sábado, 30 de outubro de 2010

Pão francês brasileiro


Não querendo estragar a viagem de ninguém, mas quem entrar numa padaria de Paris e pedir "un pain français, s'ilvous plait" vai encontrar dificuldades.
Mesmo após muita gesticulação, deve sair apenas com um pedaço de baguete. Acontece que o pãozinho também conhecido como "pão de sal" e "cacetinho", e que a maior parte do Brasil chama de "francês", não existe na frança.
Os encontros e desencontros de tradução começaram no início do século 19. Naquela época, o pão popular da França era curto, cilíndrico, com o miolo duro e de casca dourada - um precursor da baguete, que só consolidou a forma comprida no século 20.
Enquanto isso, no Brasil, o pão comum era um com miolo e casca escuros, uma versão tropical do pão italiano.
Acontece que, quando a elite do Brasil recém independente viajava para Paris, voltava descrevendo o pãozinho para seus padeiros, que faziam o possível para reproduzir a receita pela descrição.
Dessa gastronomia oral saiu o "pão francês brasileiro", que difere de sua fonte de inspiração europeia, sobretudo por poder levar até açúcar e gordura na massa. Assim como o arroz à grega e o café carioca, a homenagem é alheia ao homenageado.

Fonte: Revista Super interessante


Já escrevi sobre o pão francês. Não leu?
Aqui, ó.

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Difícil...

Hoje é o aniversário de uma pessoa muito especial que amo muito.
Depois que estou aqui ainda não tinha sentido a saudade que estou sentindo hoje. Nem na primeira semana.
Longe disso...
Papis ligou e fiquei quieta após ele desligar.
Falei com o aniversariante, que no caso é meu único irmão, morri depois que desliguei e minha irmã falou que mamis está sentindo muito a minha falta.
Muito difícil hoje...

Recheio do Sonho

Não é que eu esteja gorda. Não é assim pá-pum.
Gorda é um adjetivo muito forte, literalmente!
Estou acima do meu peso habitual, com uma camada adiposa extra na região central do corpo, somente. Os braços, os dedos, o rosto, continua tudo normal. O problema é a barriga!
A danada da barriga, que parece o recheio do sonho saindo quando se aperta.
Aumentei de peso e não é de comer muito.
De beber, talvez...
Da mudança toda que venho passando, é bem provável...
O fato é que preciso emagrecer para voltar a me sentir bem. Estou na luta para isso.
Da última vez que pesava o que peso hoje, fiz uma dieta rigorosa e perdi 6 quilos em seis meses, o que achei bem bacana, pois não foi nada drástico. Fui aos pouquinhos diminuindo as coisinhas inadequadas e essa fórmula realmente funciona.
O problema é que quando se tem mais de trinta, isso muda um pouco, inclusive sua visão sobre Dieta e Corpo.
O corpo já não é tão importante e você seleciona mais os seus momentos de prazer, como não abortar uma experiência gastronômica diferente ao lado de pessoas legais. 
Antes dos 30, você tem a certeza de que poderá fazer isso várias outras vezes...
Depois dos 30, você já não tem tanta certeza disso e prefere engordar a ter que deixar uma porção mágica de felicidade passar batido...
A vida é assim mesmo. Você envelhece e melhora.
Estou malhando e na medida do possível comendo menos. Até agora, nada mudou. Continuo com os quilos extras e acreditando que vou mudar.
Quem já acompanha essa bagaça aqui, sabe dos níveis de dieta que sigo. Estou no nível grave, mas escorreguei algumas vezes essa semana e tomei uma coca light, comi um crunch e mais duas besteiras engordativas que não lembro.

Como hoje é sexta, e é o dia mais bacana da semana para mim, estou com astral bom e acreditando que não escorregarei.

Bom dia!

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Navio negreiro disfarçado de metrô

Desconfio que ao invés de transportar cinco milhões de pessoas diariamente, o metrô de São Paulo leve seis milhões...
Sabem os navios negreiros que transportavam os negros escravizados para o Brasil em condições sub-humanas?
Também desconfio que a versão moderna deles é o que pego todo dia para vir e ir trabalhar...


