quinta-feira, 30 de abril de 2009

Bodega do Sertão

A Bodega do Sertão foi o cenário de um jantar pra lá de divertido em Maceió.
É o restaurante mais indicado pelos taxistas, pelos guias e pelos recepcionistas. Aquilo vai te dando uma curiosidade danada, mas tinha desistido de ir. Viajar a trabalho e sozinha te deixam duas marcas registradas: cansaço e timidez.
Tive o convite e tasquei minha maquininha na bolsa antes mesmo de por a indispensável necessarie.
É na verdade um complexo gastronômico, já que tem de tudo: comida nordestina, bebidas, beiju, bolo, cenário, música de Luiz Gonzaga, atendentes vestidas com roupas que remetem ao Nordeste, clima de Sertão e muita gente. Bota gente nisso!
É um barato. Chega a ser poluido de tantos detalhes. Você passa uns 20 min vendo tudo, fotografando, examinando os espaços e se encantando com tamanha riqueza.
Há o salão principal, mais alguns espaços climatizados e ainda outras ilhas gourmet que se espalham ao longo do restaurante.
Na entrada tem souvenirs pra vender e é quase impossível passar por lá e não trazer uma cachacinha ou pelo menos um molho de pimenta.
O interessante disso tudo é a gastronomia daquela parte do Nordeste ser tão diferente da nossa. Quase todas as comidas levam queijo coalho e muita macaxeira (aipim ou mandioca, como queiram). Não vi também mariscos ou peixes, e sim, muita carne de sol, muita charque, aves em geral.
A oferta de arroz doces e refogados é enorme, não esquecendo do cuscuz que para nós é café da manhã e pra eles é a qualquer hora.
Aqui, deixamos de lado esses complementos e caímos direto no peixe, camarão, sururu e caranguejo.
Esse País não é mesmo lindo???
Generoso, farto e rico???
Sem contar que o restaurante tem um bule gigante na entrada que já te deixa encantada e sabem o mais melhor de bom? o preço!
Outro ploc para quem adivinhar: R$ 29,99 o quilo.
Bom, pra quem for dar uma passadinha por Maceió, não pode deixar de conhecer!
a ilha gourmet pra lá de diferente

o salão principal


Tá apertado?

Comi Pantim (um mexido de macaxeira, queijo coalho e carne seca - uma delícia!), risoto do sertão (pensa aí em qualquer coisa do sertão e junta tudinho), um creme de charque com macaxeira maravilhoso e uns pedaços de carne de sol e de sobremesa experimentei um pudim de macaxeira caramelizado com uma colherinha de cocada de forno (o que que é aquilo meu Deus???).
Recomendo!

Maceió_parte 1

Detalhes neoclássicos do prédio mais lindo que vi!

a perspectiva do prédio


Oi gente!

Desculpem, mas somente agorinha mesmo é que tô tendo tempo de atualizar este espaço holístico!
Agora falando de Maceió, que não postei nadica de nada, essas fotos são do prédio que mais me chamou atenção a capital alagoana. É a Associação Comercial.
Não é demais????
Imponente, traços neoclássicos perfeitos.
Frontões triangulares e colunas coríntias de cair o queixo.
Só lembrei depois que devia ter marocado lá por dentro pra saber se tem gente pra ocupar tanto espaço!
Vacilei!

Saga maranhense

Din dón
"Atenção passageiros marcados no vôo 3572 com destino a Imperatriz e São Luís. O seu embarque está sendo iniciado pelo portão de letra "F". Tem prioridade de embarque passageiros com tam fidelidade vermelha, passageiros com tarifa top, passageiros com crianças de colo, idosos ou com dificuldade de locomoção"
- Oi Nonato, tudo bem? Quanto tempo!
- E aí menina, beleza?
- Tá vindo de onde?
- Se eu te falar tu não vais acreditar!
- De onde?
- De Codó!
- De Codó?
- É. De Codó!
Explico:
Nonato Masson é um velho amigo que reencontrei (uns 8 anos depois) no Aeroporto de Brasília ontem. Eu, vindo de Maceió e ele de .... Codó!
Codó é um município maranhense quente pra caramba que fica no cafundó dos judas, dobrando a esquina. Famoso pela sua grande potencialidade em fazer macumba pros outros, seu filho ilustre é Bita do Barão. As estatísticas wikipédia elevam este pomposo município a categoria de quarto maior do estado.
Embora seja o quarto maior do Maranhão, a TAM ainda não pousa por lá, hã?
As chuvas no Maranhão, pelo visto, não acabam nunca mais e ao invés de trazer prosperidade, trazem mazelas e mais mazelas. Uma dessas é deixar a Ilha de São Luís isolada por causa do rompimento de várias pontes.
Codó também tá no isolamento e por sorte ou azar, meu caro amigo Nonato tinha que chegar em São Luís hoje. E o que restou ao nosso guereiro militante de causas nobres, heim? Um ploc para quem acertar!!!!
Ir a Teresina, que está somente a 120 km de lá, achar que um avião de Teresina a São Luís seria mais ou menos 1h 10 min e que por volta das 17h ele estaria no conforto do seu doce lar.
Ora ora meu caro Nonato, que bobagem!
O correto foi: sair de Codó de táxi para o Km 17 (outra metrópole a poucos minutos de Codó), garimpar uma Van, chegar em Teresina e descobrir que nem de ônibus dava pra vir pra São Luís e que o melhor ainda estava por vir!
Nonato então embarcou num vôo TAM saindo de Teresina com destino a São Luís, e claro, foi dar uma volta rápida lá pelas bandas do Planalto Central pra espairecer e deu de cara com essa que vos escreve nesse momento, ainda estupefata e rindo com tal situação.
Haverá nesse mundo alguém que tenha feito tamanho malabarismo pra chegar em São Luís?
E eu que achei que ir pra São Paulo e depois a Maceió era uma aventura...tsc tsc
Resumão:
Conversamos tanto no avião que nosso vizinho mudou de lugar!
E o namoradão ainda insiste com essa ideia de conhecer Codó...
Extras:

quarta-feira, 29 de abril de 2009

Desoriente-se


Em todo o Nordeste, esse tipo de balcãozinho é muito comum.
Assim que vi na pousada em Maceió, imediatametne me lembrei que nas capitais normalmente se vê essa mídia.
Acho tão legal... me parece relativamente simples, já que são as empresas que confeccionam os seus flyers, mas quando lembro que na Ilha do Amor é uma cirurgia cardíaca as empresas conseguirem fechar um simples mapa para aeroporto e postos de informações, desisto da ideia.
Hunf!

