terça-feira, 31 de março de 2009

Hora de ser feliz!

Pra você, qual a melhor hora de ser feliz?
Existe um tempo, um horário ou um turno específico para isso?
Você costuma ser bem mais feliz de manhã, à tarde ou à noite?
Foi feliz quando era adolescente, porque não tinha contas pra pagar ou a felicidade mesmo, foi na época de criança?
A qualquer minuto você acha que pode ser feliz?
Com pequenos gestos?
Pode ser escondidinho? Entre quatro paredes?
Um sussurro no ouvido de surpresa, hã?
Ou tem que ser com pompa, com banda de música anunciando?
Basta um olhar? Um movimento de corpo? Um aceno?
Um telefonema a qualquer hora do dia ou da noite, às vezes te deixa feliz?
Um emoticon do msn pode representar muito pra você?
Felicidade pra você é fácil?
Difícil?
Está feiz agora? Poderia estar bem mais?
Aniversariar te deixa muito muito feliz?
Um bolo de chocolate anima o dia?
Uma proposta agora rapidinho, faria você largar tudo e correr pra sua felicidade?
Pra ilustrar tudo isso, tem um reloginho agora aí na barra do seu lado direito, logo abaixo da havaianas da vez.
Só pra lembrar que a cada minuto, você tem uma nova chance de mudar tudo...
Para refletir!

Papo cabeça_parte 2

Na parada:

Eu: Teresópolis, que ônibus passa na Kenedy?
Teresópolis: Divinéia
Eu: Ah, tá. Vou pegar esse.

Alguns bons minutos depois:

Eu: Parque Vitória passa?
Teresópolis: Não, só Divinéia.

Mais uns minutos depois:

Eu: Sol e Mar? É vermelho também!
Teresópolis: Vem cá, qual foi a parte que tu não entendeu quando eu disse que só Divinéia passa?
Eu: Aff. Tô só tentando umas alternativas, credo!

A vingança (minha):

Teresópolis: (...) saí do show de pagode de manhã!
Eu: canta aí uma música de Belo!
Teresópolis: (silêncio com cara de charlie uniforme)
Eu: E de Rodriguinho?
Teresópolis: (silêncio)
Eu: E de Crigor então!
Teresópolis: (silêncio e raiva!)


Acho que toda terça vai ter um papo cabeça com Teresa...
Importante: ela me desautorizou a publicar nossos papos de ônibus!!!

P.S. para entender o papo cabeça_parte 2, é preciso voltar ao marcador "cotidiano" e ler "papo cabeça"

Retrospectiva


A pedidos.
(texto da virado do ano!)

Os mesmos ventos que sopram a favor do nosso mercado, que movimentam as velas dos barcos e colorem nossas praias, de vez em quando sopram contra e nos deixam em situação de perigo. Algumas vezes à deriva.
Estamos saindo de um período de muita bonança para os mercados internacionais, em especial para os nossos vizinhos Argentina e Chile, que vem povoando as cabeças dos brasileiros já há alguns verões, dado o valor anterior do dólar bem competitivo.
O mercado interno se viu até agora tendo que se adaptar à realidade de novos produtos, os resorts perderam seu “boom” de antes e os pomposos cruzeiros fizeram a festa, passando a perna em muitos destinos já consolidados no País.


As agências de receptivo encolheram, já que “brasileiro de verdade” foi passar lua de mel em Bariloche e foi passar as férias em Santiago, fazendo nosso turismo doméstico se virar do avesso para poder segurar a onda das baixas estações e do vento soprando para o lado oposto.
Agora a rajada de vento se volta para o receptivo e é a hora do nosso País aproveitar as chances e mais uma vez mostrar seus recantos e encantos.
A crise econômica mundial mexe com os ânimos de todos, em especial com o planejamento do turismo interno, que em se tratando de política e gestão teve um 2008 muito frutífero. Muitos frutos foram colhidos ao longo desses meses e se continuarmos assim, 2009 renderá muito mais.
A começar pelo salto de R$ 325 milhões em 2003 para R$ 2,6 bilhões em 2008, o orçamento do Ministério do Turismo - Mtur já aponta para uma direção de topo, de prioridade. Esses números demonstram o protagonismo da atividade turística em apenas 5 (cinco) anos e nos devolve a auto-estima de antes.
A Lei Geral do Turismo – LGT também aparece como um grande marco para o Turismo do Brasil este ano e como um primeiro passo, foi muito importante para uma luta que se iniciou em 1997. Muito se esperou da lei. Muitas esperanças foram depositadas em cima das contribuições que ela traria, pouco se teve, é verdade, mas não é de uma só vez que as coisas se resolvem e claro, muitos pontos cruciais ficaram de fora dessa discussão. Cita-se aí a Lei de Responsabilidade das agências de viagens que não foi sancionada, o turismo que não foi alçado à condição de atividade exportadora e muitos outros.
Além da conjuntura otimista que paira no ar, saímos de eleições municipais que nos trazem gás novo e a fé em tempos melhores. Temos 5564 Municípios à espera de pessoas comprometidas com a causa turística, ambiental, cultural e social e é nessa onda que os 65 Destinos Indutores entram para abrilhantar a política nacional. Que os novos Secretários entendam a metodologia e se apropriem dos encaminhamentos...
Ainda que essa pequena retrospectiva nacional passe a impressão de que tudo foi muito bem, obrigada, é claro que nossas vistas críticas não ficaram somente do que aconteceu de bom.
Tivemos entraves, falhas e perdas. Nossos serviços continuam a nos matar de vergonha, nossas estatísticas ainda nos rebaixam à 59ª posição do turismo receptivo no mundo, nossas estradas e sinalização turística nos impedem de trafegar tranquilamente com mapas ao longo do Brasil, nossa estrutura aeroportuária permanece a nos deixar atrasados, estamos nas mãos de apenas duas grandes companhias aéreas e somente a Azul Linhas Aéreas, nos traz a possibilidade de um céu de brigadeiro num futuro a longo prazo...
Para 2009 o Brasil está aberto! Aberto a novos viajantes, a novas políticas e a todos os brasileiros que por ventura, estiveram visitando lugares onde a língua falada não era a vernácula!

CQC versus Sarney

Nossa, o CQC tá demais hoje! Bacanão mesmo!
O Sarney no CQC foi demais!
(silêncio)

domingo, 29 de março de 2009

Tô na luta!

Sobre a dieta, hoje foi uma dificuldade!
Tomei café no Pestana Resort. São basicamente uns 60 itens de café da manhã. Difícil manter dieta, né não?
Mas tudo bem.
Almoço ultra light e agora só um mate gelado pra garantir a felicidade...

Continuo na luta!

Final de domingo

Pronto! Terminei todos os textos do Jornal desse mês. Ufa!!!
Agora queria que o domingo estivesse apenas começando, já que passei a manhã trabalhando e não tive tempo de ler, de estudar, nem tampouco de dormir.
Vou me desligar um pouco da net e deitar a minha cama, que coitadinha, tem me visto pouco esses tempos.
Boa semana a todos os meus visitantes e habituês deste espaço!

Cores, cheiros e sabores












Sempre gostei da Casa das Tulhas. Acho um espaço muito interessante e democrático.
Nos remete a um tempo que não volta mais é claro, mas que mesmo assim, me deixa com saudade de algo que não vivi. Hoje cedo fui lá com uma culinarista convidada de um evento e é incrível como quem vem nos visitar fica encantado como nossos cheiros, cores e sabores.

O cheiro de secos e molhados misturado a guaraná jesus e as diversas compotas de doces incrementam o lugar.
O lilás da tiquira deixa o ambiente com um matiz único e os sabores que experimentamos a cada barraquinha deixa um paladar confuso, é verdade, mas delicioso.
Até agora tô com gosto de farinha "de puba" na boca...
Essa feira dia de domingo é muito diferente. Calma, pouca gente, pouco burburinho, mas ainda assim bom pra conversar com o feirante, com os vendedores e com quem está por lá de bobeira.
A Casa das Tulhas é o nome da feira da Praia Grande no miolo do centro histórico de São Luís.
Antiga feira de secos e molhados da cidade e o formato continua o mesmo desde o século XVII.
Para quem vem visitar São Luís, reserve uma tarde para passar por lá. Tem barraquinhas de comidas caseiras, barzinhos com cerveja gelada, doces, castanhas, aguardentes, farinhas, sabonetes, galinhas, patos, capotes, porcos, souvenirs, ervas, frutas e todas as crendices do Maranhão.
Recomendo!

Domingo na feira

Vou ao centro histórico com uma culinarista pra comprar umas pimentas.
Trago fotos na volta!!!

Um domingo apimentado pra todo mundo!!!!!

sábado, 28 de março de 2009

twitter

Seguidores...

www.twitter.com/beatriceborges

Tá na hora!