Bom dia!!!


quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Para entender o bloguito

Coloquei abaixo da logo (à direita), uma caixinha com o post que eu acho que representa muito bem o que penso sobre ócio.
Pra que isso?
Bom, primeiro porque quem aterrissar por esses tempos aqui no blog, vai achar que só escrevo baboseira e embora eu escreva, as coisas tem uma cadência e estão sempre no contexto de ócio, viagens e gastronomia.
Fiquei preocupada das pessoas acharem que escrevo sobre o meu dia como se estivesse num diário e nem sempre é assim, então pus o Manifesto pelo Ócio para que todos entendam a minha real motivação quando reclamo do trabalho.
Não reclamo do trabalho assim, do nada! Reclamo da forma como as pessoas levam isso em suas vidas e o pouco tempo de ócio que nos resta!
Pra quem está chegando aqui pela primeira vez, por favor, se encaminhe ao Manifesto e boa leitura!

Quarta

Quarta é antes da quinta, que por sua vez, é antes da sexta.
Entendeu?

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Copacabana







Agora me diz.
Diz se a vida não faz muito sentido assistindo essa cena?


Copacabana, dia 22/10.
Foto: Natália Cordeiro

Sobras

O que sobra pra você do seu dia com oito horas de trabalho é mais ou menos a borda seca da pizza; o "pregado" do arroz; diria até o farelo do pão; a última fatia do bolo solado; uma colher de farofa no meio de um vendaval ou mesmo meio copo de refrigerante sem gás.
Agora saio, pernas bambas, cabeça a mil, corpo cansado, cabelo horroroso, roupa amassada, maquiagem passada, pé doendo, enfrento o mundo pra chegar em casa e embora livre, não consigo fazer absolutamente nada inteligível.
A vida corporativa é isso aí. É para quem gosta mesmo.
Ou para quem precisa, como eu!
Criei algumas "Séries Corporativas", que pretendo mostrar em breve.
Já lancei algumas no twitter hoje: Série "sono depois do almoço" e "uma hora pra tocar a campainha". Leiam na coluna à direita "Por agora".



Agora sim, vou pegar meu farelo de pão...

Sem tempo e com saco

A cada novo horário de almoço (leia-se ócio), saio pelas redondezas para "credenciar" e "mapear" a área.
Hoje descobri uma "saladeria" interessante, uma loja de utensílios de casa de morrer e ainda uma casa de sacos ótima.
Isso mesmo. Loja de sacos.
De todos os tamanhos, de todas as cores e finalidades.
Vi uns sacos que servem como pano de chão muito bons. Vou comprar!

Antes que você pergunte, falta de tempo gera isso, assunto pra quem tem muito saco!

Vitória e Esperança


Ah a esperança...
A esperança é um sentimento que me acompanha sempre. Não desisto de acreditar num mundo mais justo, em pessoas mais humanas e que o bem vencerá...
Resolvi falar disso porque Karen, amiga querida, me renova desse sentimento ao me mostrar essa foto. Não é linda?
Vendo-a perpetuar a espécie assim, me encho de esperanças e chego a creditar que as pessoas tem jeito e que um dia poderei viver de ócio, viagens e gastronomia, hehe.

Maria Vitória já tem 5 meses e juntamente com a esperança que me traz, formam uma dupla digna de um post.

Já falei que ela vai ganhar uma "melissa com glitter", pra já nascer brilhando, como a mãe!

É realmente uma delícia ver esse barrigão feliz e cheio de amor.

Tempo de paz, esperança, plenitude, vitória e união.

Muita sorte e saúde Karen.

Bom dia!

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Que pena!

O cantor Gregory Isaacs morreu.
Que pena!
Mais, aqui!

Iô Iô

Concurso Marca Turística de São Luís

Estão abertas as inscrições do concurso para a criação da Marca Turística de São Luís.
Maiores informações, acessem o site da ADG e divulguem para o maior número de pessoas possível.

Turismo e ação.