Hora do Rush

Aeroporto em hora do rush é demais!
Sendo o principal hubby do Brasil, então... Brasília é assim, um horror.
Vendo o movimento muito grande pra uma quarta, me dei conta de que é antevéspera de feriado e por aqui as coisas funcionam assim, se tem feriado, tudo lota. Menos a cidade!
Dando um giro de 360º vejo muita gente tomando chopp, na verdade acho que sou eu não estou! Também observo um cara muito do feio me dando umas olhadelas, na tv passa uma novela que deve ser a das seis, ao fundo uma música boa (um jazz), muitos ternos conversando entre si, meu vizinho tá passeando pelo site da Casa Civil, a Casa do Pão de queijo lotada como sempre, um aroma de café pelo ar me convida, muitas placas da cerveja devassa (depois falo dela) e da baden baden, o Spoleto também faz fama por aqui.
Pedi uma empada de palmito (pra variar), as pessoas falam no celular incessantemente, flagrei pelo ouvido uma conversa de dois vizinhos falando de umas namoradas extraoficiais (agora é junto ou separado ?), a empada não tá tão boa assim e o barulho é quase ensurdecedor.
Já liguei pra "Ubaldocard" me buscar e vou só terminar de ler uma matéria da Caros Amigos e depois escrever mais um pouco os textos atrasados.
Regi tá cobrando...
Inté

Antes de acabar a bateria

Sem tempo pra escrever aqui, tô esperando pra embarcar.
Tô baixando as fotos e mais tarde posto todas.
Maceió é muito lindo. Tem praias lindas.
Um azul do mar de doer no olho.
Dá uma inveja...

Quero vooltar. Vou voltar!

Inté mais ver!

terça-feira, 28 de abril de 2009

Olorum Kolofé Axé

Meu povo! Assisti uma palestra hoje sobre Culinária Quilombola. Muito bacana! Amei!

Começa aí pelo fato de eu adorar temas afro brasileiros e ser militante por uma sociedade igualitária.

Mas o primeiro questionamento do tema é: Existe uma culinária quilombola?

Não querendo aqui discutir sobre culinária versus gastronomia, o bacana é refletir sobre a quantidade de informação e cultura que se perdeu ao longo dos anos pelo simples fato do colonizador não acreditar que negro era gente, não dar valor à sua cultura, embora comesse das iguarias feitas e modificadas por eles e portanto não ter deixado vestígio de toda aquela riqueza.

É claro que a culinária da época é importante e deve ser resgatada, não há dúvida disso. A questão é essa dificuldade em garimpar informações. Achei intrigante essa questão.

Não há registros na historiografia brasileira sobre esse tema e o trabalho do Chef Guga Rocha é louvável.


A base da alimentação dos quilombos "das Alagoas", era porco, galinha da terra, feijão, mandioca e outras raízes (inhame, cará, mandioquinha), óleos à base de côco e as frutas, banana, laranja e outras frutas do sertão.


Pra não entender:

Alagoas é um celeiro negro importantíssimo. Foi aqui o grande Quilombo dos Palmares, a maior representação da liberdade em tempos doloridos, mas fica uma pergunta para minha amiga Maria da Graça, a negra mais porreta da minha vda: porque então não se vê muitos negros em Maceió? Intriguei de novo!

Para saber:

Não houve nada mais bacana até agora por aqui que escutar a aeromoça falando: "Senhoras e senhores, bem vindos ao Aeroporto Internacional Zumbi dos Palmares".

Deu uma sensação boa, não sei explicar.

Talvez pelo fato de sempre chegar em aeroportos e ouvir:

Bem vindos ao aeroporto Marechal Cunha Machado (quem foi esse cara?)

Bem vindos ao aeroporto Governador Franco Motoro (me poupe!)

Bem vindos ao aeroporto Senador Petrônio Portela (faça-me o favor!)

Bem vindos ao aeroporto Pinto Martins (ah, desisto!)

Fica aí a dica pra futuras pesquisas...

ah, o título é "Deus te abencoe a te dê força"

Amenities

Sempre amei falar disso. Meus alunos de Meios de Hospedagens falam que já tenho cara de amenities!
É que adoro detalhes e os amenities são detalhes muito interessantes.
Desde a preocupação com a gramatura dos sabonetes, sendo que cada um serve para um tipo de cômodo ou quantidade de diárias, até a sensibilidade em utilizar os amenities em prol do empreendimento.
No segundo caso citado, temos os resorts que parceirizam com grandes marcas o desenvolvimento de amenities específicos para clientes especiais.
Já estive em resort em quarto standard e os shampoos, cremes e touquinhas eram bons, mas já visitei alguns outros que você poderia optar pela fragrância no ato da reserva e escolher o shampoo para seu tipo de cabelo. Um luxo!
O bom é que na pousada em que estou os amenities são pra lá de simples, mas em compensação apresentam uma proposta boa: a divulgação de vários atrativos turísticos do Brasil.
O sabonete é de 13g, da marca Terra Brasilis e apresenta os "Caminhos do Brasil". Pra eu não ficar totalmente feliz, adivinhem qual é o atrativo desse aqui?
O Pelourinho, na República Federativa da Bahia, é claro!
Nossa, eles não deixam passar nada! Fico impressionada!
Odeio dizer isso, mas de novo, congratulações ao povo marketeiro da Bahia!!!!

segunda-feira, 27 de abril de 2009

Patrocínio uol


De novo, vejo agora no jornal as reprises dos gols do campeonado paulista do final de semana e continuo com uma ideia fixa: a bola do jogo não é igualzinha à logomarca do uol?????

Boletim Maceió

Uma das várias pracinhas de venda de tapioca na orla


Que tal uma água de côco geladinha, hum?

Mal pude acreditar que ainda estava viva quando cheguei aqui. E o pior: continuo exausta!


Maceió é muito parecida com São Luís na temperatura, tamanho e brisa.


A última vez que estive aqui, PC Farias ainda estava vivo e lembro da minha breguice de tirar foto na frente da casa dele.


Tsc, tsc. Tô sentindo uma ressaca moral agora...


Fiz uma hora de caminhada na praia, li mais umas páginas do meu livro, comi uma tapioca de carne seca e queijo coalho e ja estou pronta pra escrever os textos do jornal e depois dormir.

A Pousada Pérolas do Mar, a que estou, é muito fofa. Novíssima, bem localizada, quartos confortáveis e arejados. Indico para quem não precisa de grandes hotéis e considera a relação preço justo x serviços justos uma grande ideia.

Não deu pra tirar boas fotos, pois qdo saí do quarto exatamente às 17:34h, opa!

Tudo escuro. Anoiteceu.

Amanhã depois do trabalho, vejo o que consigo registrar!



Reparei:

  • Temperatura desde que cheguei: 30°
  • Orla linda
  • Tapioca pra todo lado
  • Graviola aqui é croassá
  • Fruta do conde, que pra mim é ata, aqui é pinha!
  • Côco aqui ainda é R$ 1,00


Ponte Aérea São Luis - Maceió

Amanhã tenho uma reunião em Maceió. Primeiro pensei que o fato de ser pertinho fosse fácil.

Nada, meu caro ocioso! Pra sair de São Luís e chegar em Maceió, você precisa dar uma voltinha aqui por São Paulo ou quem sabe em Brasília.

É isso mesmo. Saí de São Luís e estou em São Paulo agora esperando meu vôo para o Nordeste. Não é o máximo isso?

O máximo do vôo sem noção, nénão?

Mas precisei trabalhar em companhia aérea para entender essa (i) lógica. É que o que define rota é fluxo. Não tem fluxo, não tem rota!

Isso explica o absurdo que é vc sair de São Luís com destino a Teresina e ter que passar primeiro em Fortaleza, que é mais longe, mas o principal fluxo para Teresina é Fortaleza e ponto final.


