domingo, 16 de maio de 2010

Pra pobre?

Como há tempos não fazia, acordei quando o corpo quis. Quando ele se cansou de ficar deitado e se sentiu preparado para levantar e enfrentar o dia.
Entre as atividades domésticas pautadas para o dia, estava recolher as roupas da semana espalhadas pelas mesas e cadeiras do apzito e fazer um "5 S" na geladeira.
Temperei uns peixes, cozinhei legumes e fiz arroz, tudo na tentativa de almoçar em casa descansando da semana puxada, mas eis que Mamá chegou e me tirou do eixo, digo, do rumo pensado e planejado desde o dia anteior.
Acabamos indo almoçar no Rio Anil Shopping, há cinco minutos do apzito.
Nossa ida acumulou vários objetivos e um deles era conhecer o próprio empreendimento que coitado, é achincalhado por tudo e todos como um shopping de "pobre". Pobre é aquela coisa, né? Não poder ter direito a nada, quem dirá a um shopping! A crueldade das pessoas chega ao seu limite nos detalhes do dia-a-dia. Uma coisa horrorosa, vil.
Numa cidade como São Luís onde grande parte da população não dispõe de oportunidades, dizer que tem um shopping "pra pobre" é algo que soa como excludente para uns e oportunista para outros.
Antes da inauguração do tal "pobre shopping", as marcas que estariam  presentes logo me chamaram atenção, pois sao marcas que estão nos inúmeros empreendimentos pelo Brasil afora, como Kopenhagen, Montana Grill, Carmem Steffens, Vivenda do Camarão, Centauro e muitos outros, mas no entanto algumas ainda não em São Luis e por outro lado porque penso que shopping pra pobre devia ter marca que pobre pode comprar.
O shopping é lindo. Tem cara de shopping e não de galeria, se é que você me entende. A praça de alimentação é grande, espaçosa, arejada, limpa. Não deve nada aos shoppings dos grandes centros.
De certo, percebi uma incoerêcia na concepção da coisa, já que as marcas não condizem com o poder aquisitivo dos  frequentadores.
A campanha publicitária foi bem apelativa e direcionada à classe média, já que utilizou negros, mulheres casadas, "normais" e não modelos famosas, mas há algo que não combina. O que é? Não sei!
Me senti muito bem por lá (sou classe média), gostei da proposta e almocei um sanduiche no Montana Grill.
Estava tudo bem, tudo muito reflexivo e com muita coisa bacana pra ver até eu ter a brilhante ideia de passar na Kopenhagen pra comer uma trufa de sobremesa.
Vimos o expositor e escolhemos uma trufa crocante. Era bem pequeninha, menor que um brigadeiro. Coisa rápida... já tava na hora de ir fazer unha!
- É no peso, falou a atendente (e foi logo pondo na balança) 
- Quanto? Perguntou Mamá
- R$ 5,12, respondeu a atendente.
Já imaginando o desfecho, paguei a minha caladinha e fui saindo.
- Tu queres que eu bata na tua cara agora ou lá fora?

Sem apanhar de Mamá pelo preço absurdo pago por uma mini trufa, afirmo: pode ser pra pobre, mas que é bonito e pobre não vai poder comprar quase nada dali, ah não vai!


8 comentários:

karen disse...

Vou te falar que o investimento feito ali foi muito grande, tudo é de primeira da entrada,às escadas rolantes e elevador...além é claro de um banheiro fino, finissimo por sinal, um dos mais bonitos que já vi em shopping!
O estacionamento é mais caro que no são luis shopping diga-se de passagem...
Acho somente que as propagandas, o marketing em si foi mal pensado, produzido e mal articulado.
No mais como vc disse ali não tem nada pra "pobre". O shopping é muito bonito e acho que a cidade em si só tem a ganhar...

p.s: deixa só eu te contar + essa: muita gente disse que essa area é periferia... há um tempo atras quando morava no cohatrac em 2003 liguei por china in box pedindo comida e o atendente não deixou nem eu fazer meu pedido, perguntou logo onde era a entrega, eu disse que era no cohatrac e ele disse:
_ Senhora não entregamos na periferia da cidade! tu, tu tu tu
Tú Acredita nisso?!
Hoje em dia eu sei que eles entregam ...mas china in box pra mim acabou desde então e eu era fã.
e aqui só tem aquela franquia horrorosa la no renascença..por que será né...

maria faz bolo disse...

oi,querida.tu tens que fazer como eu faço.pergunto o preço primeiro.kkkk.aprendi com papai.não tem erro.bjos

Paulinha disse...

huahuahua..Mamá deverei ao menos ter te dado um cascudo!!!
Naga, lugar onde tem Marisa, C&A, Riachuello e uma outra bem popular que eu esqueci o nome agora (maranhense)...aff...não tem pobre que não vá comprar nem que seja uma calcinha, só pra andar de sacola na mão dentro do shopping. hehehe

Lorena disse...

Bia, sou vizinha do shopping e achei no mínimo curioso esse preconceito q o povo tm em relação aos frequentadores...no mais, concordo com as suas colocações, acho q devemos estimular o surgimento de mais opções de lazer para todos os níveis e gostos...

Ócio, viagens e gastronomia disse...

É isso meso gente. Que pobre que nada, o shoppis é para gente como a gente...

Ócio, viagens e gastronomia disse...

Karen, essa foi péssima! Não sabia... que horror!

Ócio, viagens e gastronomia disse...

Cica, mas sabes que fomos pegas de surpresa?
Ficamos abestadas...
Kkkkkkkkkkkkkkkk

Marcelle (Mamá) disse...

Nêga, a frase exata foi:"Tu queres que eu te mate agora ou lá no carro? Tá louca?". Não bati ou matei por pouco!!!! Uma trufa (brigadeiro)por R$ 5,12?
Só Bia mesmo p fazer eu fazer uma coisa dessas. E o pior é que bem na frente da loja tem um quiosque vendendo Prestígio por R$ 0,70.