O Turismo não é mais o mesmo.
Foi-se o tempo em que os destinos se vendiam com fotos de praia e uma família feliz e sorridente.
Grande parte dos destinos que estavam na Feira das Américas não mais associam seus produtos a um turismo estático. Quase todos tinham fotos de esportes radicais, passeios associados à natureza e muita aventura.
O turismo clássico de sol e praia ou mesmo o turismo cultural com city tour pra saber sobre a história do local não mais encanta os turistas que viajam pelo país hoje.
Um tipo de turismo que faz o turista interagir com a cidade e o faz ter experiência é a tendência do momento.
Pena o Maranhão não estar nessa onda ainda, assim como outras cidades do Nordeste. 
O estande do Maranhão era estático e vazio, diferente de muitos destinos.
Tomara que tenhamos tempo de correr atrás do prejuízo...

domingo, 24 de outubro de 2010

Post Azul


Viajei de Azul. A-D-O-R-E-I.
São só duas poltronas de cada lado, o serviço de bordo te dá direito a uma latinha todinha pra você, snacks (mais de um!) e o espaço entre as poltronas é muito maior.
Tava tudo muito bem nesse post até eu lembrar que a saída é de Viracopos e a coisa não fica tão legal assim...
Achei um saco mesmo a distância, mas gostei da experiência!
A Azul já chega em São Luís e hoje é a terceira companhia aérea do país.
Tá indo bem...

Pra você que está lendo esse post agora, um dia AZUL.

Cada mergulho foi um flash

Sim sim salabin, estou de volta!
Disse que ia postar de vez em quando, mas não consegui!
Os dias em que tive folga à noite, aproveitei pra jantar com uns amigos e matar a saudade de São Luís.
Ontem (prometi aparecer) fiquei prostrada [literalmente]. Estava muito cansada e sem vontade de fazer alguma coisa inteligente.
Sobre a semana do Rio, nada demais. Dias nublados, de clima ameno. Sem praia e eu diria, pouco festivos...


Virlene, Carla Georgina, Renata e Alfonso Leal

Áurea da Emfoco e Natália da Chias Marketing

Gilson e Liana da Giltur atendendo agentes de viagens interessados no Maranhão.

D. Virgínia da Taguatur

Patrícia Servilha (Chias Marketing), Anete (Consultora) e Tadeu Palácio, Secretário de Turismo do Maranhão  
Reginaldo do Jornal Cazumbá (chefinho!)

Adriana Flexa da Interturismo, Wilson do SLCVB e Vilmar da Chapada das Mesas

Aqui, num ambiente mais descontraído, Wilson Mingote do SLCVB

Alegria total!
Flávia Bittencourt e Nan Souza chegando depois de tentarem arrombar um shopping...
(Depois explico) 

Léa Zaqueu da Revista Maranhão Turismo


19h e uma parada estratégica antes de entrar no hotel.
Natália e eu.
Wilson e eu

Achei essa última sequência tão original.... hehe


Esse aqui é o querido França. Fez pose para o bloguito.
Ficou devendo uma cerveja pra gente...




terça-feira, 19 de outubro de 2010

Rio

Tô indo.
Vou viajar de Azul a primeira vez, ou seja, vou sair de Viracopos, também pela primeira vez.
Por esse motivinho básico, saio às 16h daqui para embarcar as 19h.
Não estou levando computador de novo. Não terei tempo de usá-lo.
Tenho algumas reuniões e isso já é suficiente pra cansar e me fazer dormir cedo.
Sempre que possível, vou dar uma voltinha por aqui pra falar o que tá rolando, mas post post só sábado.

Inté!


segunda-feira, 18 de outubro de 2010

ABAV

Irei amanhã para o Rio de Janeiro de novo.
De 20 a 22 de outubro acontece a Feira das Américas, maior feira de turismo que temos.
Só de olhar pra minha mala deu preguiça. Só de ver as minhas roupas, que não entram mais em mim, chorei...
Mas é um evento importante e que sempre dá pra rever os amigos.
Que bom!

Jet Lag

Tô "mareada" hoje.
Sabe quando você anda de barco um bom tempo e o balanço da maresia vai te deixando zonzo?
Ou quando você viaja por muitas horas, troca de fuso e o seu corpo não é informado sobre o que está acontecendo?
Pois é, esse horário de verão é um saco. Estou com jet lag! Até o último dia vou odiá-lo com todas as minhas forças.
Tudo bem que bebi todas no final de semana e dormi menos do que deveria, mas tô assim agora: Mau humor, preguiça, sono e vontade de dormir até não poder mais.....

Pra quem interessar possa, bom dia!

domingo, 17 de outubro de 2010

Cantina pra fechar a noite

O sábado foi corrido.