Por aqui, friozinho gostoso (e eu de Bermuda), povo da globo, da record, rede tv e todo o resto filmando os turistas que chegam do México de máscaras e ainda filmando as top models (até quiseram me filmar, mas não autorizei,rsrs).

Tô vendo o movimento que só tem por essas bandas e sentindo um certo aperto por estar aqui e não poder dar uma voltinha pelas livrarias e ainda ver o namoradão, mas tudo bem.


Minha vinagança será maligna!!!!!!
Importante: não vim de havaianas, mas de sandalia rasteira. A manicure não me sai mais da cabeça!

domingo, 26 de abril de 2009

Manicure

Nós mulheres, dependemos de alguns serviços essenciais que nos foram impostos desde que éramos crianças. O serviço de manicure é um desses!
Lembro-me de quando era bem pequenina e já acabava com os esmaltes da mamãe. Peguei uns bons petelecos por conta disso. As paredes de casa tinham obras que passeavam pela art decó com giz de cera e rococó com esmaltes coloridos.
Para eu minimizar minha arte, mamãe fez um verdadeiro Tratado de Tordesilhas com as paredes: daqui pra cá pode, daqui pra lá, não pode!
Talvez por esse tratado eu não tenha me tornado uma artista plástica famosa. Culpa de mamãe!
Mas deixando de conversa mole e voltando à manicure, o fato é que precisamos dessa figurinha como precisamos de um médico.
A manicure sabe da tua vida, sabe dos "babados quentes", te obriga a dar ovo de chocolote na páscoa, presentinhos de natal e por aí vai. Vira tua amiga. Ter uma manicure é questão de honra.
O fato engraçado portanto, é que estou sem uma "personal manicure". Antes de viajar para o Piauí e Ceará, tinha Silvana minha querida, que agora não acho em lugar nenhum. Ela abriu um buraco e entrou!
Em Parnaíba, demorei muito pra estabelecer uma boa relação até achar o meu salão, mas achei.
Agora, em São Luís parte II, a missão, estou muito largada.
Ontem sem rumo e sem horário, entrei num salão aqui perto de casa. Não gostei das manicures. Eles me olhavam tanto.... achei estranho.
A merda mesmo se deu agora ao acordar. Minhas unhas do pé estão quase todas inflamadas!!!!!!!!!!
Embarco amanhã pra Maceió e tenho quase certeza que vou de havaiana!
Filhadaputa ferrou com meu pé.
Continuo sem manicure!!!
Bm dia!

sábado, 25 de abril de 2009

Adoro um dins!

Roubei isso no twitter do Rick.
Um barato.
Quem não tem um dins?

Lei de Murphy

Na frente do meu prédio passam vários ônibus e como não consigo saber por onde cada um passa, dividi-os em dois blocos:

1- Para ir pra casa de mame, pego os verdinhos;
2- Para ir ao trabalho, pego os vermelhinhos.

Todo dia antes de ir ao trabalho, só passa ônibus verde. Pra passar um vermelho é uma luta...

Hoje, tinha que ir pro lado da casa de mame e adivinhem que cor de ônibus passava a cada 1 min?

"Se alguma coisa pode dar errado, com certeza dará"
Princípio da Lei de Murphy

Patria que me pariu

Acordei atrasada (como sempre) e liguei a tv enquanto ainda estava deitada (como sempre) e me deparei com um programa..... incrível!
REealizem comigo: dois soldadinhos de chumbo apresentando um programa na tv sobre os feitos do exército brasileiro, mais precisamente sobre o 24º Batalhão de caçadores, que a propósito fica em São Luís.
Não é demais, meu povo?
Você não sempre sonhou em saber o que o exército tá fazendo?
Parei uns 10 minutos pra acreditar, é claro! Assisti a desenvoltura dos apresentadores e também as ações do exército. Cheguei à brilhante conclusão (que já tinha antes!) que eles poderiam não existir!
Explico: pago pra aquele povo ficar correndo em volta do quartel se preparando para uma possível invasão de um arqui-inimigo e falar daquele jeito, com interjeições o tempo todo?
É minha querida Pátria, discordo de você!
Ah, ia esquecendo: no finalzinho do programa um dos apresentadores ainda agradece as inúmeras mensagens deixadas na comunidade no orkut!!!!!
Tá moderno o exército, não?
Acho que com medo da extinção, eles tão tentando....

sexta-feira, 24 de abril de 2009

Papo cabeça_Tereza

Escuto o barulhinho nesse minuto. Era um torpedo

Alguém: - Nega e as novas?
Eu: - Quem é? É Josi?
Alguém: Nojenta sou eu Tereza. Credo que consideração!
Eu: ô nega, não tenho gravado teu número nesse celular, só no outro!
Tereza: Pois então grava merda! Saudade de tu!


Já perceberam que só tenho conversas do tipo "meiga" com Terezópolis?
Ela é do tipo que bate e assopra!

Antropofagia

Sabiam que apenas 3% da população brasileira pode viajar de avião? Então quando surge a possibilidade de viajar a trabalho, as pessoas ficam desesperadas? Comem umas às outras no afã de conseguirem viajar e participar dessa estatística?
Fico impressionada com isso. Com uma verdadeira revolução nas empresas quando tem uma viagem em vista.
Assisto de camarote a essas pataquadas...
Eu, heim!

quinta-feira, 23 de abril de 2009

Satisfação geral à nação

Eu sei, eu sei, que de novo estou atrasada com tudo. Tudo, tudinho!
Aos meus alunos desculpem, mas os textos chegam amanhã até vocês. Essa viagem me confundiu a mente e só hoje estou podendo atualizar algumas coisas, dentre elas, as falhas com a faculdade;
Minhas "desorientandas"! A metodologia está sendo terminada. Não consegui fazer nada ainda. Tudo vai dar certo no final!
Ao Blog de Parnaíba, consegui postar um texto técnico há pouco. Ufa!
Ao Jornal Cazumbá, só Deus sabe quando vou poder terminar os textos;
Aos amigos do meu coração, desculpem a ausência do final de semana, mas sei que todos entendem o motivo;
Minha mãe, pai e irmãos, o final de semana vem aí e vamos nos ver!
E quanto ao meu corpo (um tantinho mais gordo), calma querido! Semana que vem reinicio a tentativa de cuidar de você!

Vergonha

Ah não! Até o Marcelo Tas (www.marcelotas.blog.uol.com.br) tá falando da Sarneylândia!
Puta que pariu zilhões de vezes.
Como é que ficam as pessoas que moram nessa cidade e nada tem a ver com isso? Melhor: que odeiam essa mancha?

Que vergonha eu sinto, viu!

Barraco Brasil

Penso aqui que o Barraco Supremo da semana vai para o top five do CQC...