Como este blog é ecologicamente correto, ficaremos apagados por uma hora!

Até a volta!

"Manhas de manhã"

Primeiro torpedo do dia...


Me olha meio bêbada
de sono de tesão
Desperta preparada
ahum ahem aham

O sonho cor de rosa

Estou pesquisando sobre o nosso guarana Jesus. Só ele é assim. Só ele tem essa cor. Um barato.
Achei cada depoimento, cada história pelos blogs e pela net...
Tô escrevendo para o Cazumbá desse mês sobre isso. Aguardem!

Aqui as propostas da Coca Cola para a nacionalização do refri. A vencedora foi a mais festiva de todas, a do meio.
E aqui, nosso velho conhecido! Nossa garrafinha retrô, a lata para entrar na modernidade e a de dois llitros para o almoço de domingo!
Pra ressaca não tem igual! Vão por mim, sei o que tô dizendo...


Nhoc, nhac, nhec

O bolo de mamãe, ops, de Ivanilde, tá tudo!
Mas foi só um teco...

É hoje!!!!

A hora do Planeta e hoje às 20:30h.
A proposta é que governos, empresas e população de todo o mundo apaguem suas luzes e assim demonstrem preocupação com o aquecimento global.
A-d-o-r-e-i mesmo isso!!!!

Vou participar. Se eu estiver em casa, irei desligar tudo. Se estiver sassaricando na rua só entro num boteco à luz de velas.

E você??????

Vamos nessa!!!!

Bolo

Mamãe nunca foi de fazer bolo. O melhorzinho que comi tava solado. Pudim também. As mousses sempre ficaram desandadas. Um horror.
O que ela sabe fazer mesmo é comida pra batalhão. Feijoada, mocotó, galinha caipira, peixada, costela de porco assada, cozidão, etc essas comidas sem muita pompa.
Agora ela ta aqui tentando fazer um bolo.
To só no cheiro e esperando pra ver o que vai dar.

Nordeste Culinária 2009

Eu vou! Vamos????

Pra entender a dieta

Pra quem tá passando por aqui só hoje para uma breve visita, explico:

Tenho pensamento de gordo, por isso vivo de dieta;

Estou eternamente de dieta, por isso não sou gorda;

E tenho três níveis de dieta: 1- moderado, 2- grave e 3-gravíssimo, que para entendimento de todos, seguem detalhes abaixo:
  1. Nível moderado é aquele que como quase tudo, mas lembro que tô de dieta. É bom lembrar. Não sei pra quê, mas é bom lembrar. Em coffee breaks, jantares e lanches depois do cinema, rola uns docinhos, mas nada exagerado. Tomo muita cerveja, mate e refrigerante (meus carmas, aff!).
  2. Nível grave é assim, digamos, a preparação para a entrada no inferno. A noite não como muita coisa "substancial", se é que vocês me entendem. Exemplo prático: esta semana todas as noites comi salada de tomate, palmito, mussarela de bufala e pimentão (pimentão + noite = digestão ruim) com um peixinho assado no forno. Nada de refrigerantes a noite. Continuo apta a tomar uma cervejinha. Tomo muito mate. Obs: ontem tomei uma pepsi zero, mas com o maior calor do mundo, não resisti.
  3. O nível gravíssimo é o inferno de Dante (lembram que Dante tem a sua Beatrice??). É quando você sente vontade de comer chocolate, batata frita, doces, quer almoçar e jantar massas e nada pode. O que pode? Quase nada e com muita moderação. Cerveja pode? Não! Mas eu bebo. Mate? Tambem bebo. Refri? Bebo moderadamente!

Os últimos sete meses foram de muita preguiça e pouca dieta. Preguiça de ter regras, de ter obstinação. É que viajei muito e não dá pra ter obstinação em meio às viagens. É cada delícia... Sorvete de biscoito de Piripiri, créme brullet camocinense, os biscoitos da D. Angela, balas de café e de ovos, sorvete de abacate da Soveteria Araújo, salada de mariscos do Sky em Jeri...

Agora pago por isso. Estou quatro quilos a mais que o "normal" e me sentindo uma massa de bolo vazando da forma depois que entra no forno. É assim que me sinto quando uso minhas calças jeans!!!

Bom, isso tudo só pra explicar que estou de dieta nível grave a partir de hoje, sábado. Dia péssimo pra fazer dieta, mas vou iniciar hoje mesmo, não quero nem saber!

Abri um marcador neste humilde (mas honesto) blog, chamado dieta!

Pra me controlar, hahahaha

Atenção: A dieta descrita aqui é de responsabilidade pessoal e intransferível. Não sigam a mesma pelo amor de Deus. Não tenho dinheiro pra indenizar ninguém!!!

Procurem um nutricionista e façam exercícios físicos regularmente!

Status da dieta

Tô de dieta, né?
Pois é, esta semana diminui bastante a quantidade de comida, mas ainda não entrei no ritmo de dieta que gosto.
Gosto de sentir que tô seguindo uma regra.
"Desregrei" algumas vezes esta semana, OPS, leia-se muitas vezes esta semana. É que estava acompanhando o grupo de organizadores do Nordeste Culiária, que este ano acontece em Maceió e ano que vem, pra alegria geral da nação, vai ser aqui.
Imaginem a quantidade de vezes em que falamos de comida? Quantas vezes fomos a restaurantes? E comemos sobremesas? E tomamos sucos e tudo mais??
Mas o lado bom de ter "desregrado" a dieta é saber de algumas dicas quentes. Soube por exemplo, que se o seu pão tá mais de dois dias fora da geladeira e consequentemente duro, basta você molhar as mãos, passar nele e por no forno, que ele vai parecer saído da padaria naquele dia. Adorei!!!
Agora por exemplo, não resisti. Molhei as mãos, passei no pão de anteontem, coloquei no forno e comi um pão com queijo e presunto fresquinho...
Pensando bem essa dica não foi tao boa assim... buá, buá, buááááááá
P.S. O suco era light!
Mas tudo bem, tô na luta.
Pra você que também está e dieta, força aí! Não desiste nao!
Dieta nível grave esta semana, já que descumpri as regras...

Eu me odeio!

Sinceramente me odeio com todas as forças desse mundo!
Tive uma semana muito difícil. No dia que dormi muito, dormi 5 horas por noite e ontem, antes de deitar, não coloquei despertador, não agendei nada pra cedinho, avisei mamãe, meus irmãos, minha afilhada e o namoradão pra não me ligarem, por que iria dormir até o corpo acordar por si só...
Eu simplesmente acordei as 7h!!!
Eu não quero morrer??? Que droga!
No dia que tenho pra dormir até tarde, meu corpo numa verdadeira "revolta dos farrapos", me obrigada a levantar apenas uma hora e meia a mais do que nos dias normais???
Ah, por favor!
Agora serei obrigada a fazer uma faxina rápida antes de sair. Droga, viu?

Um sábado animado pra todo mundo!

quinta-feira, 26 de março de 2009

Semana de Poesia

Cumprindo o prometido da semana...

Traduzir-se

Uma parte de mim é todo mundo
outra parte é ninguém: fundo sem fundo.
Uma parte de mim é multidão
outra parte estranheza e solidão.

Uma parte de mim pesa, pondera
outra parte delira.
Uma parte de mim almoça e janta
outra parte se espanta.

Uma parte de mim é permanente
outra parte se sabe de repente.
Uma parte de mim é só vertigem
outra parte, linguagem.

Traduzir uma parte na outra parte
- que é uma questão de vida ou morte
-será arte?


Ferreira Gullar

Gás


Todo dia é a mesma coisa: abro a porta de casa e escorrego num ímã de geladeira me lembrando que entregam gás em casa. É, aqui em São Luís poucos locais tem gás encanado. A grande massa usa daqueles botijões de 13kg.
Deve estar na moda abrir um negócio desse, porque gente, são muitos!
Acabei de jogar uma porrada fora e ainda tem.
Curioso: quase todos também vendem água mineral e exaltam Deus como fiel ou então nos lembram que ele é o único caminho. Também deve estar na moda tomar água mineral em casa e ser evangélico.
Mais curioso ainda: vendo a foto agora é que fui perceber que minha geladeirinha é nível "B" de consumo de energia.
Quero queimar pretinha no fogo do inferno como o vendedor me disse que era "A".
Eta, mas não se pode mais confiar em ninguém mesmo!!!