Corrido porque a sexta foi punk.
Jantamos no mexicano aqui perto e a "saideira" foi no apzito. Da "saideira" até a "pé na bunda" foram várias e várias e o sono mesmo só às 4 da madruga.
Hoje, depois de uma visita à sogra, fomos à "passarela do álcool" na Mooca. Vários barzinhos bacanas disputam clientes com acepipes e chopp gelado. Um fuzuê danado...Fomos ao Zero Grau, bar de uns conhecidos de todos. Gostei bem, embora o chopp seja caro.
Estava de pé à base de cerveja, ressaca e um picolé de limão.
Lá pelas oito fomos ao Roperto, famosa cantina no Bexiga, porque se não, ninguém segura o rojão, já disse o sábio Chico.

Entradinhas, como sempre. Caras como sempre!
O pão italiano é o campeão das entradas, né?

E o namoridão é o campeão do pão italiano!

Carlinha adorou uma vodka...

O que mais me agrada nessas cantinas, além das massas deliciosas, são essas músicas ao vivo.
Não são demais?

video

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Nove saudades!

Gosto de números ímpares. Não me perguntem o por quê!
A maioria das coisas que contabilizo, os números da mega, a quantidade de cervejas tomadas nos botecos e as peças de decoração são em sua maioria ímpares. Deve ter uma explicação cabalística para isso.
Acho que por isso sempre gostei dos números primos e não pelo fato de terem apenas dois divisores. Era porque eram ímpares e diferentes. Gosto do incomum. Isso é um fato.
Outro fato é a saudade que dilacera meu coração.  De tudo. De muito. De pouco. Das pessoas. De coisas. De Momentos. De comida, enfim...
Juntando o fenômeno cabalístico à minha distância, esse mês resolvi enumerar as 9 maiores saudades nesses dois meses morando longe de São Luís. Querem saber quais são?

1) De algumas pessoas – a família e os amigos estão no topo da pirâmide. Cada um desempenhando seu papel em minha vida faz uma falta volumosa. Como fazem falta, nossa! Nesses momentos de ausência, até algumas pessoas chatas fazem falta com suas chatices, é claro! Reclamações e “pequenez” também tem seu valor, dependendo da situação.

2) Praia – nunca fui “rata” de praia. Ia mais vezes pra beber umas cervejinhas que tomar sol. Agora, nessa cidade gelada e cinza, penso: “Porque não fui mais vezes?”. Pisar na areia é uma delícia, tomar banho naquele mar quentinho e olhar aquele céu azul não tem programa mais relaxante.

3) Peixe serra – as pescadas amarelas que me perdoem, mas um peixe serra em posta bem fininho frito com uma farofinha de torresmo que mamãe faz... Hummmm.

4) Farinha D’água – Uma vez um  baiano me falou que nossa farinha parece pedra brita. Entendo perfeitamente. Comparado com a deles que parece maisena, só pode é achar diferente. É a opinião dele. Respeito, mas que nossa farinha faz uma Farofa de Ovo ficar única, ah isso faz!

5) Cristina, minha manicure – Só ela sabe fazer do jeito que gosto. Ela escolhe os meus esmaltes. Corta do tamanho que é pra cortar e nunca tira nenhum “bifinho”.
Como faz falta em tempos de unhas curtas...

6) Saber onde tem cada coisa – Presentes, roupas, tecidos, bijoux, perfumes e tudo o que você precisar. Sabia de tudo. Bastava separar um tempo e correr lá pra comprar. Dependendo de quem era, era rápido.

7) Tomar cerveja na Feira – os amigos de feira, o odor de galinha, o sol na testa, a mesa apertadinha, a cerveja não muito gelada, o cheiro de camarão seco e o atendimento ruim formam uma equação divertida e muito saudosa. Sempre às sextas à partir das 13h. Marcado!

8) Falar “tu” pra todo mundo – continuo falando “tu”, mas não há retorno, faz eco...

9) Comer camarão seco com arroz de toucinho às 18h na casa de vovó, na metrópole Humberto de Campos -  Só lá tem o sabor que dá água na boca. O arroz é soltinho, perfumado e temperado com um toucinho fresco e tratado com carinho. O camarão não é salgado nem insosso, não é grande nem pequeno, é seco na medida certa, ou seja, a casca sai quase inteira e é de um tom alaranjado que só na casa de vovó é capaz de ter...