Cultura é tudo

video
Trechinho do Bumba-meu-boi de Apolônio em recente apresentação em São Luís.
Manifestação de raiz, manifestação típica da baixada maranhense. Essa vem das entranhas da floresta, dos mistérios e cheia de simbologia.
Traz as características culturais de um povo e de um território.
Seu Apolônio é tão importante para a cultura do Maranhão que é reconhecido internacionalmente. Pena estar doente!
Reparem no jeito de dançar. É muito peculiar. Enquanto indumentária, é o que mais parece com o Maracatu pernambucano.
Não é pra todo mundo, nem tampouco pra todos os gostos.
Eu gosto!
Para saber mais sobre Apolônio Melônio:
O bumba-boi surgiu muito cedo na vida de seu Apolônio Melônio. Ele relembra que desde os 8 anos, em 1926, começou a brincar bumba-meu-boi, ainda no povoado de Teles, município de São João Batista, e desde então não parou mais.Atualmente, ele está à frente do Bumba-meu-boi da Floresta, criado em 1972, que também é conhecido como Boi de Apolônio e é considerado um dos mais tradicionais representantes do sotaque da baixada. Antes disso, o mestre participou da fundação dos bois de Viana e de Pindaré.
Já o tambor de crioula de Apolônio nasceu em 1980. “Quando termina a matança do boi, tem o tambor de crioula em homenagem a São Benedito. Eu sempre botava outro tambor, aí resolvi criar o meu e, graças a Deus, deu certo”, conta.
Ele já não pode acompanhar o boi e o tambor de crioula em todas as apresentações, impedido por suas limitações de saúde, mas não deixa de compor e dar as suas opiniões. “Tudo que fazemos tem a opinião dele e se ele diz, a gente faz”, afirma a esposa do amo, Nadir Cruz.“No São João deste ano, eu participei em casa. Compus as toadas e opinei em cada detalhe”, enfatiza mestre Apolônio Melônio.
Além das brincadeiras tradicionais, seu Apolônio também mantém o projeto social Floresta Criativa, apoiado pelo Banco do Nordeste do Brasil. A iniciativa oferece duas oficinas para jovens com faixa etária entre 13 e 22 anos. São ensinadas técnicas de bordado de bumba-meu-boi, com lantejoulas, canutilhos e miçangas.“Na primeira fase, ensinamos a confeccionar caretas de cazumbá e agora estamos voltando as aulas mais para o lado comercial. Queremos mostrar que o bordado tradicional de bumba-boi pode ser usado em roupas, bolsas e muitas peças diferentes”, explica Nadir Cruz.

Ugly Bia?


Passei agora na rua e vi sem querer a propaganda na tv de uma novela (?!) ou seriado (?!) chamado Ugly Betty e o que mais me impressionou foi a protagonista (a Betty no caso!). Porque pra ser feio tem que usar aparelho, heim?
Não é a terceira, nem décima vez que vejo alguma referência a feio com uma estampa de um aparelho ortodôntico. Magoei de novo!

Informes

ANAC aprova liberação de preços de todos os voos internacionais
Agência Nacional de Aviação Civil – Anac aprovou nesta quarta-feira a liberdade tarifária para todos os voos internacionais de empresas regulares, nacionais ou estrangeiras, partindo do Brasil. Até então, os preços das passagens aéreas tinham que obedecer a um preço mínimo, inibindo a realização de promoções. Essa regulação das passagens contrariava o artigo 49 da lei que criou a Anac (Lei nº 11.182, de 2005) e também a Política Nacional de Aviação Civil (Pnac). Por isso, a Anac propôs a liberação de forma gradual em um cronograma que levará um ano.
A partir da publicação da decisão no Diário Oficial da União, o que deve acontecer ainda esta semana, passam a ser permitidos descontos de 20%. Após três meses, os descontos serão ampliados para 50%, em mais três meses, para 80% e, seis meses depois não haverá mais preço mínimo. Os descontos são aplicados sobre uma tabela de referência que considera os preços mínimos praticados atualmente no varejo nas rotas entre o Brasil e países da América do Norte, América Central, Europa, Ásia, África e Oceania.
Em 2008, a Anac já havia adotado a liberdade tarifária gradual para os voos com origem no Brasil para a América do Sul, que foi concluída em 1º de setembro do ano passado. Nos voos domésticos, a liberdade tarifária vigora há mais tempo e também está prevista na lei de criação da Anac, de 2005.
Os descontos não são obrigatórios. Como a lei garante a liberdade tarifária, cada companhia aérea poderá oferecer o desconto, ou não, de acordo com suas estratégias comerciais. Mas a expectativa da Anac é de que a concorrência irá beneficiar o consumidor com promoções, principalmente em períodos de baixa demanda.
A tabela de referência e os novos valores mínimos com os descontos permitidos podem ser vistos neste endereço: http://www.anac.gov.br/imprensa/Tarifas%20Internacionais%20-%20preços%20mínimos%20-%2022-04-2009.pdf

quarta-feira, 22 de abril de 2009

Comer rezar amar

Puxa vida, não consigo terminar de ler esse livro!
Parei na Índia (rezar). Estanquei. Travei. Encanei. Desobedeci. Desisti.
Adorei a Itália, embora eu continue achando que a autora é muito dramática e muito exagerada, mas sair da India tá difícil.
Talvez pela invasão das coisas da India. Coisa chata isso. É colar, é blusa, é filme e é novela. Cruz credo saravá três vezes!
Agora tô num dilema: pulo a India e me poupo de tanta conversa sobre meditação e ashram e passo direto pro "amar" (que no caso é na Indonésia) ou me rasgo inteira e tento ler essa parte chata???

Vou dormir com essa dúvida e com azia e ver o que o travesseiro me aconselha. Amanhã, novo dia, novos dilemas...

Só espero que não tenha greve de novo para que pelo menos de manhã eu comece a ficar puta lá pelas 10h, porque hoje 7h já me encontrava em estado de sítio!
Boa noite meu povo! Obrigada pelas visitas. Mesmo!

Ócio criativo

Pena a trave de futebol atrapalhar minha visão, mas eis-me em grande momento de ócio nesse final de semana!
Nada mais a declarar, já que tudo que eu disser pode ser usado contra mim!

Loteria

Já tinha avisado e desavisado que não iria trabalhar amanhã.
Estava contando em ganhar na mega!
10 mil vezes droga. Não deu de novo!

Menu degustação

Salada colorida com manga

Bacalhau ao forno

Detalhes da mesa




Nós




Cardápio




Gente legal


Música francesa



Talheres de herança do século passado



Taças de cristal



Pratos de porcelana



3 garrafas de vinho (dois chilenos e um francês)


2 espumantes


Entrada: foie gras


Pratos principais: bacalhau ao forno e salada colorida


Sobremesa: manjar dos deuses



Eu estava morta de chique, não tava? Desculpa aê!!!

Profusão de cores











Ainda bem que o povo é bravo, forte, hospitaleiro e alegre.
Nas fotos, Bumba-meu-boi de Apolônio, do bairro da Floresta.

Cores lindas. Aprecie sem moderação!

Com a cara nas portas








Pra todo lado que me viro, tem alguém que reclama do turismo dessa cidade. Talvez por eu ser turismóloga e estar sempre envolvida nessas discussões, acabo escutando as reclamações. Discordo de algumas, entendo outras, concordo com mais algumas e os leigos acabam achando que é responsabilidade de todo e qualquer turismólogo o bom andamento dos serviços e do turismo em geral.

Tá bom, agora chegou a vez de me revoltar. Sinceramente fiquei chateada, frustrada e decepcionada este fnal de semana.