Sapato x Centro Histórico

Acabei de pensar o seguinte: poderíamos criar uns "portais" com recepcionistas e uns super guarda volumes para os centros históricos.
Funcionaria assim: você tira seu sapato, troca por um chinelinho baixinho (ou havaiana ou similar), deixa o seu por lá, anda, anda, sobre e desce, conversa, fofoca, maroca, sorri, trabalha e volta pro portal que você deixou seu sapato, devolve o chinelinho do dia, pega o seu de volta e vai pra casa SUPER relaxado, contente e satisfeito!
Não. não pensei nos sapatos com chulé, porque geralmente a maioria são de homens e como já estão de sapato sem salto, tá tudo resolvido;
Quem já está de rasteira, tênis ou sapatilha entra tranquilamente;
Quem quiser andar de salto pelos paralelepípedos, pode passar...
Mas eu, por favor, continuo com os pés acabados. Alguém tem uma dica?

quarta-feira, 25 de março de 2009

Papo cabeça

Depois de tomar banho de chuva e já devidamente sentadas suando no ônibus...

Tereza: - Ôba! Vai ter "Samba São Luis" na sexta.
Eu: - O que é Samba São Luís?
Tereza: - Vários shows de samba lerda! No circo.
Eu: - Ai que massa. Quem vem?
Tereza: - Revelação...
Eu: Nossa, quero ir!
Tereza: - E mais Rodriguinho, Crigor e Belo...
Eu: - (silêncio, ic!) Acabei de desistir. Aff!
Tereza: - Não vem falar mal do povo não! Nem de Belo!!!
Eu: - E precisa?

E claro, minha tolerância e bom gosto não permitem que eu saia do aconchego do meu lar pra ver três bostas cantando...
Paciência São Luís, paciência...

Prosa e poesia

Prometi dar mais sentido às 14 horas (24h é coisa do passado, não é mesmo?!) que regem o meu atarefado dia e disse ao namoradão que hoje ia ser só prosa e poesia.
Lembrei agora que talvez não consiga, dada a agenda apertada, só pra variar! Então deixo registrado meu compromisso de fazer este resto de semana recheadinho de poesia, já que de prosa minha vida tá repleta...
Não, não escrevo poesias. Não sei sequer o que é uma redondilha maior, que o namoradão vive falando, mas gosto tanto... queria muito ter tempo pra ler, apreciar, dar uma "decoreba" nuns poemas clássicos e sair declamando por aí!
Este ano na FLIP (www.flip.org.br) o homenageado é Manuel Bandeira, que gostei desde os tempos da escola, quando quis "ir-me embora pra Pasárgada junto com ele", mas não vou!
Não vou a Paraty, mas talvez pra Pasárgada!
Deixo então aqui um trechinho de Manuel Bandeira pra adocicar a vida e todos e só volto à noite. Dia corrido...
Um dia de poesia meu povo!!!!
"Vou-me embora pra Pasárgada
Lá sou amigo do rei
Lá tenho a mulher que eu quero
Na cama que escolherei

Vou-me embora pra Pasárgada
Vou-me embora pra Pasárgada
Aqui eu não sou feliz
Lá a existência é uma aventura
De tal modo inconseqüente
Que Joana a Louca de Espanha
Rainha e falsa demente
Vem a ser contraparente
Da nora que nunca tive

E como farei ginástica
Andarei de bicicleta
Montarei em burro brabo
Subirei no pau-de-sebo
Tomarei banhos de mar!
E quando estiver cansado
Deito na beira do rio
Mando chamar a mãe-d'água
Pra me contar as histórias
Que no tempo de eu menino
Rosa vinha me contar
Vou-me embora pra Pasárgada

Em Pasárgada tem tudo
É outra civilização
Tem um processo seguro
De impedir a concepção
Tem telefone automático
Tem alcalóide à vontade
Tem prostitutas bonitas
Para a gente namorar

E quando eu estiver mais triste
Mas triste de não ter jeito
Quando de noite me der
Vontade de me matar
— Lá sou amigo do rei
—Terei a mulher que eu quero
Na cama que escolherei
Vou-me embora pra Pasárgada".

terça-feira, 24 de março de 2009

Dieta



Dieta. De novo! Nível grave. Vou tentar, mas ando tão doida da cabeça que nem sei...
Por falar nisso, hoje é a abertura do Encontro Nordeste de Bares e Restaurantes, só pra me atentar...aff!!!
Tem "Oficina de molhos e saladas", "Como tirar chopp", "Desperdício e criatividade no mundo das massas", "Como desossar e recear aves", "Como montar uma equipe de restaurantes", "Harmonização de cervejas"além das palestras e mesas redondas etc...
Irei proferir a palestra "O São Luís Convention & Visitors Bureau como instrumento de ação e promoção para o Turismo de São Luís" amanhã às 15h.
Espero vocês lá!
Ah, é no Rio Poty!!!!

segunda-feira, 23 de março de 2009

Papelada






















Cá estou eu em plena segunda, engolida pelas pendências.
Que nome chato esse: pendências! Mas estou sempre cheia delas, que droga isso!
Passei o final de semana trabalhando para o Turismo de São Luís e ainda tenho essas prateleiras e mesas pra arrumar. Quis por as fotos aqui pra eu ficar lembrando toda hora que ainda tenho monografias, alguns projetos, livros e muitas aulas pra montar.

Tudo preciso reorganizar todo tempo! Tudo precisa de lugar e a cada semana me enrolo mais.
Mnha vida é um rolo compressor.
Meu povo, uma segundona aí!


domingo, 22 de março de 2009

Some Unholy War

Há tempos não escutava Amy Winehouse.
Como trabalho desde a madrugada, resolvi escutar algo bem down agora, pra entrar no clima e ver se termino essa trabalheira toda.
Como funcionou! Essa música é realmente uma facada no estômago. Adoro!
Na sequência vou por o disco BLUES do Jimi Hendrix pra lascar de vez...

Não façam isso em casa sem a presença dos pais, heim?

Diazão nada Blues pra vcs!

É preguiça?

Por que será que meus doces e queridos viajantes, marocas e curiosos, me visitam e não deixam comentários, heim???

Pôxa...

Dica de site

Meu povo!!!

www.asultimas.com.br é um site massa!
É daquele "maria vai com as outras" do Pedro Doria, mas achei a proposta bem boa!
É um agregador de informações. O que rolou na net, ele aponta.
O critério é de popularidade de site, claro.
Gostei, ó!


Fica a dica de sábado, ops, de domingo!

sábado, 21 de março de 2009

O pão nosso de cada dia


- Três pães massa grossa, por favor.
- Hã?
- Ah, desculpe senhor, quero pão francês!
- Saindo “três francês” quentinho na hora...


Foi com esse pequeno diálogo numa padaria do Piauí que me dei conta dessa particularidade no Maranhão e imediatamente pensei: e o pão massa fina, como chamam aqui?
O pão é um alimento milenar. Aponta-se seu surgimento na Mesopotâmia há seis séculos e com uma fabricação pobre, sem muita pompa, e um produto final de sabor amargo. Sua origem remonta ao cultivo do trigo que também era aproveitado no fabrico de bolos, mingaus e broas.
No Egito, de tão sagrado, o pão era pagamento de trabalhadores. Na Idade Média o padeiro era muito respeitado e prestigioso, no início da era cristã, o pão já aparece como um alimento comum nas mesas dos romanos. Lembremos aí do quadro da Santa Ceia, onde Jesus aparece ladeado de apóstolos e o pão a partir dali se transformando num alimento sagrado.
No início, assim como hoje, em sua fabricação era acrescentado centeio, aveias e outros cereais, embora sem a noção exata dos benefícios para a saúde. Hoje, cereais dão nobreza aos diversos tipos de pães, embora os velhos “massa fina” e “massa grossa” permaneçam intactos aos gostos dos maranhenses.
O pão “massa grossa”, meu preferido, tem casca dura, é quase oco e crocante. Quentinho e com uma boa porção de manteiga não tem igual. Com requeijão, margarina, geléia ou patê é bom, mas com manteiga real, não tem pra ninguém.
Já o “massa fina” é maciço, molinho e de sabor adocicado. Muito bom com recheios e não costumamos vê-lo quente pelas padarias. É sempre frio e de um dia pro outro não perde suas características e frescor como o “massa grossa” que amanhecido, perde um pouco seu glamour.
Nosso pão “massa grossa” recebe diversas alcunhas pelo Brasil afora, sendo mais conhecido como pão francês, baguetinho, carioquinha, cacetinho, etc. O “massa fina” é conhecido como pão de leite e não se fala mais nisso.
A fabricação de pão é algo relativamente simples, embora seja necessária uma certa alquimia dada a necessidade do uso de fermentos.
Não se sabe ao certo quando começou a tradição de se comer pão de manhã cedo, fazendo parte do café da manhã, mas há algo de curioso nisso: aqui no Maranhão o pão não é parte integrante das refeições principais como em outras partes desse Brasil varonil. Por aí, come-se pão com saladas, churrascos, como entradas e até como sobremesas, além de ter uma cestinha sempre à mesa de almoço e jantar. Em São Luís, você encontra pãezinhos como entradas ou acompanhamento de sopas e caldos, mas só é elemento principal no café da manhã, acompanhando uma boa xícara de café com leite.
Pão light, pão com linhaça, brioche, pão preto, pão integral, pão ciabatta, massa fina, massa grossa, bengala, filão, pão de forma, pão de cevada, de centeio, pão doce... As opções são incontáveis hoje em dia e as boutiques de pães estão cada vez mais sofisticadas para atender o público ávido por novidades.
Dada a modernidade do mundo e a nova estrutura familiar da nossa sociedade, é muito fácil encontrar o velho pão com café substituindo o jantar. É cena corriqueira pais e mães de família passarem na padaria antes de voltarem do trabalho.
Pode faltar qualquer coisa em casa, mas pão, não!

Estou absolutamente atolada de coisa pra fazer. Sinceramente não entendo como vou fazer tudo, se é que vou fazer!
Passei o dia pensando em "como fazer" ao invés de fazer. Até agora, nada! Estou mais desesperada ainda pelo avanço da hora e continuo inerte, feito um pé de manga!
Bom, acabei de ler que temos que ter fé. Acredito mesmo nisso, mas o fato de ser uma tanto pessimista e incrédula com as pessoas, acabo esquecendo.
Tá bom, tá bom. Vou ter fé que tudo vai melhorar, que tudo vai se resolver e que cada coisa, uma de cada vez, vai estar prontinha até segunda.
____________________________________________________________________
Ontem foi um dia cheio.
Trabalhei muito e acabei encontrando no início da noite a família toda no Centro histórico (mamãe, irmã, cunhadinho e afilhada).
Levei minha amiga do Piauí pra lá, bebemos umas e outras e já viu, né?
Tava cheio a animado: pagode, Tambor de Crioula e tudo o mais...
Em meio às conversas de mesa de bar, Aline disse que aqui, as pessoas assumem sua negritude como nunca. Gostei do comentário.
Tenho muitos amigos negros e quanto mais assumidos, mais bacana ficam.
Ser negro é ser diferente! É ter uma cor linda que combina com tudo, é ter ginga, é ter sorrisão largo, é ser forte, inteligente e sagaz.
Bom sábado a todos!

quinta-feira, 19 de março de 2009

Home Office

Trabalhei em casa hoje. Não "arredei" o pé pra nada.

No escritório tem muitos telefones, muita gente entrando e saindo e não consigo me concentrar.

Preciso de silêncio para raciocinar. É um problema isso!

Pra dormir não tenho problema. Pode ser numa festa, mas pra pensar e por as idéias em ordem, preciso de silêncio, calmaria, tempo e ambiente saudável.

São seis e pouquinho e não fiz nem metade de tudo que tinha pra fazer. O tempo realmente parece não mais existir em nossas vidas. Uma loucura.

Resisti um pouco em sair hoje e dar atenção aos meus amigos do Piauí que estão a trabalho na Ilha do Amor, mas não consegui contra-argumentar os fundamentos deles. Vou levá-los a um barzinho pra descontrair.

Tomara que não chova.


Quanto ao meu planejamento, vou me planejar pra amanhã!

Gostei de trabalhar em casa. Tô descalça e com caracol no cabelo. Linda, não?

quarta-feira, 18 de março de 2009

Aline chegou!!!!

Aline, figurinha carimbada neste espaço, chegou de Parnaíba! Veio a trabalho e já tá deitadinha ali cansada...
Tô bem feliz porque ela veio ficar comigo esses dias. Ela é uma fofa! Foi amor à primeira vista em Parnaíba. Só faltou o terceiro mosqueteiro, Igor!
Preparativos:
Levantei hoje às 5:30h para fazer uma faxininha rápida e minha amiga não se espantar com tanta roupa espalhada; Levei um tombo e tô com o pe machucado! Sei que estão pensando que só acontece comigo........................ mas é mesmo!
Para o jantar, fiz:
Arroz integral mole! Alguém pode me dar uma receita infalível de arroz integral, plissssss??? Não consigo fazer esse troço. Revezo assim: uma semana como ele duro, na outra mole e assim vou vivendo...;
Fiz uma salada de alface americana, ricota, palmito, pimentão, tomate e atum. Essa tava boa!;
Assei um peixinho no forno. Ela não reclamou, rsrs!
Para Aline e outros amigos:
Rservei a cafeteira para o cafe de toda hora... Aline é cafetólatra!
Essa cafeteira é coringona mesmo. Edu que me deu e só para as visitas, já que não tomo café!
Na verdade verdadeira, acho que ele me deu pra ser usado pelo namoradão, que é viciadinho num café e pra ele, que também gosta...
Bom, só sei que as visitas se dão bem, pq é prática, linda e me salva de uns apuros...
Boa noite gente!
Valeu pelas visitas de hoje!

Fuzuê



A Dadá é minha amiga. Uma grande e querida amiga. Inaldo também. Um grande e saliente amigo.


Ambos são sócios e com a cara e a coragem abriram um restaurante modesto no Centro Histórico de São Luís. É o Cantinho da Estrela.


Algum tempo se foi e o restaurante passou do estágio probatório. Foi aprovado com louvor pela clientela e vem aumentando sua atuação. Hoje é Buffet também e em muito breve estará de sede nova.


Na fase atual não pode mais ser considerado modesto. Pelo contrário, para o que se propõe, faz com grandeza. Seu Zé, o novo Chef de Cozinha contratado, diria, importado, de vários hotéis de renome de São Luís, está fazendo a diferença. Eu já o conhecia, desde tempos do meu primeiro estágio* e quando soube da sua contratação fiquei bem feliz.


O caso é que todos os dias, a hora do almoço se transforma num evento! Primeiro que eu e minha equipe almoçamos lá. Aproveitamos e botamos as fofocas em dia;


Segundo, que alguns amigos vem almoçar e aproveitam para me encontrar e fazer uma pequena festa. Outro dia, éramos eu, Josi, Edu, Fábio, Conceição Marques, Angela e mais alguém que não tô lembrando agora. Um fuzuê danado...


Ana Amélia, mãe de Lu, veio logo me dizendo: - "menina só se escuta tuas gargalhadas lá fora..."


O encontro bom mesmo é no quintal (só para os de casa). A gente nem liga que tá perto da cozinha, que tá mal acomodado, o que queremos mesmo é nos encontrar, comermos bem, sermos bem tratados e parecermos "de casa".


Tem dias que tô tão cheia de trabalho que prefiro não ir almoçar, pra não me atrasar na volta, já que vou encontrar o povo e vou querer conversar até não poder mais...


Acho que se fôssemos filmar um seriado ou uma novela por aqui, o restaurante de Dadá e Inaldo seria aquele ponto de encontro, onde tudo acontece.


Levei meu contador semana passada. Adorou!


Esta semana prometi pra Klauss que vou levá-lo.


O cardápio esses tempos está de primeira. Hoje tinha uma macaxeira bem sequinha e uma beringela que vou contar...


Ah, ia esquecendo: Tem uns mousses que sinceramente, são quase orgásmicos!!!!


Anotem aí:


Cantinho da Estrela


Rua da Estrela, nº115, ao lado do Hotel Cantaria, Praia Grande.


Tel: (98) 3266 - 4035




Venham no almoço. Vocês não vão se arrepender!!!

*meu primeiro estágio na vida foi no antigo Hotel Vila Rica. Cortei cebola uns três meses. Seu Zé era o Chef e nem tchun pra mim... Agora manda pra minha mesa comidinhas feitas especialmente para essa que vos escreve... Tô com moral, hehe

E Inaldo? Ah, esse era o lavador de pratos...

Como o mundo é redondinho, depois fui ser professora de Inaldo e Dadá na faculdade, nos tornamos amigos, Seu Zé foi contratado e "óia nóis tudo junto aqui, sô!!!"
Na foto, Chef Zé Maria!

terça-feira, 17 de março de 2009

Xurumelas

O dia tá acabando. Ainda bem!!!
Dia chato!
Cansativo!
Inadimplente!

Uma luz no fim do túnel...

Vou iniciar meu expediente à noite e espero que ela (a noite), não me venha com xurumelas!!!

segunda-feira, 16 de março de 2009

Sonho...


Sonhei que estava numa praia. Em pleno dia de semana.
Linda, limpa, com muito vento e um mar azul turquesa.
A vida tinha um gostinho de caramelo e cheiro de alecrim.
O descanso era merecido...
Minha companhia era a melhor possível: alegre, cativante e amorosa.
Só comia quando tinha fome, só dormia quando tinha sono, quando cansava, podia deitar na grama e esperar os batimentos voltarem ao normal. O tempo era inexistente.
Acho que foi um delírio de febre...

Farmácia

- Moço, qual o melhor esparadrapo que existe?
- Esse aqui.
- Hum, nunca ouvi falar dessa marca!
- É bom, confie em mim. Só vendemos dessa marca aqui.
- Tá bom, me dê dois desse, duas caixinhas de band-aid com 10 e o que o senhor tiver pra calo (?!?!)
- Tem esse pozinho pra por em cima com água morna, quando chegar em casa.
- É quanto?
- R$ 1,00
- Me dá três então.
Agora vi que o esparadrapo não gruda nem pensamento! Aff!!!
Imagina o tal pozinho....

Crocs

Estou eu subindo agora com meu pé em frangalhos e vejo uns turistinhas de crocs...
Ainda morro disso!!!!

Segundona

A segunda é assim, preguiçosa e cheia de atrapalhos.
Exatamente pra rivalizar com a preguiça, deixamos pra resolver um monte de coisa na segundona. E é sem querer, né?
Dieta? Na segunda!
Começar o projeto? Na segunda, é claro!
- Sexta a tarde então? Não, falamos na segunda.
E assim, você vai enchendo a segunda de tudo que não deu certo da semana que passou... E haja coisa, viu?
Já iniciei a segunda com reunião, pode? Cheguei, deixei computador e papéis e saí pra reunir. Já fui ao banco e tô enrolada. E ainda tenho aula a noite. Só encerro o "expediente" às 22:30h.
E sabe o que é melhor numa segunda chuvosa? Vir trabalhar de sapato novo! Eu consegui fazer isso!!!!!!!!!!! Acreditem se quiser!
Resultado, hã, hã???
Meus pés ainda vão ficar em uma dessas esquinas de tanto que tô querendo arrancá-los com esses calos!
Aditivo: tô resfriada e com uma febrezinha chata!

domingo, 15 de março de 2009

A pessoa é para o que nasce


Sempre quis ver esse filme-documentário. Há tempos ele está no meu subconsciente.

Gosto do título.

Quer dizer, tenho medo do título (pra que será que nasci?!).

Não, não, melhor dizer que às vezes, discordo do título porque acho que o livre arbítrio nos permite umas escapadelas...

Hoje pude assistir. Tava passando na TV Brasil, meu canal favorito na Tv aberta.

Elas são cegas e cantam para conseguir o sustento de cada dia. Três irmãs de Campina Grande.

Estou com uma cena de cego cantando desde que assisti "Quem quer ser um milionário". Incrível, não sai da minha cabeça.

Não me senti tão bem assisitindo o que queria ver há tempos. Me incomodou. Talvez fosse melhor não ter assistido o vencedor do Oscar ou quem sabe, assistido o documentário quando foi lançado...

Agora pronto! Tô com isso na cabeça. Pra que será que nasci???

Apenas desconfio...


Ah, recomendo!!!!!

Resfriada

Agora, sem ter nem pra quê, to com febre, espirrando e molenga.
Ê lê lê..

Metáfora

A semana que começa traz nas entrelinhas muita expectativa e também muito trabalho.
Como tenho tido uma vida metafórica, nada é, tudo é como se fosse! Igualzinha à mais famosa figura de linguagem da nossa gramática. A diferença é que ao invés de trocar os termos, troco todo o resto o que no final, elevado à potência 10 e extraído a raiz quadrada, dividido pelo resultado do ângulo obstuso do triângulo escaleno, dá na mesma!
Minhas semanas estão divididas assim:

1) "segunda e terça";
2) "resto da semana";
3) "fim de semana".

Na "segunda e terça" não penso, não raciocino e sou guiada por um relógio, que detalhe, parou. Tic tac, tic tac. Saio de casa às 7h e volto às 23h. Chego e vou empurrando tudo no salão de jogos (local sagrado pra onde tudo que não tem lugar, jogo lá!). Só hoje atentei para a quantidade de papéis em cima da mesa de estudos, instalada apertadamente nesse templo. Confesso o receio de sentar nela desde a semana passada! O fato é que hoje não tive escolha. Sentei e percebi que a coisa tá pior do que imaginava: me dei conta dos atrasos da vida, das aulas e claro, das contas. Vi papéis do dia 26 de janeiro (o dia em que voltei pra São Luís!!!!), ou seja, não arrumo a danada desde esse dia. Tudo troco das segundas e terças...

No "resto da semana", trabalho as revoltantes 8h normais e à noite, de tão cansada, durmo. Melhor, tento dormir. Fico deitada a noite. Tento ler, mas não tenho conseguido. Tento estudar, também não tenho conseguido. E aí amanhece e lá estou eu saindo de novo e deixando roupa espalhada por todo o ap...

O "fim de semana" é controverso. Ao invés de me divertir, namorar, curtir, descansar, faço faxina, analiso a vida, penso e repenso o futuro, estudo, me estresso e trabalho. Dá pra entender???

Um semana sem metáforas pra vocês!!!!!

Vida

No site www.mdemuher.com.br tem uma matéria que fala das 9 receitas para viver melhor: amor, otimismo, espiritualidade, bom humor, saude, perspectiva, confiança, pró-atividade e coragem.
É muita coisa pra viver bem, né?

Aff, como viver é difícil....

Ziringuindum

Casa de mãe é um negócio engraçado: barulho, conversa fiada, cervejinha, churrasco e feijoada.
Agora vou por um sambinha pra animar!!!!
Ê domingão...

sábado, 14 de março de 2009

Sábado a noite



@#$%¨&*o!@#$0#$472$%%¨&&*@!##
O xingamento não é pra vc leitor, é só um desafabo...
Passou!!!!

Hoje é Dia da Poesia

"Batatinha quando nasce
Esparrama pelo chão
Carrego papai no bolso
E mamae no coração"


Quem será que escreveu essa pérola????

Bom dia da Poesia pra todos com muita leitura!

Quem quer ser um milionário?

Fui ao cinema ontem. Eu e duas amigas.
Programa ótimo!
Assisti ao mais oscarizado de todos: o vencedor de melhor filme. Gostei muitão.
Recomendo!
Tem riso, tensão, amor, sofrimento, tristeza e vida real.
Fiquei tensa grande parte do filme, mas é que ver a India como ela é é bem difícil...
A atriz que dá pano de fundo ao drama é linda. Parece brasileira.
Como é Bollywood, tem uma coreografia no final que nada tem a ver com nada. Morri de rir nos caracteres...

bom dia meu povo!!!!

Agora vou ao mercado, farmácia, salão e depois fazer faxina. Típico sábado de dona de casa...

quinta-feira, 12 de março de 2009

Teatro x Novela

Acabei de ver a peça Roque Santeiro. Texto de Dias Gomes com produção maranhense.

Achei muito bacana. Dei boas gargalhadas.

Saber que foi escrita em 1963 e que foi censurada várias vezes, já te dá uma preparação diferente para a peça. Bem legal.

Ver uma peça de Teatro que algum dia já teve o texto montado como novela é que é o problema!Primeiro porque novela todo mundo assiste. As opiniões correm o País. O chato mesmo é ficar comparando com a tal da novela! A toda hora mamãe me perguntava:

- Quem fazia o papel do Prefeito? E o Zé das Medalhas, tu lembras?

E assim foi a peça inteira...

Mas gostei bastante do texto e do elenco. Em especial, o vigário a a Porcina!


Anotem aí os serviços:


Texto: Dias Gomes

Direção: Michelle Cabral

Local: Teatro Arthur Azevedo

Amanhã e sábado: 21h

Domingo: 19h

R$ 30,00

Produção TODA Maranhense


Maiores informações, abraços e muito sucesso a Afonso Bagui (98) 8885-4549

Conrado



Acabaram as minhas 8 horas de trabalho que o mundo insiste em ter e só me lembro do Conrado dizendo "Eu só me fodo nessa merda"!!!!!

Aforismo

Deveríamos fazer reunião em pé como nas grandes corporações.
Os participantes de uma reunião poderiam chegar com suas pautas prontas e com um lugarzinho para "encaminhamentos". Tudo bem enxuto. Objetivo, rápido, funcional e prático.
Deveríamos ter no máximo 25 minutos para cada reunião. Ter no máximo uma ao dia.
As pessoas ao iniciarem uma reunião poderiam já marcar o happy hour para conversarem aquilo que conversam em meio às reuniões, que detalhe, em nada tem a ver com o propósito da mesma!
Todos deveriam ter em mente o seguinte aforismo: "Quem muito reune, pouco trabalha!"
Bom, um Diplomata ainda vai lá, mas eu????
Não consegui esquentar minha cadeira hoje. Tô em reunião atrás de reunião e não consigo trabalhar. No horário do almoço é que tô conseguindo sentar e repensar ações...
Já publiquei meu manifesto pelo ócio, já falei dos uniformes de trabalho com sapatinhos confortáveis e agora estou dando dicas sobre gestão...
Pensei agora em escrever o "Manual Corporativo para um adepto do movimento ócio, viagens e gastronomia". Que tal???

quarta-feira, 11 de março de 2009

Chocolate

O ser humano é um bicho complicado.

Quer tudo e não quer nada.

Faz tudo e não faz nada!

Eu, por exemplo, quero um monte de coisa ao mesmo tempo.

Quero mais ainda. Muito mais!

Tenho em mente o que quero e tenho medo de arriscar.

Sei das minhas vontades, mas não consigo saciá-las.



Talvez uma barra de chocolate agora...

Capital Brasileira da Cultura 2009

Sobre o evento ontem, todos ficaram emocionados!
Sabemos da diversidade cultural e étnica do Maranhão, mas ver de perto, sentir tudo junto, ouvir o toque dos tambores celebrando mais uma conquista é bom mesmo!
Parabéns a São Luís.
Tô torcendo pra essa discussão se agigantar e termos bons resultados.
Construção coletiva é difícil...

Alôsom, testando

De novo, testando cara nova....

Horário marcado

Como combinado, lá estava eu às 19h interrompendo outra conversa do Mestre Vieira.

Falante como sempre, estava contando umas peripécias de tempos atrás. Fiquei ouvindo e logo me meti na conversa, claro!
Muito gentil, autografou meu cd e tirou essa foto comigo.
Já combinamos de nos encontrar no seu show no próximo sábado no Chico Canhoto. Ôbaaaaa!!!!
Tón lindo!!!!!
Saí de lá toda saltitante, comprei um saco de pipoca e vim pro aconchego do meu apzinho...

Nós



O Mestre falante

terça-feira, 10 de março de 2009

Capital Brasileira da Cultura 2009

São Luís recebe hoje o título de Capital Brasileira da Cultura 2009. Não é o máximo?
O evento é às 19h no Teatro Arthur Azevedo com concerto de Turíbio Santos.
Espero todos vocês lá!
Bom dia!

segunda-feira, 9 de março de 2009

Resumão

- Amanheci com leve ressaca;
- Tomei um ônibus para ir ao trabalho. Não, não era um ônibus comum, era simplesmente o ônibuis mais cheio desse universo;
- Percebi que perdi o anelzinho do meu dedo do pé. Dez vezes merda!;
- Li a manchete do jornalzinho de R$ 0,25, que era: "Fenômeno volta novamente";
- Estressei no trabalho;
- Subi e desci mais de 140 degraus;
- Raciocinei pouco;
- Reuni muito;
- Senti dor no estômago;
- Minha hóspede foi embora;
- Almocei as 14h;
- Droga, tomei uma coca!;
- Não jantei;
- Comi um tecão de chocolate;
- Dei aula;
-Vou ouvir Paulinho da Viola e dormir.

Boa noite gente e obrigada pela visita. Muito obrigada mesmo!

domingo, 8 de março de 2009

Adoro ser mulher!

Eu não lembro de ter dito algum dia que queria ser homem. Nem no auge da dor de ter sido deixada num relacionamento.
Também não me lembro de ter visto um homem fazendo xixi no poste e ter pensado: “como seria bom me aliviar desse jeito”!
Nos filmes e minisséries sobre guerra, logo penso que ir pra guerra deve ser muito complicado.
A cada vez que vejo o namoradão ou o meu “rimão” fazendo barba, agradeço menstruar uma vez só por mês, e não a cada três dias como os homens, já que eles consideram a barba o equivalente à nossa chateação mensal.
Gosto mesmo de ser mulher!
Acho a vida da mulherada colorida. Cheia de balangandãns. Adoro isso!
Adoro trocar de roupa três vezes antes de sair.
Não consigo sair sem pelo menos dois anéis, um par de brincos, um colarzinho, meu anel do dedo do pé, minha tornozeleira e uma pulseirinha. Parece que to nua sem tantos acessórios.
Acho maquiar uma arte. Sair sem lápis de olho? Nunca, jamais! Sem rímel? Tudo bem sobrevivo sem ele. Até hoje não fiz curso, mas ainda vou fazer!
E TPM? Poxa vida, sem ela a vida dos homens iria ficar com menos um tópico de conversa em bares, revistas e consultórios médicos. Como ela não me atinge muito fortemente, acho que é necessária. O mundo corporativo aos poucos está se adequando a ela também.
E como seriam os relacionamentos se não pintasse um ciuminho de mulher? Aquele que vem da nossa visão periférica em meio ao bar?
Uma transferida “naquela viagem” porque a parte fêmea está com cólica, dá um novo sabor à nova viagem, não é mesmo?
Que graça teria a vida de um homem se ele se arrumasse e saísse logo? Ah, não! A reclamação do sexo masculino enquanto espera a gente se arrumar faz parte do dia a dia e eu acho um barato. Cada casal desenvolve sua dinâmica em relação a isso. O “timing” é definido logo nos primeiros meses de namoro.
Enfim, gosto mesmo de ser mulher e acho que nós damos graça a esse mundo!
Vó, mame, tias, rimã, afilhadas, primas, sogrona, cunhada, “quase” sobrinha, amigas, colegas e “colaboradoras” parabéns e sejam felizes!

Obs: deu preguiça de terminar de escrever o texto! Domingão, sabe como é!

Bom dia!

sábado, 7 de março de 2009

Dica de site

Uimar Junior é uma figura.
Figura humana muito bacana e um ator incrível. É o melhor performer na arte do estatuísmo do Brasil, não tenho dúvidas! E ainda é meu amigo!
Fizemos uma viagem ao Rio que até hoje me rende gargalhadas...
E maranhense e merece todo nosso apoio.
Prata da casa com conteúdo ouro!!!!

Lançou agora seu site www.esculturaviva.com.br

Apreciem!!!

Ferreira Gullar - o Maior Poeta do Brasil

Vou transcrever aqui um texto muito bacana. Aproveitem!!!