Ah sim, porque 9? Deve ter alguma explicação cabalística, só pode!

Coluna Ócio, viagens e gastronomia
Jornal Cazumbá.

Só quero ver

Só quero ver o que Paulinha vai falar....
Estou experimentando algumas propostas de releitura da logo do bloguito.
O que acharam dessa?

Comentários

Coloquei moderação para publicação de comentários.
Isso tem me causado um certo constrangimento...
Tem ociosos dizendo que não publico seus comentários, o que não é verdade. Não publico o que não aparece aqui para ser moderado.
Deve dar alguma falha, só pode.
É verdade que alguns chegam como spans e que só fui ver outro dia, mas mesmo assim, não tinha lá os de Karen nem os de Paulinha, as duas que reclamaram por último!
Bom, na hora que tiver um tempo em casa, volto às publicações sem moderação. É que tem gente que chega e só escreve meleca. Bobagem mesmo.
Críticas, reclamações ou mesmo sugestões não tem problema. Irei publicar de qualquer jeito. Ter alguém falando contra é bom, engrandece os posts... Até gosto disso, mas se não está publicado, não apareceu aqui, ok?

Diazão pra todo mundo!

terça-feira, 12 de outubro de 2010

Feriado

Chegamos!
O bloguito estava de folga esses dias e agora está de volta.
Cheio de cansaço e de conversa fiada.
Amanhã coloco tudo na mesa e conto um pouquinho de tudo.
Agora estou mortinha da silva e só passei pra dar um alô.
O Rio de Janeiro continua lindo... e ponto final.

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Unhas

Sexta também é dia de fazer unhas.
Almoçar ou fazer unhas? Resposta fácil.
Tão bom ficar limpando as unhas, recebendo massagem nos pés e nas mãos...
Tão chato ficar escutando papo de manicure...
Tão chato folhear revistas com gente fingindo que é feliz na Ilha de Caras...
Tão bom sair do salão e ficar olhando para as mãos toda hora...

Mulherada ociosa, vai dizer que não fica olhando toda hora pro esmalte?
Ah, tá!

De sexta para sábado

Cheguei em casa ontem super tarde. Chuva e lentidão na cidade toda.
Em uma hora e meia dentro do ônibus, dormi, sonhei e anotei umas providências para hoje.
O sofá do apzito chegou e parte da noite foi vendo como ele fica melhor. A coisa tá apertada agora...
A outra parte da noite foi tentando saber onde fica o ícone de fazer pipoca no celular que o namoridão comprou. Mexemos, mexemos e não resolvemos nada.
Tá lá em casa pra se tentar no feriado. Só de olhar dá medo!

Como se fosse pouco, ganhei um relógio também (que tá grande no meu braço, claro!) e para engrossar os bens literários da casa, o novo livro do Gullar "Em alguma parte alguma".

Muita coisa pra fazer nesse feriado, vou contar!

Amanhã cedinho viajamos para o Rio. Vamos de busão.
O aéreo tá quase o mesmo preço para a Austrália, então resolvemos experimentar as 6 horas que separam aqui de lá.
Vamos ver o que dá.
Gostei porque terei mais coisa pra contar e dá pra ir "marocando" tudo, coisa, que vamos combinar, adoro!

Não vou levar computador, internet portátil, sapato, maquiagem e nem bolsa de couro. Só ecobags, mochilinhas, chinelinhos de dedo e um casaquinho, porque para nosso desespero, lá não vai fazer mais de 28 graus, o que de certa forma me deixa frustrada, mas como sempre, dá pra liberar o estresse andando de bike no domingo.

Vou ver se consigo arrumar a mochila hoje bem rápido pra dar tempo de escrever aqui e dar um tchau digno aos ociosos de plantão.

Boa sexta pra todo mundo!

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Dia Bom

Vim por outro caminho pro trabalho hoje.
Como já tenho uma amiguinha nova, resolvemos fazer o caminho novo, quase todo de metrô.
Cheguei menos cansada no trabalho.
Acordei 15 min mais tarde.
Adorei e ainda encontrei o cunhado na estação. 
Viemos conversando sobre as aulas de alemão da minha amiga.
- "kjdajghuetupowigtldjgfk". Foi mais ou menos isso ela falou pra gente.
Como não entendemos nada, demos tchau e já tô aqui.
Preciso concentrar pro trabalho hoje e não posso cochilar na frente do computador, como estou fazendo todos os dias depois do almoço.
Tenho que deixar muita coisa pronta, já que na próxima segunda não irei trabalhar e todos aqui vão!
Vou tomar uma cerveja na praia, que tô merecendo bem...