Segunda-feira cheguei ao Centro Histórico de São Luís às 19h e quase tudo estava fechado.
Peraí, mas não era véspera de feriado, véspera das comemorações do início do Ano da França no Brasil e 19h não é um horário razoável para turistas?
O Centro Histórico não deveria estar bombando, com tudo iluminado, gente pra todo lago, música ao fundo, lojinhas de artesanato em pleno vapor???
Meu Deus! Onde nós estamos?
Você, caro leitor que não mora em São Luís em nada tem a ver o isso, eu sei, mas não poderia deixar minha revolta passar assim, em branco como uma folha sulfite A4.
Revoltei-me com todas as minhas forças quando no dia seguinte, em pleno feriado, vou novamente na tentativa de comprar os souvenirs sonhados e dou com a cara na porta. Com a cara não, com o corpo inteiro.
Lojas fechadas, programação horrorosa, quase ninguém sabendo de nada e mais brincantes que expectadores.
Magoei!

Toc toc

Alôôu?
Tem alguém aí?

sexta-feira, 17 de abril de 2009

Viagem

Amanhã à 00:00h embarco pra uma viagem que infelizmente não posso compartilhar com você, caro ocioso.
É um segredo de estado.
Estado D'alma.
Alma pura, ansiosa, alegre, nbre, feliz. Coisa rara pra esses tempos...
Volta na próxima quarta, mas de quando em vez, prometo lançar uma notinha sobre algum fato cotidiano e quando eu voltar, estarei mais inspirada para escrever e por em prática as várias enquetes e pesquisas, dois novos projetos de vida e uma pequena reformulação do blog, que passará a ser um pouco mais informativo e menos pessoal...
Para isso, preciso da sua ajuda, certo?

quinta-feira, 16 de abril de 2009

Nem José nem João: o obtuso caso do Maranhão.

A vida vai passando e às vezes não damos conta da conjuntura à nossa volta.
Isso se dá pelo excesso de atividades, pela correria rotineira do século XXI. Tudo bem compreensível.
Hoje ao sair do trabalho e passar pelo Palácio dos Leões, vim pensando sobre o contexto político que o Maranhão vive e lamento bastante.
Não lamento por partido A ou B, longe disso. Sou do partido do progresso, desenvolvimento, educação, sensibilidade e responsabilidade social, nada mais que isso, mas o momento em que vivemos me enche de tristeza e de vergonha.
Grupos egoístas disputam uma liderança que não possuem. Esses mesmos grupos brigam por um dinheiro que não é deles. Esquecem das pessoas e do bem coletivo, a verdadeira missão da política.
Uma grosseria com a humanidade, um verdadeiro sacrilégio.
Acabei de ler que amanhã já tenho outra representação política no Estado.
Como assim????? Como isso funciona?
Quando eu telefonar amanhã para alguma secretaria pra falar com fulano ele nao vai estar? E as minhas respostas? E o que foi acertado com sicrano que lá sentava na semana passada? Será que irão levar meus ofícios em suas pastinhas pessoais?
Quanto tempo precisamos para tudo se restabelecer?
E que Políticas Públicas serão desenvolvidas para um ano e meio? Serão projetos somente, nada de Plataforma de Governo?
É meus queridos ociosos, talvez daqui a 5 anos eu entenda tudo isso, talvez até goste de ter vivido esse momento, mas confesso que esse desabafo é por não acreditar em mais nada (ou quase nada).
Hoje fui fazer minha inscrição como aluna especial no Mestrado de Políticas Públicas e à partir de maio terei que estudar e entender as teorias que explicam os fatos históricos que na prática não funcionam!
Já até ensaiei algumas propostas, vejamos:
Políticas Públicas e o Turismo. O grande desafio do século XXII.
A descontinuidade das políticas voltadas ao Turismo: o mega caso de sucesso do Maranhão.
Nem José nem João: o obtuso caso do Maranhão.
Turismo no Maranhão, a odisséia do impossível.
Ainda assim, desejo uma sexta de muita esperança pra todo mundo!

Remoto Controle

Consegui depois de muito andar, arrumar o controle remoto do DVD. Cansei, viu?
É uma pena, mas esse tipo de serviço está entrando em extinção. Puxa vida, procurei tanto... Pra que comprar um novo, se tem jeito e o conserto foi só 10 pilas, nénão?
Bom, depois do almoço, vou ao dentista ficar de boca aberta uns poucos minutos... Acho chato ir ao dentista, pq perco mais ou menos a tarde toda nessa molecagem, mas enquanto estou deitadinha de olhos fechados e de boca aberta (10 min), relaxo... lembro do quanto seria bom ganhar na loteria e viver de ócio, viagens e gastronomia! Penso em praia de mar azul, em sol radiante, cerveja gelada e companhia boa...
Pééénnnn (sirene)
Aí, Dra. Cláudia me acorda e diz que ainda não é dessa vez que vou tirar a meleca do aparelho.
Acaba o relax e volto emputecida (do sentido cretino da palavra! Sentido de raiva, né gente?) pra mais um mês com esses brackets que me impedem de comer folhas em restaurantes... Aff!

terça-feira, 14 de abril de 2009

Velha, eu?

Meu povo!
Recebi vários e-mail's comentando sobre o texto das cores, cheiros e sabores da minha infância (Jornal Cazumbá)... Já agradeci, já sorri, já fiquei vermelha e o melhor de tudo: achei bacana as pessoas estarem respondendo, mostrando suas opiniões a respeito! Valeu gente. Mesmo!
Agora tem uma coisa: quase todo mundo me chamando de velha, pode uma bagaça dessas?
Ora, ora, ora companheiro ocioso! Tenho é boa memória, isso sim!
Ó, amanhã volto com força total a escrever um monte por aqui. Acabei de chegar e passei só pra agradecer por mais um dia de saúde. Que Deus me dê mais força ainda amanhã.
Vou fazer então um resumão do hoje:
- Levei meus alunos para o Centro Histórico. A aula foi lá, na rua e na chuva;
- Choveu muito. Muito. Muito. Muito. Muito;
- Não deu tempo de almoçar;
- Reencontrei um amigo muito legal;
- Detonei os papeis de cima da minha mesa do escritório. Que alívio!
- Soube de umas fofocas boas, hehe;
- Esqueci de comprar o controle remoto do DVD que quebrou. Sou uma vaca profana mesmo!
- Fui dormindo no banco de trás do táxi até a faculdade para aplicar prova. Acordei com Seu Ubaldo chamando:
" - Professora, professora. Chegamu"
- Daí até agora, não lembro mais nada!
Boa noite!

Memórias

Amei a repercussão da minha coluna no Cazumbá desse mês!!!!

Vou postar aqui em breve!

Obrigada Geraldo Castro, que com sua gentileza leu o texto todo ao vivo em seu programa!

Obrigada a todos pelos comentários!

Agora vou dar uma descansada pra enfrentar tudo de novo amanhã...

Boa noite!!!

