Pular para o conteúdo principal

Turismo 2.0

Esqueça tudo que você já ouviu ou aprendeu sobre propagandas, marketing e relacionamento corporativo.

À partir de agora você está tratando com pessoas de leitura não linear, que querem velocidade e tem raciocínio rápido, ou seja, a geração digital!

A geração digital quer mobilidade e interatividade e não tem horário nobre (aquele mais caro na TV aberta, mais precisamente nos intervalos da novela das oito). Isso significa que o horário quem faz é o usuário e o seu papel enquanto empresa é divulgar 24h.

Essa nova geração é adepta da Web 2.0, que designa a segunda geração de comunidades e serviços baseados na plataforma Web, como winks, redes sociais, sites de busca e blogs. Esses últimos, muito populares em todo o mundo.

Não se concebe mais um serviço ou produto sendo promovido apenas pelas mídias tradicionais ou convencionais (rádio, TV, revista, jornal e outras) e pelas mídias alternativas (blimp, busdoor, mobliário urbano etc). O imperativo agora é associar todas as mídias e dar ênfase às mídias digitais, já que essas tem o poder de integrar o usuário ao produto ou serviço.

A pesquisa Google NY (setembro de 2009) aponta que 95% do público jovem americano utiliza a internet como principal fonte de pesquisa, tornando o marketing digital o principal meio de propagação de novas idéias.

O “case” de sucesso sobre a eleição de Barak Obama demonstra o poder de uma campanha focada no público jovem e fez com que o mentor dessa façanha, o publicitário Ben Self viajasse o mundo inteiro ensinando os segredos do marketing viral (propagação rápida e massiva de alguma idéia).

Para as próximas eleições, espere uma avalanche de informações e debates via internet e um novo modo de fazer eleição, já que ele também aportou pelo Brasil e já fechou um pacote avantajado com o PT para alavancar as pré-candidata Dilma Roussef.

O São Luis Convention & Visitors Bureau, entidade representativa da cadeia produtiva do turismo, divulgou recentemente uma pesquisa realizada com 453 participantes de eventos no ano de 2008, onde a maioria (22%) dos entrevistados soube do evento através da internet, ratificando a importância estratégica dessa ferramenta que chegou pra ficar.
Mas o que a web 2.0 traz de diferente?
A interatividade! A possibilidade de o usuário poder trocar idéias, propor correções ou mesmo divulgar gratuitamente e de forma positiva qualquer serviço.

Isso só foi possível com a expansão das mídias sociais, que são ferramentas on-line que os usuários utilizam para compartilhar opiniões, idéias e experiências umas com as outras. De um modo geral são recursos baratos, acessíveis e se bem trabalhados, muito eficientes para a comunicação de qualquer empresa.

O Orkut, por exemplo, é a mídia social de maior impacto no Brasil, com mais de quarenta milhões de usuários (e destes, mais da metade são brasileiros) e é o site mais acessado no país.

O YouTube, canal exclusivo de vídeos, cresce com a velocidade da própria internet e já possibilita a criação de ídolos, celebridades e fenômenos instantâneos.

Os blogs, sites em formato de diário onde usuários/corporações publicam seus artigos com espaço para interação de outros usuários funcionam como grandes redes de informações e são usados como fontes de pesquisa e norteiam opiniões.

O twitter, fenômeno global que permite a interação com um número ilimitado de pessoas, já representa grande parte das mídias sociais utilizadas no país. Tem formato de microblog e só permite a informação sendo processada com no máximo 140 caracteres. Uma revolução “internética” sem igua
E o turismo diante da geração digital?
Com tantas possibilidades, as empresas turísticas já estão em fase de transição e cada vez mais precisam correr para chegar primeiro ao usuário.

Quem não estiver em consonância com as novas tendências irá ficar de fora do mundo globalizado e perdendo a chance de vender e de se promover.

Grandes operadoras, como a CVC e Free Way são bons exemplos de empresas que seguem a onda 2.0 e conseguem fazer das mídias sociais grandes plataformas de trabalho.

Criar canais no youtube permite que a corporação tenha um canal exclusivo para mostrar viagens, entrevistas, roteiros, depoimentos de clientes, eventos e festas e provar aos clientes que tem respaldo para vender ma excursão, por exemplo.

Os blogs permitem a atualização instantânea de algum fato, produto ou mesmo dicas que facilitem a vida de quem você quer conquistar, assim como todas as mídias sociais existentes. Pelo twitter você pode lançar uma promoção e divulgar para o seu número de seguidores, que dependendo da sua competência, pode atingir 100 mil pessoas a 140 caracteres e em 5 segundos.

Para o profissional de turismo de hoje é necessário dominar as interfaces da web 2.0 para que possa operacionalizar as mídias e propor estratégias para seus produtos e é bom que seja rápido, pois pelo andar da carruagem, a 3.0 está chegando e com a velocidade da luz.

Quem é quem nas mídias sociais:

Wiki – softwares colaborativos usados para criar documentos conectados uns aos outros. O tipo mais famoso é a Wikipédia, que é uma enciclopédia cujos termos são criados e editados por diversas pessoas.

