segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

Inveja

Dizem que existe a inveja branca. Aquela que você sente, mas, falam por aí, não faz mal pro outro ou pro objeto do desejo.
E existe aquela inveja ruim. O sentimento puro mesmo. Aquele sentimento que vem, te corrói e você na mesma hora emana partículas de puro veneno. É um sentimento péssimo, feio, pequeno, baixo.
Já fui vítima de muitas dessas partículas. Já senti febre, tamanha a energia negativa que me jogaram.
O bom é que nunca tinha sentido inveja no sentido literal da palavra. Assim, querendo estar no lugar do outro.
Só hoje...
Acabei de sentir uma inveja tão grande, mas tão grande que resolvi escrever pra me livrar dela. Senti inveja de um grupo de turistas aqui no Centro Histórico!!!
Imaginem: você descendo quatro lances de escadas toda empiriquitada, salto fino, cabelo solto e bolsa pesada num sol de 37° e em plena segundona cheia de trabalho. Aí você dá de cara com quatro serelepes e saltitantes turistas bronzeados, de bermudas, camisetas, havainas e uma bolsinha que mais parece meu kit "ócio, viagens e gastronomia" sem porra nenhuma pra fazer e com tempo livre pra fazer o que der na cabeça.
Não é pra sentir inveja?
Aí, segui como quem não queria nada, mas querendo, e na sequência, ele pararam num bar e adivinhem? Uma cerveja gelada sendo distribuída em todos os copos...
Ah, faça-me o favor! Não é pra matar qualquer cidadão de bem, que tenta trabalhar e ser feliz e tem que aguentar gente chata e um calor dos infernos?
Agora só peço que não aconteça nada de mal com nenhum, porque do jeito que senti vontade de estar no lugar de um deles, sei não...
Mas já tá passando, tá passando... Saravá meu pai, Saravá!

Nenhum comentário: