Pular para o conteúdo principal

Acordo de compadres

Fico boba com a promoção da BAHIA. Com o ótimo trabalho de promoção do Carnaval, na verdade!
A República Federativa da Bahia é uma promoção só. Quem estuda Turismo ou trabalha com esse segmento, sabe do que estou falando. Costumo utilizar o termo "República Federativa" pelo tamanho da coisa, pela projeção, pela pujança.
Os órgãos de promoção do Estado trabalham muito bem os seus símbolos. Não vejo nada igual no Nordeste.
As fitinhas do Senhor do Bonfim que são inúteis, é impossível você não voltar de lá com uma monte, ou pelo menos com uma. No Pelourinho, por exemplo, você precisa bater nos pedintes e mendigos para te deixarem em paz. Todos te oferecem e jogam em cima de você um monte delas em troca de alguns trocados. Efetivametne você não faz nada com aquelas porcarias. Até pra por no braço fica feio!
O axé, que é um ritmo pra dançar, mas de certa forma repetitivo e chato, vejam só: um programa inteirinho da Globo convidando o mundo para passar o carnaval atrás de um trio elétrico. Vejam a repercussão disso, o alcance. Engraçado é que é na Globo, na cara do carnaval carioca onde a emissora tem total interesse em promover. Deve ser um acordo de compadres com muito dinheiro envolvido, só pode... Toma lá, da cá.
A embaixadora desse ritmo, Ivete Sangalo, fala escancaradamente: "Venham para a Bahia, o melhor carnaval do mundo! Meu bloco é tal e saio dias tais e tais. Só esqueceu de dizer: é muito caro e você, classe média metida a besta, vai passar o ano todo pagando..".
A caricatura da baiana, aquela gordinha com turbante e roupas brancas está em tudo que é lugar. Chaveirinhos, ímãs de geladeira e por aí vão. Na última feira de promoção turística que fui, dei uma passada no stand da Bahia e perguntei pra uma baiana que estava distribuindo fitinhas e acarajé: és de Salvador? Ela: não, fui treinada pra ter esse sotaque. Nem conheço a Bahia!
E claro, quem vai saber disso? O importante são os símbolos do Estado ali marcantes na tua mente.
O acarajé já é Patrimônio Imaterial. Tem um monte de baiano e soteropolitano que não suporta, mas divulga, finge que gosta e indica e assim os símbolos vão se firmando como algo extraordinariamente bom, divertido e lindo.
Palmas aos baianos. Todas as reverências pelo que conseguem fazer com o que tem.
Tive que almoçar assistindo Ivete Sangalo e não posso considerar de todo ruim. Vi Tatau. Aquele ex- Araketu. Gostei da música nova e a voz me encanta. No mais, nada de novo.
Acho massa é a cara de pau do povo, que canta as músicas de 15 anos atrás sem a menor vergonha. 70% do repertório ouvido, eu dancei em micaretas. Naquele tempo quando ainda não pensava e jogava meu dinheiro fora sem cerimônia...
Tem até a mini Margareth Menezes cheia de caras e bocas, mas com música velha. Podia me economizar disso!
A própria Margareth, me chega com uma nova versão da música de três anos antes. Quem consegue?
Descobri que ainda existe Banda Cheiro de amor e que quase todo mundo saiu de suas bandas originais. Não existe mais timbalada, é isso?
Ainda bem que Asa de Águia não apareceu se não ia me obrigar a vomitar depois de ouvir "Na casa do Senhor, não existe satanás, xô satanás.."
Gente, Netinho não morreu? E ainda canta?!?!?!?! Aposto que seu bloco no carnaval tá esgotado...
É, né?

Comentários

Amarildo disse…
Bia adorei.... A Bahia é realmente uma potência.
Só não concordo com a parte do asa...
hehehehehe bjs
Anônimo disse…
Bia,

Melhor desistir de entender o fenômeno Bahia, músicas iguais, cantores desconhecidos ou conhecidos, tudo caro e demanda turística nas alturas, acho que temos ofertas melhores mas....
bj, Josi
Anônimo disse…
Concordo plenamente com você. Eles conseguem trasformar qualquer "coisa" em produto turísto. Vi o programa e faria os mesmos comentários que você. Foi o primeiro pré-carnaval baihano televisionado do Brasil, e em horário nobríssimo... A isso eu chamo planejamento, investimento e continuidade...
Anônimo disse…
Bia,