CQC

Por essa eu não esperava. Silvio Santos é mesmo careca!
Isso é que eu chamo de descobrir a pólvora!

domingo, 12 de abril de 2009

Filosofia de banheiro

Desisto. Não consigo entender como tem gente que entra em banheiro público com o objetivo de escrever na parede! É falta do que fazer, é isso! Não deve ter fila, nem gente batendo na porta!
Há tempos me pergunto, já que tenho uns muitos carnavais em banheiros públicos, dada a minha total empatia com botecos e botequins.
Mas sinceramente caro leitor desde humilde divã, o que será que passa na cabeça desse povo, heim?
Banheiro público é o jeito! Pura necessidade...
Normalmente se está apertado e com pressa, mas daí a parar, sacar uma caneta, posicionar-se, filosofar, escrever errado e sair todo prosa é um longo caminho!
A cada dia mais coisa tenho pra analisar em momentos de ócio, é impressionante!
As fotos aqui embaixo são de um bar na orla. Um bar até arrumadinho, mas com o banheiro horroroso.
Não, não pensem que também não tenho o que fazer, já que tirei as fotos. De fato, estava em momento de puro lazer, mas tinha de compartilhar as pérolas gramaticais e sexuais que encontrei no momento filosófico do meu xixi.
Aproveito e digo que acho bacana as mídias in door em banheiros, acho que funciona. Eu mesma, sempre que tem alguma propaganda, internalizo, mas essa de escrever, é demais.
As pessoas marcam até encontro...
Não, peraí! Será que algum dia alguém levou a sério isso?
Acho que esse tema dá um livro...
Já anotei aqui pra posteridade...

Aqui, o detalhe é a "sapatona"


Aqui, nada mais a declarar!

sábado, 11 de abril de 2009

Feliz Páscoa!!!!



Cauby

Gente!!! Adoro o Cauby.
Tá passando uma homenagem pra ele na tv. Vou assistir.
Volto já!

Praia sem sol

Aff! Tem coisa mais sem graça do que praia sem sol?
Pois é, fui hoje dar uma relaxada e voltei mais estressada do que estava.
Ir à praia sem sol é como tomar cerveja quente;
É como fazer sexo e não ter orgasmo;
É como comer uma coisa gostosa e não poder lamber os dedos;
É como assistir os 40 primeiros minutos do filme e faltar energia;
É nadar, nadar e morrer na praia!
Feriado longo e a praia estava vazia, não só pela chuva, mas pelas possibilidades de viagem e ainda assim, minha barraca preferida estava lotada.
Tivemos que ficar em outra. Pronto! Todos os ingredientes para eu botar defeito em tudo! No atendimento, nos preços, da falta de música decente e por aí vai...
No final, deu tudo certo, mas continuo com a mesma anemia de antes!!!
No litoral, programa bom de feriado é praia e não se fala mais nisso!

Manifesto pelo Ócio

Recebi dois comentários concordando sobre trabalhar 6h apenas. Adorei, é claro!
Então estou postando novamente para Rick e Rê Marques, um esclarecimento sobre a minha oponião a respeito desse assunto delicado.
Vamos transformar essa ideia num Decreto Lei????


Deveríamos trabalhar 6 horas diárias.
As 6 horas seguintes seriam pra resolver problemas domésticos e pessoais como pagar contas, ir ao médico, ao dentista, ao mercado, ao cabeleireiro ou ao barbeiro, comprar um presente, ir à uma audiência, resolver algo pra mãe, arrumar a casa, as gavetas, lavar roupa, trocar a água do aquário, passar horas no telefone com algum call center... enfim, resolver a vida.
As 6 horas que viriam depois de resolver a vida, seriam suas! Só suas. No máximo suas e de uma ou várias companhias (namorado (a), marido/mulher, amante, amigo (a) e quem mais você achar que merece). Nessas frutíferas horas você iria ao cinema, ao shopping, ao museu, ia sentar numa praça e ler um livro, iria cuidar de um jardim, iria a uma feira de artesanato ou quem sabe a uma boa galeria de arte, tomar um bom café trocando idéias com alguém bacana. Poderia sentar na frente da tv e ver futilidades ou coisas interessantes. Ia poder ler seus e-mails com calma, escutar música, iria cantar... e cantar e namorar e fazer sexo e iria ser muito feliz.
Todo ser humano precisa resolver a vida e precisa de tempo para si.
As pessoas anseiam ser felizes. Precisam sorrir. Precisam descansar para poder ter forças pra trabalhar. Necessitam cuidar dos filhos, das plantas e do espírito.
Todo mundo sabe disso. Estamos na era da informação.Então por que as empresas ainda acreditam que 8 horas de trabalho são essenciais, se você efetivamente trabalha entre 5 e 6 horas ao dia e as horas faltantes para completar as 8h, você está no msn falando baboseiras, desconcentrado ou torcendo pra acabar o expediente?
Ficar informado, saber das coisas, manter-se inteligente, ter raciocínio lógico depende do que você faz com suas horas livres. Às coisas que você se dedica nas horas de ócio, influenciam diretamente no seu "modus vivendi". Porque do contrário, você emburrece, desaprende e deixa passar.
É claro que as 6 horas seguintes seriam pra dormir, afinal, ninguém é de ferro e dormir alimenta, descansa, revigora e te deixa de bom humor.

Aí, acordo do meu sonho, volto ao meu mundo e cá estou eu falando pro vento...
8 boas horas de trabalho pra você amanhã!

Pronto. Desabafei!
Postado originalmente em 3/12/08

sexta-feira, 10 de abril de 2009

Ócio e gastronomia

Feriadão.
Como gosto de feriado meu Deus!
Definitivamente, prefiro feriado a trabalhar.
Tô falando isso, porque um molusco aqui perto de mim, acabou de dizer que adora trabalhar e que feriado é besteira!
Eu não!
Acho trabalhar bacanão, acho que dignifica e essas baboseiras todas, mas sinceramente adoro ÓCIO, VIAGENS E GASTRONOMIA!!!
Trabalho com vontade, faço com seriedade, mas insisto no meu manifesto de que o trabalho seria 6h por dia e ponto final!
O resto é conversa de pescador!

Cerveja na feira
















Quarta, véspera de semi-feriado (quinta) antes de vir embora, parei na feira pra uns dois copinhos de cerveja com a galera do Cantinho da Estrela.

O ambiente não podia ser mais engraçado: boteco de feira!


Bêbados, bêbadas, garotas de programa, "conhecido" com amante, poetas, artistas plásticos e "nós", que teoricamente não nos encaixamos em nenhum desses "tipos"!


Papo vai, papo vem, lá vem a chuva. Muda de lugar, leva cadeira, não esquece a garrafa, volta pra pegar as bolsas e senta, enche o copo e conversa...


O calor tá de matar...


Volta pra fora do boteco, leva as bolsas, carrega copo, cerveja e as cadeiras. Enche o copo e volta a conversar...

Cofo de camarão, cadeiras coloridas, geladeiras e freezers no meio do povo e pra fechar o ambiente cool, um brega rolando ao fundo...

Bom, esse fole foi parte da noite até desistirmos de tudo e voltarmos pra casa no meio de um temporal!