Reedição da obra e novos lançamentos preparam as comemorações dos 80 anos de Ferreira Gullar, um autor que atravessou todos os momentos da poesia brasileira e assegurou seu lugar entre os grandes do século 20
Por Almir de Freitas
Sobre Ferreira Gullar, ninguém menos que Vinicius de Moraes escreveu, em 1976, que se tratava do "último grande poeta brasileiro". Na época, o maranhense estava exilado em Buenos Aires, depois de cumprir um longo périplo — Moscou, Santiago, Lima — fugindo da mão pesada da ditadura militar. Ali, um ano antes, espremido entre os golpes no Chile e na Argentina, temendo "desaparecer" em meio à proliferação de ditaduras latino-americanas, Gullar tinha escrito a sua obra-prima, Poema Sujo (1975). Poema-limite, vertiginoso na evocação da São Luís da infância do poeta, das histórias, personagens e sensações prestes a mergulhar no esquecimento da morte, Poema Sujo levaria o nome de Ferreira Gullar, de fato, ao panteão mítico dos grandes nomes da poesia brasileira, ao lado de Murilo Mendes, Manuel Bandeira, Carlos Drummond de Andrade, João Cabral de Melo Neto e — à parte a modéstia do próprio — Vinicius de Moraes.
Se ele não era exatamente o "último" naquela época, hoje não são poucos os que o consideram o maior poeta vivo do Brasil — e não apenas pelo impacto de Poema Sujo. Nascido José Ribamar Ferreira no dia 10 de setembro de 1930, o também dramaturgo, ficcionista e crítico se aproxima das comemorações de seus 80 anos de idade não como mero sobrevivente de uma era que passou. Ferreira Gullar é, antes, um intelectual e um escritor a quem não falta o gosto pelo estudo, pelo debate e, sobretudo, pela poesia. Só neste ano, a editora José Olympio prepara a edição de dois volumes: uma reunião dos poemas de cordel escritos pelo autor nos anos 70, ilustrados pelo artista paraibano Ciro Fernandes; e Em Alguma Parte Alguma, seu novo livro de poemas, o primeiro desde Muitas Vozes (1999). Além disso, a Nova Aguilar acaba de lançar Ferreira Gullar — Poesia Completa, Teatro e Prosa, um volume de mais de mil páginas que traz, além da obra poética completa acompanhada de farta bibliografia, a reunião de textos antes esparsos, duas peças de teatro e um ensaio inéditos.
São 60 anos de carreira, período em que ele atravessou, ativamente, todos os episódios decisivos da moderna poesia brasileira. Da mesma maneira que sua obra se localizou em algum ponto entre dois extremos — o lirismo e a sordidez, o local e o universal, a multidão de vozes e a solidão —, sua trajetória revela um poeta que oscilou entre a ousadia aberta e a prevenção contra os formalismos ocos. Parafraseando Caetano Veloso, pode-se dizer que Ferreira Gullar "entrou em todas as estruturas e saiu de todas", num movimento contínuo de experimentação de sintaxes em busca do aperfeiçoamento da própria voz — uma busca pelo novo em que ele nunca perdeu de vista suas origens.
Foi assim desde quando, ainda no Maranhão e incrivelmente atrasado em relação aos modernistas, Ferreira Gullar estreou na literatura, em 1949, com as redondilhas, decassílabos e alexandrinos de Um Pouco Acima do Chão, livro de lustroso sotaque parnasiano. "Talvez eu nasça amanhã", diz o último verso do último poema desse livro que ele, mais tarde, renegaria. Como se cumprisse uma profecia, o poeta, já vivendo no Rio de Janeiro, abandonou a régua e a rima no livro A Luta Corporal (1954). E o fez com autoridade e desassombro: na concepção de uma poesia visual, formada por estilhaços de palavras que exploravam novas possibilidades sonoras, Gullar não apenas superava certo prosaísmo que rondava a poesia do modernismo da época, como também antecipava os procedimentos do concretismo. Poeta visceral, ele, contudo, desembarcou do movimento atirando contra a racionalização "matemática" promovida pelo grupo paulista — Décio Pignatari e os irmãos Augusto e Haroldo de Campos à frente. O racha provocou uma das cizânias mais persistentes e ferozes da literatura brasileira, até hoje responsável por uma resistência a Gullar em certos círculos de São Paulo.
O ciclo, poém, estava estabelecido. Inovador mas avesso ao dogma, Gullar deu prosseguimento, na prática, à profunda reflexão sobre o papel da poesia. Em 1959, lançou as bases do movimento neoconcreto, a partir do qual construiu o corpo principal de sua (polêmica) abordagem das artes plásticas. Já nos anos 60, ingressou no Centro Popular de Cultura (CPC) da União Nacional dos Estudantes, iniciando uma fase "popular" e engajada politicamente, cujas ramificações se estenderam ao teatro. Mas, se as frias ortodoxias estéticas não serviam a Gullar, o mesmo se aplicaria às normatizações de uma arte concebida como assessório da revolução social.
Na soma dessas idas e vindas, forjou a poesia que conquistaria Vinicius de Moraes. Naquele ano de 1976, foi Vinicius quem trouxe ao Brasil a fita cassete gravada pelo próprio Ferreira Gullar com Poema Sujo, promovendo "sessões" no Rio de Janeiro para exibir a todos a poesia "orgânica, crua, fecunda, emocionante" daquele intelectual maranhense que, no exílio, procurava traduzir a totalidade de sua própria existência.
O curioso é que a crueza de Poema Sujo — e também de Dentro da Noite Veloz (1975) — teve a capacidade tanto de elevar Ferreira Gullar àquele panteão mítico de poetas quanto de aproximá-lo (por conta das circunstâncias, inclusive) da "poética deliberadamente impura da poesia marginal", na expressão do crítico José Guilherme Merquior. Nesse momento, Ferreira Gullar, que voltaria ao Brasil em 1977, ainda trafegava naquele território entre os extremos. Viveu os movimentos do seu tempo, apontou caminhos, experimentou. Mas sempre, ontem como hoje, desempenhando o papel de tradutor de sua própria história, a de um homem que — como todos — está num ponto difuso entre a infância e a morte.
Fonte: Revista Bravo!

Dica



Porca Miséria é a coluna do Glauco Mattoso na Caros Amigos. Vejam este mês o que ele diz:

"(...) o detalhe curioso nessa historia é que nem nos hospitaes mais caros o cara se livra do soffrimento. Não sou rico, mas consegui bons ophthalmologistas e fui operado até no Einstein, o que não impediu que minha visão fosse para o beleléo. Já repararam que os ricos até soffrem mais, prolongadamente entubados, que um moribundo carente? O rico apenas gasta mais, mas não agoniza menos. Então, para que tanto avanço technologico? A medicina devia servir para abbreviar o sacrificio, não para sophistical-o. A chamada “civilização” apenas camufla a barbarie, jamais a supera."

Bom, só explicando a escrita rebuscada: é que agora ele inventou que vai escrever assim... nada mais consigo explicar!

Sobre a visão ter ido para o beleléo, ele é cego!

Para ler mais, vai em "petiscos"

Cauby

Adoro a voz do Cauby Peixoto.
To vendo um show dele agora na tv e que engraçado! Todos fazem caretas pra elevar a voz e ele canta e parece que tá se vendo no espelho.
O máximo!
Excetuando-se a música "Conceição", gosto de todo o repertório, roupas e o cabelo anos 60, acho um barato.

Bom dia meu povo

Ouvindo Cartola inicio meu sábado.

Dia novo, cara do blog novo!

Alôsom, testando...

sexta-feira, 6 de março de 2009

Utilidade Pública

A Casa Prática irá oferecer nos dias 11,12,13 de março de 2009 o curso "Gestão da casa para empregada doméstica". O treinamento visa facilitar a vida da dona de casa na orientação de sua empregada doméstica, abordando em linguagem simples e fácil, diversos assuntos como a disponibilidade de tempo, e principalmente a exigência do trabalho a ser realizado de forma correta e higiênica. Venha conhecer a nossa loja, e adquiram maiores informações sobre nossa programação de cursos.
Mais informações com Flávia Nadler
Casa Prática Comércio e Serviços
(98) 3245-5094/(98) 9976-8420

EXTRA EXTRA

A imprensa escrita de São Luís já não é mais a mesma.
O furo da hora é um jornalzinho chamado AQUI MARANHÃO. Custa módicos R$0,25 e é vendido em todo lugar. Basta ter aglomeração.
Nos terminais de ônibus, é o pau que rola! Basta dar uma viradinha pra ver logo um vendedor e consequentemente um leitor tirando uma moedinha e trocando por informação.
Por que não tive essa idéia antes? Me pergunto diariamente ao ver TODO mundo lendo o tal jornaleco.
Dentro do ônibus a maioria entra com um e haja a ler os infortúnios dos outros...
A super notícia que publiquei há pouco sobre a mulher melancia, por exemplo, li nele, porque claro, comprei um hoje para ver como é!
E o mais legal: descobri que é do JORNAL PEQUENO. Mesmo Diretor de Redação, mesmo Editor chefe e por aí vai...
Seu Ubaldo, meu motora particular, falou hoje quando eu comentei sobre o assunto:
- Professora, ninguém mais lê Jornal Pequeno não!!! Esse custa R$ 0,25 e o outro R$ 1,00. Qual que a pessoa vai comprar? Eu agora vô comprar todo dia um pra deixar pros cliente!
Já havia discutido isso com o namoradão, que fez uma observação importante: o valor do jornal é determinante para o seu sucesso. Se custasse R$ 0,30 já não venderia tanto.
E o engraçado que é mesmo. Venho observando todos esses dias e ninguém recebe troco na compra do jornalzinho. Já chega pra comprar com a moedinha certinha.
Muito boa essa sacada. Muito boa mesmo!
Tudo pela democratização da informação.
Sobre o conteúdo, bem, digo que não é o meu preferido...

Esclarecendo: o Jornal Pequeno é o jornal mais popular de São Luís. Antigamente costumava ouvir, que se espremesse o jornal depois e ler, saía sangue de tantas manchetes escabrosas.
O AQUI vai na mesma linha...

Ia esquecendo de contar

Passei na banca de revista (agora antes de vir pra casa) que Antonio Vieira puxa um dedo de prosa todo dia, interrompi uma conversa dele com um compadre e disse:
- Vossa Excelência tira uma foto comigo???

- Claro!
- Quando?
- Agora!
- Não, esqueci minha máquina!!!!!!! Na quarta?
- Sim, às 7h.
- Ôbaaaaaaaaaaaaaaaa.

E ele nao entendeu nada....
Só ficou me olhando desconfiado e claro, me achando a mais insana das criaturas.

Na quarta que vem, estarei lá pra tirar foto com o Mestre Viera, meu amor!!!!

Pra saber quem é Antonio Vieira, vai no marcador "Ócio", no texto Urubu Malandro!

Muito importante

Acabei de ler que a mulher melancia vai lançar um outro "super hit" juntamente com a mulher salmão e a mulher lagosta, suas novas parceiras de funk.
Afirma ainda que "a época das frutas acabou. Todas QUE DERAM CERTO estão aí. Não cabe mais nenhuma".
Cabe algum comentário???

Retratos em branco e preto

Lu, tão linda e tão feliz...
Nós, tão lindas e tão felizes...
Mamá, eu, Josi e Dandan

Ai, ai ai... (aqui, Paty, eu, o nariz de Edu, Mamá e Dandan)

Todos os créditos: Paulinha Alcoforado (a super animada da festa!)

