para por as tais.
Não, não ligo para nada disso. Ligo mesmo em viver bem, em ficar tranquila e em paz.
Agora, a cada telefonema da família só falam disso. Não aguento mais.
Não vai ter nada, nem festinha, nem almoço. Se eu tivesse muito dinheiro, faria um festejo de três dias sem essas honrarias, sem foto em frente ao bolo. Iria ter muita cerveja, muito samba e amigos, muitos amigos. 
Quero mesmo é ser feliz. Quero mesmo é que meu “par” continue assim, do jeito que é: sensível, educado, honesto, humilde e amoroso.
Se melhorar, estraga! 
Quer dizer, quem sabe com um dinheirinho a mais no bolso...

Bom dia!

Comentários

Catarina disse…
Ei! A amiga paulistana sou eu!!
Adorei a revelação, mas acho que por mais cansativo que esteja decidir isso agora, no fim será tudo a sua cara!
Felicidades (e dinheirinho a mais) aos noivos!
Aline disse…
Adorei a novidade. Muitas felicidades pra vcs! Mais ainda né, pq eu já sei que são felizes.
silviamgoncalves disse…
Bia,
me lembro de quando eu casei e mamãe e Lu ficavam brigando comigo porque eu não decidia nada. rsrsrsrs
Mas no final deu tudo bem e o grod foi massa.
Xero
Anônimo disse…
Pois é... eu acho que é uma data tão legal e por isso merece uma roupa bacana e um cabelo arrumadinho sim, ou tu vais querer olhar as fotos depois de 10 anos e te ver toda bagunçada? Pode ser do teu jeito, mas arrumadinho oras!!!!
Se eu tivesse mais perto eu ficava no teu pé igual eu fiquei no de Silvia, dúvido que ela se arrepende...
Beijos pra vocês...
Lu
Eita carão! Hehehehe
Não Lu, não vou de bermuda nem com os cabelos desgranhados...
Vou de acordo com o evento.
Se fosse fazer uma festa, aí sim...
Pra ti ver, nem consegui emagrecer o que eu queria...snif snif!
Mas entendo tua preocupação e só agradeço. E como agradeço...
Thaise disse…
(esse post é impossivel nao comentar)
Ai que lindo Biazita... adoro mulheres como voce que se preoculpam com a essencia, com o que voce esta sentindo e nao se atendo a detalhes... voce ja é feliz!!
te adoro e só me resta desejar mais e mais felicidades!!
Thaise disse…
Ai vai uma novidade que eu vi no site da Prefeitura que vale a pena vc ficar sabendo. e qdo tive rolando pode deixar que vou lá pra conferir

>> a e na quinta dia 02 vai ser dia nacional do samba, vai rolar o cortejo, vou conferir tb!!

vejo seus posts diariamante as vezes comento mais como minha net tem vontade propria nem sempre vai....
vamos a primeira informação, no pxmo comentario te mando, obixo nao quer abrir nem com reza braba
Lorena G. disse…
Bia, Parabéns!!!
Felicidades [mais e mais] ao casal!
Dona Karen disse…
tá eu não ia me manifestar...mas já que todo mundo falou!!!
Vamos lá! tu diz que não te preocupa e quer emagrecer né bunita!!!!! Me engana que eu gosto!! rsrsrssLá no fundo a mais desligada das mulheres já parou um dia e pensou neste momento especial, mesmo quando se mora junto há algum tempo!
Como diz uma amiga minha historiadora é um "rito de passagem" e como tal deve ser celebrado com muito carinho e todas as boas expectativas que isto inclui!
Que vocês sejam bem felizes os dois e suas famílias!!
Bjos Enormes!!!
As amigas são tão exageradas...Adoro!!!
Acho que vcs não entenderam bem a coisa gente... não ligo para o ritual em si, para o fato de estar junto com alguém especial, sim!
Sou a mais vaidosa das criaturas, o que não quero é fazer de uma ida ao cartório e de uma reunião com o padre uma coisa maior do que é...
Roupa, cabelo, essas coisas.
O fato é bacana e especial, não tenho dúvidas...Se eu fosse fazer um festão, aí sim... estaria pesando 36 kg de tanta preocupação hehe.
Mas obrigada por todos os comentários!

Postagens mais visitadas deste blog

Patinhas de caranguejo ao molho vinagrete

O vinagrete do jeito que eu gosto...

Ingredientes
1Kg de patinha de caranguejo (de preferência do Maranhão, hehe) 2 tomates maduros 1 cebola 1 pimentão verde (que pode ser o da sua preferência) 1 maço de cheiro verde (se você preferir) ou apenas cebolinha 2 limões Sal Azeite para temperar
Modo de preparar
Afervente as patinhas em água com umas pitadinhas de sal. Veja bem, aferventar não é ferver. Basta abrir fervura e elas começarem a ficar cor de rosa, é pra tirar do fogo. Reserve e deixe esfriar. Se ficarem muito tempo no fogo elas ficam duras e na verdade elas devem ficar macias. Após lavar os legumes, corte em pedaços uniformes e bem pequenos, assim como o tomate (que é uma fruta). Para mim, quanto menor, melhor. Misture todos os legumes cortadinhos num bowl, tempere com o suco do limão, sal e bastante azeite. Acrescente um pouco de água filtrada para dar um pouco mais de molho ao vinagrete. Arrume as patinhas num refratário deixando-as com o "cabinho" pra cima. Dessa forma fica mais f…

Raposa, MA - passeio náutico que vale a pena!

Em meio às férias, resolvemos passear de barco pela Raposa, município da área metropolitana da Ilha de São Luís.
O município é pequeno. Grosso modo, deve ter por volta de 35 mil habitantes no máximo.
Tem uma cultura pesqueira muito interessante e também é um polo rendeiro de destaque em São Luís.

A cidade em si, não é muito atraente. São ruas estreitas, com casas, em sua maioria, de madeira, que lembram palafitas, no sentindo mais geral do termo.
Percebe-se a falta de saneamento básico na cidade e uma certa desordem urbana. Basta para isso, percorrer suas ruas para entender do que estou falando. Banheiros improvisados próximos aos mangues e muito lixo acumulado nas ruas e entre as casas é um dos retratos mais gritantes ao darmos uma volta perímetro urbano.

A Raposa surgiu como uma colônia de pescadores, com início na década de 40 do século passado, por pescadores vindos do Ceará e rapidamente tornou-se um reduto cearense, com as mulheres rendeiras desenvolvendo seu trabalho e os pesc…

Óleo composto de soja e oliva. Não caia nessa!

Esses óleos compostos que tanto enganam os comensais espalhados por ai foram feitos para cozer, não para derramar em cima do prato pronto! Foram criados como uma alternativa para quem está com o orçamento apertado ou não tem costume de cozinhar com azeite de oliva.  Para um prato refogado, por exemplo, fica muito saboroso. O problema é que pelo fato de ser mais barato, os donos de alguns restaurantes de segunda, terceira, quarta e quinta categoria substituem o tradicional azeite por esse composto e a turma desavisada, derrama com gosto em cima do prato. Uma maldade! Vejo o povo jogando em cima da salada, sendo que em todos os compostos, 95%  é de óleo de soja e apenas 5% é de azeite (não extra-virgem!). Esperteza do restaurante que ganha por um produto de qualidade inferior e lerdeza do consumidor que não lê o que está consumindo. O consumo de azeite no país tem crescido assustadoramente, à proporção que  a gastronomia ganhou status de ciência e o poder aquisitivo da população melhorou.  De…