Um bom dia e muito obrigada por sua visita. Ela me faz um bem enorme.

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

Normal?

Adoro o meu trabalho.
Adoro o que faço.
Adoro desenvolver coisas novas, aprender novas metodologias, mas é normal uma pessoa passar o tempo todo pensando em viagens, ócio e gastronomia??????
Em estar curtindo por aí?
Queria estar viajando agora. Com os pés num bom chinelo de dedo, uma camisetinha e um mochilão.
Fecho os olhos e muitas imagens me vem à cabeça, aí toca a sirene do dia a dia e pééééénnnnnnn.

Bom dia!

terça-feira, 5 de outubro de 2010

Um banda

Só consegui sair do trabalho ontem às 22:35h.
Tinha prazo pra entregar um relatório e tinha que ser ontem.
Fudeu!
Acordei "só uma banda". A outra acho que ficou na cama descansado com o namoridão que está de férias e curtindo dormir até mais tarde.
Mas "vamu que vamu", que como diz o ordenador de filas do Metrô Paraíso: "Não precisa empurrar, o Brasil é nosso!"
Bom dia!

domingo, 3 de outubro de 2010

Pizza em família!!!

Receber a família para uma pizza não é tão simples assim.
Mesmo com frio, levantamos cedo para as devidas providências

Flores para brindar a primavera. Claro!

Enquanto o namoridão vai comprar mais uma coisinhas, um chopinho pra distrair 

É. Dia de evento não dá tempo de almoçar.
Um lanchinho rápido com uma cervejinha, hum?

Eu falei lanchinho? Não era bem isso que eu queria dizer...

O meu foi de pernil e sem salada!

Pra receber visitas, há de se estar preparado...

Mais flores. Esses girassóis e o crisântemo são para enfeitar o apzito.

Ó

Mesinha antes do povo. Tudo limpo por enquanto

Dá uma pinta de vez em quando é bom hehe 

Queijo massdam como entradinha

Vamos entrar?

Mini alcachofras com linguiça trazidas pela sogra e cunhada.

Já tem gente por aqui.
Como entrada também servimos pão italiano, torradinhas, sardela e queijo cottage
Cervejinhas, vinhos, refrigerantes, energéticos e sucos no "Menu de bebidas".

Juro que não comi nada durante a festa. Só bebi!
Dieta nível 1 nesse dia... Hunf!

Botando a semana na mesa

Carlinha com D. Ana e Seu Italo 

Mario e Andréa

As pizzas chegaram!!!!

Enquanto isso no tapete...

Elevador exclusivo da família.

Olhem o crisântemo aí!

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Prêmio Jabuti

O Veríssimo perdeu o Prêmio Jabuti para O Chico Buarque e o Edney Silvestre.
O Edney ganhou primeiro lugar com o livro "Seu eu fechar meus olhos agora".
Leite Derramado do Chico ficou em segundo e meu amor em terceiro!
O livro do Veríssimo que concorreu foi "Os Espiões", que já li duas vezes esse ano. Gosto bastante da ficção e o melhor: da decepção no final!
Post meramente informativo, pois o máximo que conheço do Edney Silvestre são as reportagens da Tv e não gosto da voz dele...
O Chico, bem, tudo que ele faz é premiado e eu adoro, mas não li o livro que concorreu.
Ainda sobre o Chico, estou colecionando a discografia original. Toda sexta a Folha publica um, a módicos R$ 15,00. Uma sexta eu pago, outra o namoridão!

Justíssimo!!!!

Sexta e um dia tão legal que até os acessos aqui no bloguito ficam minguados (Ôpa, não que isso seja legal...).
Legal por tudo aquilo que sempre falo aqui e porque acho que o povo não tá "nem aí" pra mais nada, só pra chegar a hora de ir embora, curtir sua casa, tomar umas biritas, se ver livre do chefe e dormir até mais tarde.

Acho justo!