sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

Toc Toc Toc Toc

Quem será que foi o louco que comeu pela primeira vez um caranguejo? Digo assim, viu aquele bicho e pensou: Ham, se eu cozinhar com um pouco de sal fica bom!

Por que se eu visse esse bicho horroroso, cheio de pernas, com uns olhos saltitantes e andando de lado eu na verdade sairia correndo pra bem longe. Nunca pra perto!

Um bom prato para agradar o comensal, baseia-se nas caracteísticas organolépticas do mesmo, que obrigatoriamente estão associadas ao sabor e olfato. Digo mais: a apresentação do prato já é grande parte do prazer de comer. Como é que alguém olha um monte de caranguejo e sente isso?

E pra comer? Como é que esse primeiro cidadão conseguiu tirar a carne do peito do caranguejo? Não é por nada não, mas hoje a noite, enquanto comia zilhões de caranguejos com os meninos, pensei essas loucuras.

Vou fazer a proposta da inclusão da disciplina "Os crustáceos e suas variantes - catar, cozinhar e comer" no curriculo das escolas de ensino fundamental. Pelo menos nos Estados que possuem mangue, por que só alguns felizardos conseguem o diploma de comer caranguejo sem se cortar nem deixar metade da carne. Eu por exemplo, tô com os dedos em frangalhos!

O caranguejo faz parte da dieta de milhares de pessoas, especialmente no Nordeste e é considerado alta gastronomia para muitos chefs. É uma iguaria com inúmeras possibilidades. Da carne faz-se tortas, empadas, molhos, farofas, saladas e recheios. Tudo uma delícia...

Acabamos de comer 88 caranguejos e só parei porque cansei. Calma, calma, éramos 9 desavergonhados. Só comi uns 6!!!

Apesar de ter saído da dieta (só esta noite, explico), estou feliz embora cansada! Haja tempo e paciência pra transformar um caranguejo num monte de "cisco". É uma verdadeira batalha vencer tantos obstáculos.

Já começa a luta pra lavá-lo sem ele apertar um dedo seu com aquelas patas assassinas e deliciosas, diga-se de passagem. Segundo porque é preciso um monte de acessórios: várias bacias, martelinhos e tábuas de madeira pra apoiar as patas e sair dando porrada em tudo. Na sequência, tens que estar com uma roupinha leve e velha, por que a cada martelada, respinga em você metade da iguaria e por último, o ato de degustar caranguejos te obriga a não fazer nada depois. Dá sono, vais estar imunda e cheirando caranguejo por mais umas horas...

E sabe o que é mais legal em tudo isso?



O bicho é danado de bom!



Aqui, Igor, Ivânia, eu, Aline e Janine. Eu e Aline ganhamos o concurso do caranguejo!. Em caso de muita curiosidade, clique e amplie as fotos para ver os detalhes sórdidos...

Depois dessa caranguejada com farofa e vinagrete só me resta descansar e dormir.


Boa noite e mais uma vez, obrigada por sua visita!

2 comentários:

Paulo Bono disse...

sinceramente. não gosto de comer caranguejo. da preguiça. se for catado, tudo bem. agora já comi uma Coxinha de caranguejo era sensacional.

abração

*e pelo amor de Deus, não queira ser igual a mim quando crescer. você é bonita, mulher.

Igor Cruz disse...

Pura mentira.
Aline é boa comedora =) mas Bia é só migué.. hehehehhehehe
Bjosssss

Vamo marcar o churrasco agora =)