Blog – site que permite atualização rápida a partir de acréscimos de artigos ou “posts”. A organização se dá de forma cronológica inversa. Os blogs geralmente são temáticos e podem ser escritos por diversas pessoas. As principais ferramentas para criação gratuitas são o blogger (www.blogger.com) e o Wordpress (www.wordpress .com).

Orkut (www.orkut.com.br) – rede social que tem como objetivo ajustar seus membros a manter relacionamentos, fazer novos contatos e participar de comunidades sobre temas diversos, nos quais eles podem conhecer outras pessoas que tenham algo em comum.

Facebook (www.facebook.com) – rede similar ao orkut. Alguns usuários do Orkut migraram para o facebook porque consideram que há uma certa exclusividade. O Brasil não está entre os maiores usuários.

Flickr (www.flickr.com) – rede social para compartilhamento de imagens e fotografias. Os usuários podem comentar nas fotos (mesmo as que não são suas) e acrescentar “etiquetas descritivas” a elas.

YouTube (www.youtube.com) – site que permite aos usuários carregarem e compartilharem vídeos. Ele oferece ainda um código para cada vídeo para que outros sites possam incoporar os vídeos ao seu conteúdo.

MySpace (www.myspace.com) – rede social que hospeda e toca mp3, o que faz com que seja bastante popular entre bandas, cantores e amantes de música.

Twitter (www.twitter.com) – serviço de microblogging que permite posts de até 140 caracteres. As atualizações são exibidas no perfil do usuário em tempo real e também enviadas a outros usuários que tenham assinado para recebê-los (os “seguidores”). Tem sido usada também para troca de conteúdo e notícias entre os usuários.

Jornal Cazumbá, fevereiro/2010

Comentários

karen disse…
Beatrice borges também é informação!!! Muito chique esse teu post adorei@@@@

Postagens mais visitadas deste blog

Óleo composto de soja e oliva. Não caia nessa!

Esses óleos compostos que tanto enganam os comensais espalhados por ai foram feitos para cozer, não para derramar em cima do prato pronto! Foram criados como uma alternativa para quem está com o orçamento apertado ou não tem costume de cozinhar com azeite de oliva.  Para um prato refogado, por exemplo, fica muito saboroso. O problema é que pelo fato de ser mais barato, os donos de alguns restaurantes de segunda, terceira, quarta e quinta categoria substituem o tradicional azeite por esse composto e a turma desavisada, derrama com gosto em cima do prato. Uma maldade! Vejo o povo jogando em cima da salada, sendo que em todos os compostos, 95%  é de óleo de soja e apenas 5% é de azeite (não extra-virgem!). Esperteza do restaurante que ganha por um produto de qualidade inferior e lerdeza do consumidor que não lê o que está consumindo. O consumo de azeite no país tem crescido assustadoramente, à proporção que  a gastronomia ganhou status de ciência e o poder aquisitivo da população melhorou.  De…

Patinhas de caranguejo ao molho vinagrete

O vinagrete do jeito que eu gosto...

Ingredientes
1Kg de patinha de caranguejo (de preferência do Maranhão, hehe) 2 tomates maduros 1 cebola 1 pimentão verde (que pode ser o da sua preferência) 1 maço de cheiro verde (se você preferir) ou apenas cebolinha 2 limões Sal Azeite para temperar
Modo de preparar
Afervente as patinhas em água com umas pitadinhas de sal. Veja bem, aferventar não é ferver. Basta abrir fervura e elas começarem a ficar cor de rosa, é pra tirar do fogo. Reserve e deixe esfriar. Se ficarem muito tempo no fogo elas ficam duras e na verdade elas devem ficar macias. Após lavar os legumes, corte em pedaços uniformes e bem pequenos, assim como o tomate (que é uma fruta). Para mim, quanto menor, melhor. Misture todos os legumes cortadinhos num bowl, tempere com o suco do limão, sal e bastante azeite. Acrescente um pouco de água filtrada para dar um pouco mais de molho ao vinagrete. Arrume as patinhas num refratário deixando-as com o "cabinho" pra cima. Dessa forma fica mais f…

Extrato de tomate congelado. Pode sim!

Taí que eu não sabia que podia congelar extrato de tomate, acreditam? Perdi a conta das vezes em que deixei de fazer alguma coisinha porque teria que abrir a lata de extrato de tomate, usar uma colher de sopa e guardar [e estragar] o resto. Para minimizar os prejuízos, não só financeiros, mas de consciência também, passei a comprar aquela latinha "elefante" bem pititica. Mas ainda assim estragava metade... Agora, descobri com nossa consultora Andréa, que podemos usar o que vamos precisar e congelar o resto. Será que só eu não sabia disso? Ai que horror! Acho que dá pra fazer assim: abrir a latinha e já separar umas porções para congelar, como está mostrado na foto acima. Mas Andréa lembra: não é bom deixar muito enrugadinha porque quando você for usar, pode ser que o plástico fique difícil de tirar. Melhor deixar assim mais lisinho.
Agora vai lá fazer um macarrão e contra aqui pra gente como ficou, tá?
Inté,