O que podemos fazer se nem os nossos artistas moram aqui, eles são os primeiros a se venderem, abandonam o Maranhão em busca de sucesso (o que não é de todo errado já que nós não damos o devido valor a eles). A BAHIA faz por onde! Se as músicas são repetitivas ou não dizem nada, não importa muito qdo vc está pulando carnaval com "umas" na cabeça. Eu gostava do carnaval daqui antes de ser destruído e transformado em CARNAVAL DA MARANHENSIDADE, hoje com certeza se tivesse grana iria pra BAHIA, pq o carnaval daqui está simplesmente uma M...!!!
Temos é que vestir a camisa do Estado e fazer algo que realmente possa ser chamado de carnaval!!!
PS.:Ivete Sangalo é Ivete Sangalo!!
Bj

Paulinha
É gente. República Federativa da Bahia...

Postagens mais visitadas deste blog

Patinhas de caranguejo ao molho vinagrete

O vinagrete do jeito que eu gosto...

Ingredientes
1Kg de patinha de caranguejo (de preferência do Maranhão, hehe) 2 tomates maduros 1 cebola 1 pimentão verde (que pode ser o da sua preferência) 1 maço de cheiro verde (se você preferir) ou apenas cebolinha 2 limões Sal Azeite para temperar
Modo de preparar
Afervente as patinhas em água com umas pitadinhas de sal. Veja bem, aferventar não é ferver. Basta abrir fervura e elas começarem a ficar cor de rosa, é pra tirar do fogo. Reserve e deixe esfriar. Se ficarem muito tempo no fogo elas ficam duras e na verdade elas devem ficar macias. Após lavar os legumes, corte em pedaços uniformes e bem pequenos, assim como o tomate (que é uma fruta). Para mim, quanto menor, melhor. Misture todos os legumes cortadinhos num bowl, tempere com o suco do limão, sal e bastante azeite. Acrescente um pouco de água filtrada para dar um pouco mais de molho ao vinagrete. Arrume as patinhas num refratário deixando-as com o "cabinho" pra cima. Dessa forma fica mais f…

Raposa, MA - passeio náutico que vale a pena!

Em meio às férias, resolvemos passear de barco pela Raposa, município da área metropolitana da Ilha de São Luís.
O município é pequeno. Grosso modo, deve ter por volta de 35 mil habitantes no máximo.
Tem uma cultura pesqueira muito interessante e também é um polo rendeiro de destaque em São Luís.

A cidade em si, não é muito atraente. São ruas estreitas, com casas, em sua maioria, de madeira, que lembram palafitas, no sentindo mais geral do termo.
Percebe-se a falta de saneamento básico na cidade e uma certa desordem urbana. Basta para isso, percorrer suas ruas para entender do que estou falando. Banheiros improvisados próximos aos mangues e muito lixo acumulado nas ruas e entre as casas é um dos retratos mais gritantes ao darmos uma volta perímetro urbano.

A Raposa surgiu como uma colônia de pescadores, com início na década de 40 do século passado, por pescadores vindos do Ceará e rapidamente tornou-se um reduto cearense, com as mulheres rendeiras desenvolvendo seu trabalho e os pesc…

Óleo composto de soja e oliva. Não caia nessa!

Esses óleos compostos que tanto enganam os comensais espalhados por ai foram feitos para cozer, não para derramar em cima do prato pronto! Foram criados como uma alternativa para quem está com o orçamento apertado ou não tem costume de cozinhar com azeite de oliva.  Para um prato refogado, por exemplo, fica muito saboroso. O problema é que pelo fato de ser mais barato, os donos de alguns restaurantes de segunda, terceira, quarta e quinta categoria substituem o tradicional azeite por esse composto e a turma desavisada, derrama com gosto em cima do prato. Uma maldade! Vejo o povo jogando em cima da salada, sendo que em todos os compostos, 95%  é de óleo de soja e apenas 5% é de azeite (não extra-virgem!). Esperteza do restaurante que ganha por um produto de qualidade inferior e lerdeza do consumidor que não lê o que está consumindo. O consumo de azeite no país tem crescido assustadoramente, à proporção que  a gastronomia ganhou status de ciência e o poder aquisitivo da população melhorou.  De…