Animação

Sem sombra de dúvida, os mais animados da festa!!!!!
Lenar e Paulinha.



Making Off


Adoro making off!
Acho que eu daria uma ótima produtora. Dessas láááá dos bastidores... Escondidinha mesmo.
Esse making off é do casamento de Lu.
As fotos extra oficiais. As que não vão para o álbum da noiva, só para os blogs, rsrs!
Figuras: Eu, Josi, Mamá, Dandan, Wendulas, Silvia, Edu, Fábio. Paty,Frankolino e Rafael...



























Lembrança!

Acabei de receber essa foto de Igor (made in Parnaíba).
Bateu uma saudade...
Na foto, eu (de óculos escuros), Aline, Igor e Francisca Porto (nossa, tão carinhosa comigo sempre...)
Adorei!!!!


quinta-feira, 5 de março de 2009

Orkut

Decidi: vou cancelar meu orkut neste final de semana.
Não tenho tempo pra acessar;
Enchi o saco de tanto recado besta vindo de máquinas, virus, bactérias e fungos;
Quem quiser saber de mim, vem aqui e pronto.
Detalhe: as estatísticas mostram que o pobre do orkut só cai, cai e cai...
Vou dar uma injetada na minha página do my space e tantar mais um pouco. Quando eu encher o saco, excluo. Simples assim.

Beleza não é nada

Ruas de paralelepípedos emolduradas por calçadas pessimamente cuidadas, carros estacionados em lugares impróprios, camelôs e muitas escadas e ladeiras. Assim é o Centro Histórico de São Luís. Local onde trabalho atualmente.
Associado a isso, nunca fui muito com a cara de sandálias rasteirinhas. Sinto-me deselegante e desarrumada.
Meus fantásticos 1,59 (1,60, vai..) se acentuam e sinceramente não gosto de trabalhar assim. Acontece que a cada dia que passa, o nível de complexidade dos meus trabalhos também se acentua, assim como minha mobilidade precária!
Como não ligo muito para os que as pessoas acham sobre eu não ter carro, resolvi seguir o conselho do namorado e vou trabalhar de havaiana e troco por um sapato na minha sala. Aparentemente resolvido né?
Nada!
Não há um só dia em que não encontro um conhecido antes de chegar no prédio. No próprio Centro Histórico. Aff, "disconjuro"!
- Meu Deus, uma Superintendente de blazer e havaianas? - Disse uma ex-aluna hoje!
- Tu estas muito engraçada com esses pés não combinando com nada! - Semana passada me abordou um jornalista "socialite"...

Hoje, sem muita paciência pra gente pequena, resolvi ir com um sapatinho de salto.
Choveu o mundo; Tive que correr o Centro inteiro atrás de um carregador pro celular;
Fui ao banco; Fui autenticar uns documentos e reconhecer firma de outros; Me ferrei!

Em meio às andanças, o que pensei?
Por que em cidades com ruas cheias de ladeiras não são instituídos uniformes cujo sapatinho é um Crocs??
Tudo bem, não preciso usar uniforme, mas um crocs funcionaria como ferramenta de trabalho, não??
É feinho, né????
Nem ligo mais!!!!


obs: é claro que a Croc's não me pagou nada por isso.
Infelizmente!

replay

Voltei pra casa dormindo no banco do taxi. De novo, cansada e sem energia! Acho que vou ficar doente...

Cabeça dura

Eu sei, eu sei. Eu prometi que em março o blog ia estar todo novo. Também prometi que iria mais à praia. Prometi também ligar mais vezes para os meus amigos, inclusive os de Humberto de Campos. Prometi emagrecer dois quilos, escrever compulsivamente em todos os blogs e dar continuidade aos projetos do meu livro.
Nada feito! Nada cumprido!
Confesso uma chateação enorme, mas não sei mesmo o que fazer com as demandas diárias da minha vida. Assim como você, que tá lendo agora, são tantas, tantas as atividades e vontades que não tô conseguindo controlar. Me sinto na crista de uma onda no Havaí e sem saber nadar.
Vida profissional, família, amores, amigos, aulas, espírito, casa, futuro, presente, passado... tanta coisa pra pensar, pra perdoar, pra acreditar, pra "confabular", pra "re-pensar", pra decidir.
É meu povo, a vida é complexa mesmo.
E enquanto Collor volta ao cenário político, eu, nada de me organizar.
Tudo por fazer;
Todas as contas a pagar;
Todas as reformas pra fazer.
Vou iniciar hoje, saindo mais cedo do trabalho, a organização da minha cabeça...
Cabeça dura, eu?

quarta-feira, 4 de março de 2009

Cansada

Trabalho, trabalho, trabalho e trabalho... Aff!!!
Ainda tô no trabalho e sequer tive tempo de raciocinar.
Fiz tudo no achômetro..
Loucura, viu!

Olho gordo!

Amanheci com a sensação de não ter energia. Desligaram o plug que me liga à vida! Vim dormindo no banco de trás do táxi... Um horror!

O Maranhão também amanheceu sem forças. Ressaca Moral...

domingo, 1 de março de 2009

GLBTS

Uma amiga reclamou agora que escrevi no post para "os meus amigos gays" a palavra "veado". Falou que não combina comigo...
Desculpem meninos. Não foi essa a intenção. Lendo agora, também não gostei.
Onde tem "veado", leia-se homossexual!

Piloto Automático

Amanhã comceçamos o ano efetivamente. Semaninha complicada a que vou ter, mas tô prontinha pra ela.
Foi muito bom estar com você, muito bom teclar com você, mas por hoje as minhas atividades de raciocínio estão se encerrando. À partir daqui, piloto automático!
Preciso por a cabeça no travesseiro.
Preciso.
Muito.
Uma segundona "porreta" pra todo mundo!

Salada de frutas

Nada melhor que um banho pra por as ideias em ordem.
Agora sim, recuperei minha dignidade e descobri que tô quebrada. O corpo todo dói e não lembro de ter dado cambalhota ou plantado bananeira no salão de festas ontem. A única coisa mais perto disso foi ter dançado com minha agente de viagens funkeira e ter dado uma descidinha acompanhando a coreografia... mas que hoje tudo dói, dói.
Estou a mulher salada de frutas do funk: toda picotadinha...
No banho também lembrei que Lu não botou meu nome na barra do vestido... snif, snif!

Domingão

Tô passando a adorar os domingos, não sei o que é, mas desconfio que é o fato de poder ficar em silêncio e comigo mesma...
Mas agora realmente dando bom dia, vou fazer hidratação no cabelo e volto daqui a pouco.
Ah, já falei com Anderson e ele tá vindo deixar a máquina com os registros do casamento. Ôba!!!!!!

Um diazão bem ÃO a todos.

I Encontro Nacional dos meus Amigos

Acabei de acordar. Sinto leve ressaca, mas tive uma noite incrível!!!
Lu, uma das minhas amigas mais queridas casou ontem e o salão de festas estava repleto de amigos também muito queridos. Foi muito divertida a festa.
Parecia um evento da faculdade de tantos amigos da graduação. Que delícia!!!! Além dos amigos da universidade, tinham os amigos de outras farras, de alguns trabalhos e ainda parte da minha família. Eu passei a noite em completo êxtase e muito emocionada. Só faltou mamãe e o namoradão mais lindo desse mundo pra tudo ficar completo.
Acho que batemos o recorde de 500 fotos em cada uma das nossas máquinas, porque claro, cada um de nós entrou com sua maquininha para registrar os momentos extra-oficiais... E foram muitos, viu!
Ninguém foi de carro e a menos bêbada tomou 15 taças de prosecco...
Coisa boa é ter amigos.
Coisa boa é ter amigos casando.
Lu e Dudu (os noivos), Mamá (a bêbada), Josi (a atrasada), Wendulas (o apaixonado pela olheiras do cinegrafista), Carol (linda e comportada), Eldinha (lindona), Dandan (com modelo parecido com o meu, que bom gosto, rsrs!), Paulinha (imóvel), Lenar (melhor amigo poste da minha vida), Silvia e Anderson (passaram a noite rindo de mim e ainda levaram minha máquina!), Cynara e Iara (sentadas a maior parte da noite), Caçula (vai casarrrrrr), Paty (minha agente de viagens mais bêbada desse mundo), Edu e Fábio (povo chique da Europa) e Lica e Mau (esperando outro herdeirinho), muito obrigada mesmo. A noite foi divertidíssima.
Quanto ao casal, só desejo toda a felicidade do mundo. Muito amor, carinho, respeito e sexo bom!!!!!!

O post ia se encerrar com uma foto bem bacana, mas claro, Anderson levou minha máquina no bolso e to agora curiosa pra ver as fotos enquanto to boa e nada! Francamente!!!