Nas fotos "trash" acima, o ambiente, as figuras da minha mesa (Chef Zé Maria, Inaldo, eu e Dadá);

Abaixo, uma figurinha que encontrei por lá e que adorou tirar fotos... Não deve ter meio metro, gente!!! Um barato!



quinta-feira, 9 de abril de 2009

Twitter

Aderi, depois de muito, ao twitter.
Não entendo patavinas ainda. Tô mexendo e mexendo e não saio do lugar. Uma meleca isso!
Mas tô tentando. Não desisto.
Para quem interessar possa
www.twitter.com/beatriceborges

quarta-feira, 8 de abril de 2009

Raspadinha de tamarindo



Na primeira golada, vem logo o azedo de fechar o olho. O tamarindo é assim, um azedo com um docinho lá no fim. Gosto bem! Dizem que contém fibras e é bom pra prisão de ventre...
Já a rapadinha, é uma iguaria dos tempos de vovó. Muito refrescante, assim como muitos outros valores, está desaparecendo aos poucos. Só conheço seu Fernando que permanece com sua banquinha na Praia Grande. Tem os sabores murici, bacuri, cupuaçu e tamarindo.
Essa foto foi ontem de manhã, no intervalo entre uma reunião e outra.
Raspa-se o gelo com uma maquininha manual, depois de triturado vai para um copo e acrescenta-se o suco bem concentrado de sua preferência e decora-se com um palitinho de picolé para mexer sem parar.
Em meio ao sol dos trópicos, nada funciona melhor. Nem sorvete. Podem acreditar!
- Seu Fernando, deixa eu tirar uma foto da sua banquinha pro meu blog?
- Claro minha filha! Agora você vem pra cá, fica do meu lado e a foto vai ficar melhor do que a foto que foi pr globo!
- Vixe, é pra já. Com gente importante, eu gosto de tirar foto...
Ao ver a foto (na máquina de Paulinha), soltou:
- Ficou muito escura essa aí. Eu já tirei mais de 500 fotos. Todo dia chega turista e tira foto comigo...
- Ah meu querido, tu és importante, heim?
- É a gente faz o que pode...
- Pronto! R$ 3,00. Tenho que ir trabalhar. Até mais seu Fernando.
- Até mais dona!
Sempre que posso, dou uma voltinha no Seu Fernando pra sentar e saber das últimas da Praia Grande. D. Júlia, sua mulher, está doente e não pode mais ir pra venda. Agora tudo é com ele: desde preparar os sucos, a vender e armazenar tudo.
Adoro esses programas.
Adoro o povão!
Troco tudo por um dedo de prosa com alguém que é "gente como a gente"

Cada um sabe aonde o sapato aperta

Não me resolvo com os meus sapatos no centro histórico.

Acho que já tô chata com essa conversa, mas é que recebi essas fotos de Paulinha, num típico flagra no meio da manhã...


Agora me digam se esse cenário combina com roupa de trabalho?

Conforto burocrático

Acabei de sair de uma reunião e um dos membros falou esse termo.
Tô pensando até agora no que seria isso...
É cada uma...
Melhor que essa, só mesmo as "possibilidades latejantes" de "O opositor"!

terça-feira, 7 de abril de 2009

Monobloco

Vai ter show do Monobloco dia 17 de abril na Batuque, não é tudo, isso????
Tem de quebra Toni Garrido pra compor o clima bacana.
Adorei saber.
Para quem nunca ouviu falar de Monobloco:
Banda criada a partir de oficinas de percussão idealizadas pelo fantástico Pedro Luis e A Parede. O Monobloco foi com o tempo transformando-se na referência do carnaval de rua que é hoje e resgata os clássicos carnavalescos nacionais e mescla vários outros ritmos em seus shows. É muito dançante. Muito mesmo!
O último CD, Monobloco ao vivo, é muito bom!!! Ganhei do namoradão e ele deve estar pra furar (o CD!!!). No cd tem a participação de Lenine, Fenanda Abreu e outros.
Para quem nunca ouviu falar de Pedro Luis e A Parede:
Como assim nunca ouviu falar deles???
Acho melhor você ir catar coquinho ou lamber sabão!!!!

Alegria alegria

Hoje Mamá me falou que meu blog tá triste!
Que essa minha dieta tá fazendo eu ficar macambúzia (lembram dessa?)!
Vou logo informando que hoje embora tenha recebido uma notícia ruim, recebi duas excelentes!!!!!!
Estou pra lá de feliz!!
Bem pra lá de Marrakesh!!!
Praticamente em Pasárgada!!!!
E que com essa semana de feriado com possibilidade real de praia, tô saltitante, mesmo na cadeira!
Vamos parar com isso, não é tristeza meu povo!
É tempo. Falta dele...
Simples assim!

Para Mestre Vieira

Prezado Mestre,




Primeiro queria dizer que sou sua fã!



Que embora eu não seja cosanguinamente da sua família, hoje me senti como se fosse! Foram muitos telefonemas de pêsames. Recebi a notícia pelo telefone às 9:30h. Era Lu me informando da sua morte física! Os últimos foram Edu, Papai e Mamá.
Lamentei muito. Baixei a bola, é verdade, mas já estou bem. Entendo que é o ciclo da vida e que o Sr. já nos deu muito de sua vîvência e alegria.

Só posso agora agradecer pelas suas músicas e pelo tanto que fez pela cultura do meu tão valoroso Maranhão.

Nunca neguei a ninguém que adorava suas músicas, o quanto me divertia com as letras e o quanto gargalhava com suas composições simples, mas eruditas, se é que o Sr. me entende!

Agora que o Sr. foi fazer música no céu, vou ficando por aqui escutando as que tenho em casa, com a certeza que seus companheiros aí de cima estão pra lá de alegres com sua chegada. Agora, é conversa que não acaba mais...
Aproveite e fale a Lopes Bogéa que eu também gostava dele. Menos do que do Sr. é claro, mas que gostava. É que não tive tempo de dizer, estava sempre ocupada em saber o que o Sr. andava aprontando, mas essas coisas a gente não explica, não é mesmo?

Bom, não quero saber do seu enterro, nem de nada. Vou ouvir umas músicas suas em forma de homenagem e isso já vai me fazer sentir bem, tenho certeza!
Como falei no início, sua morte é física, pois enquanto tiver arte, memória e cultura, o Sr. estará sempre vivo, como um ícone popular e único.

Para que o Sr. lembre de mim, vou postar nossa última foto. Foi dia 11 de março na banquinha de revista do Centro Histórico.
Obrigada por mais aquele autógrafo e ah! o disco que o Sr. me indicou eu gostei muito, mas confesso que gosto mesmo é da sua voz. Outros intérpretes cantando suas composições não aprecio muito. Nenhum tem sua ginga!

Infelizmente não estarei na primeira fila do show que o Sr. estava planejando. Lembro bem da nossa última conversa. Um show de poesia falada "se tivesse tempo"...
É meu caro, não deu...

Descanse em paz.



domingo, 5 de abril de 2009

Para você...

De uns tempos pra cá

De uns tempos pra cá
Os móveis, a geladeira
O fogão, a enceradeira
A pia, o rodo, a pá
Coisas que eu quis comprar
Deu vontade de vender
Pra ficar só com você
Isso de uns tempos pra cá


De uns tempos pra cá
O carro, a casa, o som
Tv, vídeos, livros, bom
O que tese faz um lar
Admito quis comprar
Começo a me arrepender
Pra ficar só com você
Isso de uns tempos pra cá

Coisas são só coisas
Servem só pra tropeçar
Tem seu brilho no começo
Mas se viro pelo avesso
São fardo pra carregar

De uns tempos pra cá
O pufe, a escrivaninha
Sabe a mesa da cozinha?
Lençóis, louça e o sofá
Não precisa se alterar
Pensei em me desfazer
Pra ficar só com você
Isso de uns tempos pra cá

De uns tempos pra cá
Telefone, bicicleta
As saídas mais secretas
Tô pensando em deixar
Dê no que tiver que dar
Seu amor me basta ter
Pra ficar só com você
Isso de uns tempos pra cá

Chico César


Com essa pérola, desejo a todos uma excelente semana.
Inté o próximo post

Pequi

Desde criança sinto o cheiro de pequi em casa.
Mamãe adora e a minha lembrança é vê-la com uma bacia nas mãos se esbaldando no cheiro e sabor exótico do pequi.
É uma fruta do cerrado brasileiro muito comum em Goiás, mas no Nordeste é bem apreciada na culinária.
Mame gosta tanto que da última vez tive que tirar espinhos da sua língua, de tanto que comeu sem tomar cuidado. É que pertinho do "olho", o pequi concentra muitos espinhos e precisa-se de muito cuidado.
O sabor é muito forte mesmo.
Tentei de novo hoje, mas não rolou! Não gosto de pequi!!!

Pedra de responsa

Acordei cedo e assisti o DVD "Cantos e Encontros de uns tempos pra cá do Chico César". Paulinha me deu de Natal e só pude assistir hoje. A-M-E-I.
Adoro o Chico Cesár e acho que foi o primeiro registro dele após ter cortado a coroa do abacaxi que ele tinha na cabeça.
O show é lindo, as músicas estão com arranjos primorosos.
Como amei o DVD! Assim como Zeca Baleiro e Lenine, acho que o Chico passeia na música universal, mas tem os pés no nordeste. Isso é muito bacana. Bom de ouvir, bom de ver, bom de rever.
O Chico canta todas as músicas com o Quinteto da Paraíba e uma flautista fantástica (lendo aqui no dvd, o nome dela é Simone Julian), que dão um ar erudito ao show quebrado pela percuteria de Simone Soul com seu visual reggae de ser.
A última música do show é Pedra de Responsa. Dá uma vontade de dançar, que ai ai ai...
O final do show é surpreendente!
Vou ver de novo daqui a pouco.
Recomendo!
Menu:
Pedra de responsa = termo utilizado em São Luís que representa algo muito bom. Inicialmente usado só para designar um reggae muito muito dançante.
Reggae = pedra
Reggae bom = pedra de responsa

Reflexão de domingo

Tenho três grandes trabalhos até junho e tô bem preocupada em como vou dar conta de tudo.
Além dos três grandes trabalhos, estou com três outras boas idéias.
E aí tá o grande xis da questão! Para colocá-las em prática preciso de tempo, muito tempo.
Ouço por aí que tempo é prioridade, replico por aí essa máxima, mas sinceramente não sei como priorizar tantas coisas. Estou confusa.
A vida da gente é uma coisa inexplicável.
Nunca pensei que o tempo fosse o algoz do meu futuro...
Pausa para reflexão(!)
Desculpem o transtorno, mas estamos trabalhando para seu maior conforto!
Um domingo de muito tempo pra todo mundo aê!

sábado, 4 de abril de 2009

Acho que queria ser amiga da Hebe!

Vendo agora na tv o aniverário da Hebe na Disney, ficamos (eu e Josi) com vontade de sermos amigas dela pra podermos ir à festa.
Não que eu quisesse assim, conversar com a Hebe, fofocar com ela (até porque se eu fosse amiga dela ela não usaria aquele macacão horroroso), mas queria sim, uma caroninha na viagem internacional...
Agora falando sério... a tv aberta chegou a cúmulo!

Dieta nível grave

Hoje cumpri a dieta bem!
Almocei peixe assado com salada e umas torradinhas. De sobremesa um pedaço de melancia. Deslizei nas duas cervejas e nos copos de mate, mas continuo firme e forte.

Uma vontade de comer uma pizza, comer batatas fritas e tomar uma cocaaaaaaa!!!!


Mas não vou!

O opositor

Terminei de ler ontem (na fila do banco!) "O opositor". Adorei!
É uma novela (gênero literário) do Veríssimo (o filho) que te deixa muito curiosa pelo fim. Recomendo!
É um livro de 2004, mas é ficção (atemporal). Faz parte da coleção Cinco Dedos de Prosa da Editora Objetiva e o Verissimo ficou com o polegar.
O dedo indicador é o livro "O indigitado" de Carlos Heitor Cony, "O Efeito Urano" de Fernanda Young trata do dedo médio, "Buscando o Seu Mindinho" de Mário Prata fala sobre o dedo mínimo e sobre o dedo anular a responsa é do Moacir Scliar com o livro "Na Noite do Ventre, o Diamante".
Agora pronto! Quero ler a coleção toda e não ficar como na Coleção Plenos Pecados, que só li "A casa dos Budas Ditosos" do João Ubaldo Ribeiro (que corresponde à Luxúria)!

2 cervejas por um prato de comida

Tudo começou quando esqueci de comprar umas "duas cervejinhas" no mercado.
Sábado é um dia de faxina e estudo e hoje a faxina ia ser dura. O ap estava virado!!!
Quando cheguei no ap, dei-me um tapinha na testa de arrependimento. Esqueci das danadas!
Estava condenada a uma faxina pura e simplemente regada a água.
Eis que Josi aparece ao telefone avisando que viria almoçar. Bingo! Minha chance de reparar o erro.
- Traz duas cervejas pra mim!
- Ah, não acredito!
- Se não trouxer, não come!
- Credo, tu já foste melhor...
Sábado, né? Tudo pode! Até ficar ruinzinha... hehe

quinta-feira, 2 de abril de 2009

Exaustão

Bem pessoal, tô tentando...
Ontem e hoje realmente foram dias muito singulares.
Estou tão cansada que o termo correto é exaustão.
Vou ficando por aqui hoje e amanhã tento voltar com força total.

Que Deus nos ajude.

Inté!

quarta-feira, 1 de abril de 2009

Deixa ver se eu entendi...

- Cumprimentar as pessoas não é comum na Inglaterra!
(Porque Obama cumprimentou o mordomo da casa de Gordon Brown e isso virou a manchete da manhã!)

- A novela Prova de Amor, da Record, é ainda uma continuação da história dos mutantes, é isso?
(É uma trilogia? E seguida? Ai meu Deus, me segura!)

- As pessoas que estão o tempo todo no acampamento Balaiada não trabalham. Isso confere?
(em frente ao Palácio dos Leões tem uma tenda e uma multidão gritando palavras de ordem há dias. Ninguém deve trabalhar. Ninguém faz mais nada na vida. Ê Maranhão...)

Acabou!

Graças a São Longuinho, Oxum e ao Pai Francisco, a terça-feira terminou!
Amém, Deus é pai!
Pra comemorar, tô indo deitar com a maior dor de cabeça da paróquia.

Inté mais com pouca!